Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



CELULAR,SMARTPHONE,IPHONE,TABLET A HISTORI

Quarta-feira, 20.06.12
  fonte   tecmundo e wikipedia
        Telefone celular
Telefone celular (português brasileiro) ou telemóvel (português europeu) é um aparelho de comunicação por ondas electromagnéticas que permite a transmissão bidirecional de voz e dados utilizáveis em uma área geográfica que se encontra dividida em células (de onde provém a nomenclatura celular), cada uma delas servida por um transmissor/receptor. A invenção do telefone celular ocorreu em 1947 pelo laboratório Bell, nos EUA.
Há diferentes tecnologias para a difusão das ondas eletromagnéticas nos telefones móveis, baseadas na compressão das informações ou na sua distribuição: na primeira geração (1G) (a analógica, desenvolvida no início dos anos 1980), com os sistemas NMT e AMPS; na segunda geração (2G) (digital, desenvolvida no final dos anos 1980 e início dos anos 1990): GSM, CDMA e TDMA; na segunda geração e meia (2,5G) (uma evolução à 2G, com melhorias significativas em capacidade de transmissão de dados e na adoção da tecnologia de pacotes e não mais comutação de circuitos), presente nas tecnologias GPRS, EDGE, HSCSD e 1xRTT; na terceira geração (3G) (digital, com mais recursos, em desenvolvimento desde o final dos anos 1990), como UMTS e EVDO; na terceira geração e meia (3,5G), como HSDPA, HSPA e HSUPA. Já em desenvolvimento a 4G (quarta geração).

                                                                              a nominaçao
Telefone celular, ou simplesmente "celular" (plural celulares), é a designação utilizada no Brasil. Este termo deriva da topologia de uma rede de telefonia móvel: cada célula é o raio de acção de cada uma das estações base (antenas de emissão/recepção) do sistema, e o fato de elas estarem contíguas faz com que a representação da rede se assemelhe a uma colmeia.
Em Portugal, estes equipamentos são designados por "telemóvel" (plural telemóveis), uma simplificação de "telefone móvel". Este termo apareceu quando o sistema de telefonia móvel apareceu em Portugal nos finais dos anos 1980 pela mão dos CTT/TLP (operador único de telecomunicações, na altura), que baptizaram este serviço (assente na tecnologia analógica AMPS) de "Serviço Telemóvel". O termo ganhou popularidade, em detrimento de "telefone celular", quando a segunda geração apareceu em Portugal em 1992: isto porque os CTT/TLP decidiram autonomizar os serviços de telefonia móvel criando a TMN - Telecomunicações Móveis Nacionais S.A., que iria utilizar e o termo "telemóvel" para designar os equipamentos e não o serviço.

      como começou
Heinrich Hertz, em 1888, foi pioneiro na transmissão de códigos pelo ar. A descoberta tornou-se indefectível à idealização de rádio-transmissores. Além disso, proporcionou a primeira ligação por telefonia entre continentes, ocorrida no ano de 1914.
A comunicação móvel era conhecida desde o começo do século XX. Desenvolvido inicialmente pela atriz Hollywoodiana Hedwig Kiesler (Hedy Lamaar) e patenteado em 1940, o celular surge como um sistema de comunicação à distância que mudasse sempre de canal para que as frequências não fossem interceptadas. No ano de 1947, começou-se o desenvolvimento no laboratório Bell, nos EUA. No laboratório Bell, foi desenvolvido um sistema telefônico de alta capacidade inteligado por diversas antenas, sendo que, cada antena, era considerada uma célula. Por isso o nome de "celular".
O primeiro celular foi desenvolvido pela Ericsson, em 1956, denominado Ericsson MTA ( Mobilie Telephony A ) Ericsson MTA, pesava cerca de 40 quilos e foi desenvolvido para ser instalado em porta malas de carros. A empresa americana Motorola passou a desenvolver seu modelo de celular e no dia 3 de abril de 1973, em Nova York, apresentou o modelo Motorola Dynatac 8000X. Usando esse modelo ocorreu a histórica primeira ligação de um aparelho celular, realizada por Martin Cooper, diretor de sistemas de operações da empresa Motorola. O aparelho, muito prosaico, tinha 25 cm de comprimento e 7 cm de largura, além de pesar cerca de 1 quilo.
Em 1979, no Japão e na Suécia O telefone celular entrou em operação e em 1983 começou nos Estados Unidos.



  A segunda geraçao de celulares
Logo no início da década de 90, as fabricantes já estavam prontas para lançar novos aparelhos, com um tamanho aceitável e um peso que não prejudicasse a coluna de ninguém. A segunda geração de aparelhos não traria apenas novos aparelhos, todavia também iria aderir a novos padrões de comunicação. Três tecnologias principais iriam imperar nesta época, eram elas: TDMA, CDMA e GSM. A segunda geração da telefonia móvel durou até a virada do milênio (talvez um pouco antes ou depois)
        Mensagem, torpedo
Um recurso indispensável para muitas pessoas é o serviço de mensagem de texto (SMS). Poucos sabem, mas a primeira mensagem de texto foi enviada no ano de 1993, através de uma operadora da Finlândia. Aqui no Brasil demorou muito para chegar “toda” essa tecnologia, afinal, as operadoras brasileiras ainda estavam pensando em instalar telefones fixos para os clientes.

As mensagens de texto não eram grande coisa na época, porque eram limitadas a poucos caracteres e não permitiam a utilização de acentos ou caracteres especiais. Além disso, era difícil você poder utilizar o serviço de SMS, porque era necessário que, além do seu celular, o do destinatário fosse compatível com a tecnologia. Os celulares capazes de enviar mensagens de texto geralmente vinham equipados com um teclado alfanumérico, afinal, o aparelho deveria compreender letras além de números.

Serviços prestados pelas operadoras
Os celulares traziam campainhas um tanto irritantes, entretanto com o avanço da tecnologia nas operadoras e nos aparelhos, os ringtones monofônicos, e polifônicos, personalizados começaram a aparecer, fator que fez as pessoas gastarem “rios” de dinheiro só para ter o hino do querido time como toque

                                                   Evoluçao estetica e tecnica

dúvida, tudo estava o máximo para os consumidores, mas ainda faltava algo para que o celular ficasse completo: eram as cores. Os aparelhos com dispositivos monocromáticos simplesmente não transmitiam tudo o que nossos olhos podiam perceber. Logo as fabricantes introduziram visores com escalas de cinza, recurso que permitia distinguir imagens. Apesar disso, ninguém estava satisfeito, porque tudo parecia muito irreal.

Quando apareceu o primeiro celular com quatro mil cores, as pessoas pensavam que estava acabando o mundo, porque era uma tecnologia incrível para um aparelho tão pequeno. Não demorou muito para que os aparelhos ganhassem displays de incríveis 64 mil cores e logo apareceram os visores com até 256 mil cores — as imagens já pareciam reais e não havia como perceber a falta de cores. Obviamente, a evolução não parou e hoje os aparelhos possuem 16 milhões de cores, um recurso que é fundamental em aparelhos de alta resolução.

   A internet chega no celular

Com a possibilidade de visualizar imagens coloridas, não demorou nada para que os celulares ganhassem o recurso das mensagens multimídia, famosas MMS. As mensagens multimídia, a princípio, seriam úteis para enviar imagens para outros contatos, contudo, com a evolução do serviço, a MMS tornou-se um serviço que suporta até o envio de vídeos, é quase como enviar um email.

O que todos queriam, finalmente estava disponível nos celulares: a internet. Evidentemente, a internet que era acessada através de um celular não era nada parecida com aquela que as pessoas utilizavam nos computadores, no entanto, isso deveria evoluir muito em breve. Era necessário que os portais criassem páginas pró-prias para celular (as chamadas páginas WAP), com conteúdo reduzido e poucos detalhes.


           Celular,filmadora e camera fotografica
implementação de uma câmera num celular foi muito revolucionário, mas até hoje é difícil encontrar algum aparelho que traga uma câmera de boa qualidade, ou pelo menos, que consiga resultados aceitáveis em qualquer situação. Na verdade, é bem óbvio que os celulares não tragam câmeras profissionais, afinal, não há lógica em um aparelho que tem como função principal a comunicação, possuir uma câmera melhor do que as comuns.

Os fabricantes vêm introduzindo tecnologia de ponta nos últimos aparelhos, tanto que alguns modelos, como o Samsung i8910 Omnia HD — confira nesse mesmo texto mais sobre este aparelho — já são capazes de gravar vídeo com resolução em Alta definição e com uma taxa de quadros aceitável (30 fps). Como senão bastasse esse aparelhinho possui uma tecnologia para detectar rostos (e sorrisos), tudo com a incrível câmera de 8 MP (Megapixels) que ainda conta com flash.
               Cai de vez aparelhos mp3,mp5 e etc..
Hoje em dia é comum os celulares possuírem suporte a reprodução de arquivos MP3, contudo, um dia isso já foi um grande luxo. Havia uma época em que esses arquivos nem existiam e as fabricantes de aparelho já cogitavam a ideia de incluir o suporte a reprodução de músicas. Demorou a chegar, mas ao que tudo indica, a função MP3 tornou-se um dos maiores atrativos nos celulares, porque simplesmente o consumidor gosta de possuir várias funções em um único aparelho.

Evidentemente algumas empresas não se restringiram a reprodução de arquivos MP3 e por isso adicionaram suporte a reprodução de outros tipos de arquivos de áudio — como o ACC e o WMA. Claro, também é impossível não lembrar de fabricantes que se deram ao luxo de adicionar equalizador, suporte a listas de reprodução, visualizações e a incrível capacidade de transmitir áudio para dois ou mais fones de ouvido.


        Celular evolui smartphone,iphone

Atualmente não se fala muito em celular, porque o assunto da vez são os Smartphones. O termo smartphone foi adotado devido à utilização de um sistema operacional nos celulares. Claro que essa capacidade está restrita a um pequeno número de aparelhos, porém, a tendência é que cada vez mais as fabricantes invistam na criação deste tipo de celular.

Além do sistema operacional, a maioria dos smartphones traz rede sem fio (wi-fi), câmera de qualidade razoável (geralmente o mínimo é 2 MP), Bluetooth (alguns aparelhos não são compatíveis com a tecnologia AD2P), memória interna com muito espaço — ou espaço para cartão externo —, funções aprimoradas (como a reprodução de arquivos que necessitem codecs, ou a compatibilidade com documentos do Microsoft Office), suporte a redes 3G e muito mais.

Os sistemas operacionais dos aparelhos variam muito, porque cada fabricante coloca um sistema diferente. Os principais são: Symbian e Windows Mobile (o iPhone utiliza o MAC OS X). Caso você queira saber mais sobre sistemas operacionais para celular, clique aqui para conferir o artigo que o Baixaki criou a respeito do assunto.


         Iphone e a concorrencia

Os celulares parecem não ter limites quando se fala em evolução. Cada vez novos recursos aparecem, melhorias são adicionadas e tudo continua ocupando o mesmo espaço. O recurso que mais espantou a todos foi a apresentação dos primeiros celulares sensíveis ao toque. O aparelho de maior sucesso foi o iPhone, da Apple, porque ele não era apenas sensível ao toque, mas trazia a sensibilidade a múltiplos toques, ou seja, você pode comandá-lo utilizando vários dedos.

Cada fabricante diferenciou seu aparelho em algum quesito, algumas marcas poderiam até ter incluso o “multitouch”, todavia nem todo mundo quer deixar a tela do aparelho cheia de gordura, fator que fez muitas empresas incluírem uma caneta para a utilização desse recurso.

O aparelho da Apple ainda trouxe outra inovações, não que outros aparelhos já não utilizassem, mas como estamos falando do enorme sucesso e falatório desse aparelho, vamos nos restringir a ele. O iPhone tem um acelerômetro para rotacionar a tela automaticamente, sensor de luz ambiente e sensor de proximidade. O primeiro aparelho da Apple não tinha suporte a rede 3G, fator que inibiu a vontade de muitos consumidores em adquirir o aparelho. A segunda versão do aparelho já vem com suporte as redes 3G e traz alguns recursos a mais — mas nada que seja realmente extraordinário.

   3G – A revolução em nossos dias

Finalmente paramos de falar somente da evolução e voltamos a um pouco de história. A terceira geração de celulares chegou e nós somos os felizardos que estamos usufruindo de tudo que ela oferece. A nova geração oferece várias vantagens, como: vídeochamada, conexão de internet de alta velocidade, economia de energia nos aparelhos e funcionalidade de internet sem a necessidade de um aparelho celular (é possível utilizar a rede de internet 3G em Modems). Claro que o Baixaki não iria lhe deixar sem saber mais sobre o assunto, por isso, caso esteja interessado, nosso site possui um artigo sobre a tecnologia 3G, que você pode ler clicando aqui.


  Novos aparelhos, nossos olhos não acreditam no que veem

A evolução não pode parar, por isso as fabricantes não param de lançar mais aparelhos, com recursos mais sofisticados e funções ainda mais interessantes. Para quem adora tecnologia, talvez os parágrafos a seguir vão ser interessantíssimos, pois vamos abordar alguns celulares que estão sendo fabricados e aparelhos que já estão no mercado — mas os brasileiros ainda não viram a tecnologia incrível que eles possuem.



               ANDROID

A história do Android começou a mudar quando o Google comprou a pequena empresa chamada Android Inc no ano de 2005.



Desde então, o site de buscas investiu forte no sistema operacional e lançou em outubro de 2008 o primeiro telefone móvel com Android.

O curioso é que as versões têm sempre nomes de doces e lanches (em inglês) e seguem a ordem alfabética.

Acompanhe a evolução do sistema junto com os smartphones.



Em 2009 foi lançada a primeira versão do Android, que ainda está em vigor, a 1.5 Cupcake. Um dos smartphones a serem lançados com o Android Cupcake foi o Motorola Quench com câmera de 5MP.

O Cupcake já é compatível com teclado virtual e funções básicas de, por exemplo, copiar e colar nos navegadores.

No mesmo ano foi lançada a versão 1.6 Donut com mais velocidade que a versão anterior. Alguns joguinhos famosos como o Angry Birds já rodam nesta versão no Sony Ericsson X 10 mini.

Em janeiro de 2010 surgiu a 2.1 Eclair que conta com correções e ajustes dos sistemas anteriores e Bluetooth 2.1.

Meses depois foi lançada a versão 2.2 FroYo com mais dinamismo e rapidez comparada com a Eclair, e suporte ao Adobe Flash.

A versão mais usada aqui no Brasil é a 2.3-2.4 Gingerbread (em português, pão de gengibre) com 63% dos acessos ao Google Play Store. Podemos citar alguns como o Motorola XT316, Samsung Galaxy S II, Motorola Razr e Milestone 3.


Com o Android 2.3 a interatividade com o smartphone é bem maior, o que torna mais interessante o uso e a experiência com o aparelho. Escrever por voz e usar o teclado Swype é uma dessas experiências que a atualização proporciona em alguns smartphones.

Especialmente para os tablets foram lançadas as versões 3.0-3.2 Honeycomb (em português, favo de mel). O Motorola Xoom é um deles que vem com o sistema operacional.

A versão mais esperada é sempre a última, a 4.0 Ice Cream Sandwich, anunciada oficialmente em outubro de ano passado. O sistema promete desbloquear o aparelho por reconhecimento facial entre outras experiências ousadas. Disponível no Samsung Galaxy Nexus a versão vem para superar todas as expectativas.


Android 4.0 Dual Sim Telemoveis preços Fantásticos em Aveiro



                                                                                             o tablet


 o primeiro modelo que podemos realmente chamar de tablet surgiu no ano de 1989 era chamado de GRiDpad Pen Computer, mas outros modelos anteriores chegaram bem perto de merecer esse titulo que hoje da origem a uma das maiores tendência da atualidade, sinônimo de tecnologia e mobilidade, os Tablets.

Nossa historia começa em 1886, com o Telautograph, inventado por Elisha Gray, o mecanismo reproduzia a escrita manual em outra maquina usando coordenadas X e Y para posicionar a caneta (Stylus), veja mais sobre essa maquina na wikipedia clicando aqui (em linglês) .tablets-1961-randtablet

Em 1961, foi criado o tablet RAND. Também conhecido como o Grafacon, para “Graphic Converter”, custando R$18.000 foi a primeira superfície de escrita bidimensional ou tablet que permitiu um computador reconhecer escrita manual através de uma caneta.tablets-1968-dynabook-mockup

Em 1968 o visionário Alan Kay criou o conceito Dynabook, um computador portatil que foi desenvolvido para crianças, similar a um caderno, com memória  suficiente para 500 páginas de texto ou áudio. Sem duvidas inspirou e influenciou todos os modelos que vieram depois.tablets-1979-applegraphicstablet

Eis que em 1979 que a Apple entra no mercado de tablet (se enganou quem achou que foi em 2010 com o iPad), nesse ano a empresa da maça apresentou seu Graphics Tablet  para Apple II, o dispositivo permitia os usuários desenhar na tablet com uma caneta stylus com fio e transferir esses traços digitalizados para o seu computador. Mas como não existia PhotoShop na época (hehehe), esse gadget que custava em media US$650, não fez nenhum sucesso, caindo no esquecimentoapple-bashful-04

Mas quem achou que Apple havia desistido se enganou, em 1983 ela apresenta o Apple Bashful, um gadget portátil, mas que precisava ser conectado a uma espécie de asa, uma base com teclado e leitor de disquete (já que na época não existia USB para transferir arquivos) e usava uma caneta Stylus para interagir com o tablet. Mas a idéia também não agradou muito e não foi dessa vez que a Apple criou um dispositivo revolucionário, mas elas ainda teria um trunfo anos depois.gridpad-pen-computer-02

Finalmente em 1989 a Grid Systems lança o GRiDpad Pen Computer, que tecnicamente foi o primeiro tablet (o avô do iPad), pois seu formato se parecia com os tablets atuais, mas pesava nada menos que 2Kg com um processador  de 20 MHz, mesmo esse modelo sendo de alta tecnologia para época,  ainda precisava de uma caneta para interagir com o sistema.microsoft-tablet-pc-2001-02

Em 2001 o cenário dos tablets começou a ganhar importância, pois agora quem estava interessada no assunto era a grande Microsoft (até então a empresa mais famosa do mundo), que nesse mesmo ano apresentou o “Compaq Tablet PC”, que rodava com o Windows XP, tinha tudo para dar certo, menos um sistema operacional que fosse bem executado quando se usava os dedos (#fail), ainda era necessário usar as canetas stylus, juntando esse fato com a falta e aplicativos específicos para tablet e o alto custo, nem chegou a ser conhecido pela grande maioria.

Mas com o tempo os fabricantes acharam que essa ideia de tablets poderiam não dar muito certo, principalmente pela necessidade da caneta stylus, então preferiram apostar em máquinas “híbridas“: Notebooks com uma tela móvel, que poderia ser fechada sobre o teclado transformando-os em Tablets.

Com o avanço na tecnologia principalmente em relação a telefonia móvel, empresas como a Nokia começaram a ganhar muita notoriedade, o que talvez tenha encorajado a mesma para que em 2005 desenvolvesse seu primeiro tablet, o Nokia 770, com tela de 4.1”  tinha como diferencial o foco em acesso a internet, ouvir musicas e ler e-mail. Para a tarefa de controlar o hardware foi desenvolvido um OS próprio para o dispositivo, baseado em Linux o sistema foi batizado de “Maemo”.nokia-770-tablet-03

Nessa fase da nossa linha do tempo, os dispositivos com tela sensíveis já não eram mais novidades, telas touch-screen já podiam ser vistas em alguns dispositivo de alta tecnologias como o Microsoft Smart Display (2005) e os PDA’s  Palmtops por exemplo.samsung-origami-tablet-pc-01

Mas em 2006 um dispositivo que chamou atenção, criado pela Samsung o Origami ou UMPC (Ultra Mobile PC) Q1, revolucionou o jeito que se via os tablets PC, pois com a ideia de um dispositivo hardware mais simples, conseguiriam diminuir o peso, o tamanho, e o consumo de energia, mas perderiam em processamento. O tablet Origami era equipados com uma tela de 7 polegadas e  rodava com o OS Windows XP, mas o sistema ficava muito lento (sem falar que devia travar de vez enquando), o que não agradou ninguém, mas o que realmente fez esse tablet não ser um sucesso foi o preço, entorno de US$1400 no seu lançamento, muito mais caro que um notebook convencional, por isso não caiu na graça do povo e quase foi esquecido.

Em 2007 foi apresentado para o publico em geral o que seria uma revolução na forma como as pessoas usavam seus gadgets, foi lançado o iPhone, o aparelho com uma idéia  que mudou a forma que as pessoas interagiam com os dispositivos, o mais interessante era um Sistema Operacional que foi planejado para o touchscreen e o design do dispositivo com um único botão na parte da frente. É,  eu sei que o iPhone é um smartphone,  mas ele é fundamental para essa linha do tempo.

Tudo estava indo tranquilo quando em 2009 a Axiotron pegou um MacBook, desmontou o aparelho e o remontou colocando no lugar do teclado uma tela sensível a toque, criando assim o primeiro tablet com tela sensível da Apple (que tecnicamente não era da Apple), esse dispositivo batizado de ModBook, começou a ganhar prestigio principalmente de artistas e designers que usavam como uma mesa digitalizadora (assim com as da Wacon).modbook-02

Talvez isso tenha chamado a atenção da Apple que finalmente em 2010 apresentou seu Gadget que conquistaria o mundo e finalmente tomar o patamar de lider no mercado de tecnologia mundial, em janeiro de 2010 foi lançado o iPad, que de certa forma era um iPhone de 10”, mas fez os olhos de todas as pessoas brilharem ao ver o quão tecnológico e futurista era aquele aparelho. Daí pra diante acredito que todo mundo conheça a história que ainda está sendo escrita.



Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:09

TIAO CARREIRO E PARDINHO BIOGRAFIA

Quarta-feira, 20.06.12



Tião Carreiro & Pardinho

História


Em 1954, Tião Carreiro conheceu Pardinho no Circo Rapa Rapa, em Pirajuí (SP), quando Tião ainda tinha o pseudônimo de Zé Mineiro. Lá, eles cantaram pela primeira vez. Em 1956, resolveram tentar a sorte em São Paulo, onde conheceram o prestigiado compositor sertanejo Teddy Vieira que, ouvindo a dupla, batizou José Dias Nunes de Tião Carreiro. Em novembro de 1956, gravaram o primeiro disco juntos com destaque para as músicas "Cavaleiro do Bom Jesus" (de João Alves, Nhô Silva e Teddy Vieira) e "Boiadeiro Punho de Aço" (de Teddy Vieira e Pereira).

A dupla Tião Carreiro e Pardinho é tida com uma das principais da música sertaneja de raiz e inventores do pagode, considerados artistas de primeira linha no gênero. Encenaram também duas peças teatrais, "O Mineiro e o Italiano", um melodrama baseado na música, e "Pai João", o drama de um velho carreiro, e gravaram o filme Sertão em Festa, ambos com grande sucesso. Tião Carreiro e Pardinho chegaram a gravar quase 30 LPs, todos remasterizados em CDs, que continuam em catálago.



Discografia

    * 1961 Rei do Gado - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1963 Casinha da Serra - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1964 Linha de Frente - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1964 Repertório de Ouro - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1965 Os Reis do Pagode - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1966 Boi Soberano - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1967 Pagode Na Praça - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1967 Os Grandes Sucessos de Tião Carreiro & Pardinho
    * 1967 Rancho dos Ipês - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1968 Encantos da Natureza - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1968 Tião Carreiro & Pardinho e Seus Grandes Sucessos
    * 1969 Em Tempo de Avanço - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1970 Sertão em Festa - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1970 Show - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1970 A Força do Perdão - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1971 Abrindo Caminho - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1972 Hoje Eu Não Posso Ir - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1973 Sucessos de Tião Carreiro & Pardinho
    * 1973 Viola Cabocla - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1973 A Caminho do Sol - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1974 Modas de Viola Classe "A" - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1974 Esquina da Saudade - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1974 Tangos em Dueto - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1975 Modas de Viola Classe "A" - Volume 2 - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1975 Duelo de Amor - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1976 Rio de Pranto - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1976 Os Grandes Sucessos de Tião Carreiro & Pardinho - Volume 2
    * 1976 É Isto que o Povo Quer - Tião Carreiro em solos de viola caipira
    * 1977 Pagodes - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1977 Rancho do Vale - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1978 Terra Roxa - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1979 Disco de Ouro - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1979 Golpe de Mestre - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1979 Pagodes - Volume 2 - Tião Carreiro & Pardinho


    * 1979 Tião Carreiro em Solo de Viola Caipira
    * 1981 Modas de Viola Classe "A" - Volume 3 - Tião Carreiro &
Pardinho
    * 1982 Navalha Na Carne - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1983 No Som da Viola - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1984 Modas de Viola Classe "A" - Volume 4 - Tião Carreiro &
Pardinho
    * 1985 Felicidade - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1986 Estrela de Ouro - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1988 A Majestade "O Pagode" - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1994 Som da Terra - Tião Carreiro & Pardinho
    * 1994 Som da Terra - Tião Carreiro & Pardinho - Volume 2 -
Pagodes
    * 1994 Som da Terra - Tião Carreiro & Pardinho - Volume 3 - Modas de Viola
    * 1996 Saudades de Tião Carreiro - Diversas Duplas
    * 1998 Sucessos de Ouro de Tião Carreiro & Pardinho - As
Românticas
    * 1999 Popularidade - Tião Carreiro & Pardinho
    * 2001 Warner 25 anos - Tião Carreiro & Pardinho
    * 2003 Os Gigantes - Tião Carreiro & Pardinho
    * 2006 Warner 30 anos - Tião Carreiro & Pardinho

    Tião Carreiro
José Dias Nunes, conhecido como Tião Carreiro (Montes Claros, 13 de dezembro de 1934 — São Paulo, 15 de outubro de 1993), foi um cantor brasileiro de música sertaneja de raiz e muitas duplas são influenciadas por sua música.



       Biografia
Natural de Monte Azul, pequena cidade no norte de Minas Gerais, foi criado até os 10 anos de idade nos distritos de Catuti, Rebentão e Pajeú.
Tião é filho de lavradores, Orcissio Dias Nunes e Júlia Alves da Neves. Ele teve 6 irmãos, três homens, Cumercindo, Guilhermino e Valdomiro e três mulheres, Ilda, Maria e Santina.
Levava uma vida humilde, ao fato da falta de emprego ocasionada pela seca que assolava a região norte mineira e com a esperança de um futuro melhor, a família de Tião resolve tentar a vida em São Paulo.
Saíram da região de origem num caminhão tipo pau-de-arara e seguiram rumo a Montes Claros onde embarcariam no trem com destino ao interior do Estado de São Paulo. As crianças não possuíam registro de nascimento e por este motivo a família teve que aguardar 3 dias para obter do juizado de menores uma autorização para prosseguirem. Este é um motivo pelo qual muitos consideram que ele é natural de Montes Claros e não de Monte Azul.
Criado numa fazenda nos arredores de Araçatuba, mais precisamente em Flórida Paulista (região de Adamantina) e Valparaíso, interior do estado de São Paulo, começou a tocar violão ainda pequeno, com 8 anos de idade, quando também já cuidava do arado e dos afazeres na roça.
Aprendeu a tocar viola caipira na adolescência, 


praticamente sozinho, sem nunca ter tido um professor. Isto porque em 1950, com apenas 13 anos, Tião Carreiro trabalhava no Circo Giglio, onde já cantava em dupla com seu primo Waldomiro da dupla Palmeira & Coqueirinho. O dono do circo dizia que "duca, Tião tocava violão.
No mesmo ano, o mesmo circo apresentava em Araçatuba a dupla Tonico & Tinoco. E enquanto os irmãos estavam no hotel, Tinoco havia deixado sua viola no circo e Tião aproveitou para "decorar a afinação escondido".


Tião Carreiro cantou em diversas duplas, tendo adotado diferentes nomes artísticos, tais como Zezinho (com Lenço Verde), Palmeirinha (com Coqueirinho) e Zé Mineiro (com Tietezinho). Lenço Verde e Coqueirinho eram pseudônimos do mesmo parceiro, o Waldomiro, que era primo de Tião Carreiro. Suas parcerias mais famosas foram com Antônio Henrique de Lima (o Pardinho) e Adauto Ezequiel (o Carreirinho, Falecido em 2009 e foi o Professor de Tião Carreiro).
Alcançou sucesso ao formar dupla com Pardinho, e foi o inventor do pagode de viola — não se confunda com o pagode do samba — mas hoje em dia, esse termo é muito conhecido entre os violeiros. Dentre os maiores sucessos de Tião Carreiro temos: Pagode em Brasília, que foi o primeiro pagode, criado juntamente com Teddy Vieira e Lourival dos Santos, em 1959, Boi Soberano, Filhinho de Papai, Cochilou Cachimbo Cai entre outros. A discografia de Tião Carreiro soma mais de 45 discos, tornando-se hoje em dia considerada "Cult" pelo admiradores de Música Sertaneja, é encontrada facilmente em qualquer loja de discos do Brasil.
Ao contrário do que se ouve falar, Tião não bebia muito. As bebidas que ele ganhava ele colecionava e mostrava sua coleção aos amigos.
Tião ficou doente ainda no auge de sua carreira, com diabetes. Veio a falecer no dia 15 de outubro de 1993 em São Paulo

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
           Pardinho
Antonio Henrique de Lima, conhecido como Pardinho (São Carlos, 14 de agosto de 1932 — Sorocaba, 2 de junho de 2001), foi um cantor brasileiro, famoso por ter formado, com Tião Carreiro, a dupla Tião Carreiro & Pardinho.

       Carreira

Pardinho nasceu em São Carlos na Fazenda São Joaquim. Logo depois, se mudou para a Fazenda Figueira Branca. "Na época da colheita do café havia muita festa e na fazenda Figueira Branca meu pai ganhou um cavaquinho, com 12 anos mais ou menos", contou Carlos Henrique seu filho.
Pardinho começou cantando com o nome de Miranda e formou uma dupla com Zé Carreiro (da dupla Zé Carreiro & Carreirinho) em 1956, para concorrer a um concurso para violeiros lançado pela rádio Tupi. A dupla ganhou o prêmio com o cururu “Canoeiro”. A partir daí, Antonio Henrique adotou o pseudônimo de Pardinho e começou a criar seus próprios sucessos. Pardinho fez sucesso com o companheiro Tião Carreiro com a dupla Tião Carreiro & Pardinho. A discografia de Pardinho e Tião Carreiro soma mais de 45 discos, encontrados facilmente em qualquer loja de discos do Brasil. Pardinho também cantou com outros parceiros, como João Mulato (Wilson Leôncio de 


Melo) e Pardal (Gonçalo Gonçalves), com o qual gravou 7 discos, incluindo o disco "4 Azes", no qual também participam Tião Carreiro e Paraíso. Se destacam entre as suas músicas a trilogia do "Menino da Tábua", que conta a história de um menino que só bebia leite e água em cima de uma tábua onde vivia e suas continuações, que fala de seus milagres depois da morte. Pardinho e Pardal também gravaram a música "O Poder da Viola", que conta a história de uma menina que recebeu várias picadas de aranha enquanto dormia e se salvou depois de ser benzida à toque de viola. A dupla gravou também a música "Sertão do Virador", de Zé Fortuna e Pitangueira, com o nome de "O Poder da Fé", no disco "O Poder da Viola" (1980).
Embora tenha se mudado muito jovem de São Carlos, entre 13 e 14 anos, Pardinho sempre visitava a cidade no dia 15 de agosto, pois era devoto de Nossa Senhora Aparecida da Babilônia. Em janeiro de 1963, casou-se com Lucília Pires de Lima, e o casal passou a lua-de-mel no município. Tiveram dois filhos, Carlos Henrique e Rosângela Aparecida de Lima, que lhes deram duas netas, Lívia e Daniele de Lima.


       Homenagem

Na noite de 14 de agosto de 2007, dia em que completaria 75 anos, Antonio Henrique de Lima, o músico Pardinho, foi homenageado com a inauguração de um parque que leva seu nome. Um show com apresentações de 15 duplas de viola e do músico Mazinho Quevedo ao lado de Carlos Henrique, filho de Pardinho, com apoio da EPTV Central marcou o evento. São-carlense, Pardinho é reconhecido como um dos maiores músicos do país.
No parque, localizado no início da serra do Cidade Aracy, no bairro Monte Carlo, possuindo 15 mil m², foi erguido um monumento em homenagem ao músico, projetado e confeccionado pela cenógrafa Sueli Russo Paes de Barros, chefe da Divisão de Teatro da Prefeitura do município.

Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 19:54








comentários recentes




subscrever feeds