Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



TEMPOS DE IGNORANCIA

Sábado, 30.06.12


Tempos da Ignorância
 
       “... Muito se pedirá àquele a quem se tiver muito dado, e se fará prestar maiores contas àqueles a quem se tiver confiado mais coisas.
       “... Somos nós, pois, também cegos? Jesus lhes respondeu: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas agora dizeis que vedes e é por isso que vosso pecado permanece em vós.”
(Capítulo18, itens 10 e 11.)

       Lucas relata em Atos dos Apóstolos a seguinte orienta­ção de Paulo de Tarso: “Deus não leva em conta os tempos da ignorância”. (1) Em outras oportunidades, confirmou também que “muito se pedirá àquele que muito recebeu”. (2) quer dizer, o agrava­mento das faltas é proporcional ao conhecimento que se possui.
       Compreendemos, dessa forma, que somos todos nós pro­tegidos pela nossa “ignorância”, pois somente seremos avaliados pela Divina Providência, de conformidade com as possibilidades do “saber” e “sentir”, isto é, segundo a nossa maneira de ver a nós próprios e o mundo que nos rodeia.
       As leis espirituais que dirigem a vida são sábias e justas e adaptam-se particularmente a cada criatura, levando em conta suas individualidades.
       O eminente psicólogo e pedagogo suíço Jean Piaget, responsável pela teoria de que o desenvolvimento das crianças propicia seu aprendizado, dizia que elas são diferentes entre si, que cada uma tem seu jeito de crescer e de se realizar como indivíduo, e que todos poderíamos ajudá-las nesse crescimento, porém nunca impondo formas generalizadas e semelhantes.
       Piaget ensinava que cada criança pensa e interpreta o mundo com seu peculiar pensamento e com suas possibilidades orgânicas e mentais, quase sempre heterogêneas.
Encontramos no mundo atual modernos métodos peda­gógicos que seguem esse raciocínio, levando em conta que cada indivíduo, para assimilar sua realidade de vida, é portador de um processo psicológico de aprendizagem próprio. Cada um percebe de forma dissemelhante os estímulos da Vida, decodifica-os e em seguida os reelabora, formando assim sua própria individualidade.
Por outro lado, encontramos também na reencarnação a guarida desses métodos de ensino, pois ela se baseia na multiplici­dade de experiências ocorridas nos diversos avatares por onde a alma percorre seus caminhos vivenciais, como um ser individual. As diversidades do nosso tempo de criação, nossas heranças reencarnatórias, experiências emocionais e mentais, ambientes sociais onde ocorrem essas mesmas experiências, estruturas se­xuais, masculinas ou femininas, e motivações várias desenvolvidas na atualidade particularizam os seres humanos com vocações, tendências, interesses, grau de raciocínio e discernimento “sui generis”.
Relativos e não generalizados devem ser os modos de ver as coisas e as pessoas. O próprio direito penal classifica e pune os crimes dentro dos padrões do “intencional” ou “doloso”, “pas­sional” ou “ocasional”. Por que o Poder Inteligente que nos rege iria julgar-nos sem levar em conta nosso “tempo da ignorância” e nossa relatividade?
Como educar ou avaliar genericamente, usando o mesmo critério, crianças que receberam uma educação cheia de energia e vida, ensinadas a questionar e criar; a ter curiosidade e admira­ção pela natureza; e outras que só vivenciaram discussões, agres­sões e comportamentos medíocres por entre odores de bebidas alcoólicas e nicotina, sem uma visão saudável de Deus; ao contrário, temerosa, distorcida, adquirida através da crença de um ser amea­çador e temperamental?
O Amor de Deus programou-nos simples inicialmente para permitir que nos desenvolvêssemos, de forma gradativa, até atingir maiores plenitudes e totalidades.
Temos, pois, que seguir essa programação da Natureza, ou seja, caminhar dentro desse projeto estabelecido pelas leis uni­versais para atingirmos a nossa integração como seres espirituais.
Esse processo evolucional nos mostra que podemos estar um pouco atrás, ou adiante, das criaturas, embora cada uma delas tenha suas características próprias e certas de acordo com sua idade astral. Nesse decurso evolutivo, todos nós passamos por fases de egoísmo e orgulho até atingirmos mais tarde as grandes virtudes da alma. Consideremos, portanto, que não seremos censurados por estar nessas fases “primitivas”, porque o que chamamos de “de­feito” ou “inferioridade” seja, talvez, a passagem por esses ciclos iniciantes onde estagiamos. Lembremos que essas “fases” ou “ci­clos” não foram criados por nós, mas pelos desígnios de Deus, que regem a Natureza como um todo.
Coisas inadequadas que vemos em outras pessoas po­dem ser naturais nelas, ou mesmo do “tempo da sua ignorân­cia”, e representam características próprias de sua etapa evolu­cional na estrada por onde todos transitamos, alguns mais avan­çados e outros na retaguarda.
A vida moderna nos deu raciocínio e reflexão, maturação intelectual e um desenrolar de novas descobertas, ensinando-nos formulações racionais surpreendentes para que melhor pudéssemos compreender os métodos de evolução e progresso em nós mesmos e no Universo.
Não somos responsáveis por aquilo que não sabemos, não sofreremos um castigo por atos ou atitudes que ignoramos. Talvez essas idéias de punição, alienatórias, sejam os frutos da incapacidade de nossa reflexão sobre a Bondade Divina, O que chamamos de “sofrimento” é simplesmente “resultado” de nossa falta de habilidade para desenvolver as coisas corretamente, pois na vida não existem “prêmios” nem “castigos”, somente as conse­qüências dos nossos atos.
Vale, porém, considerar que, à medida que nossa cons­ciência se expande e maior lucidez se faz em nossa mente, maiores serão nossos compromissos perante a existência. “Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas agora dizeis que vedes e é por isso que vosso pecado permanece em vós”. (3)
Podemos pretextar ignorância, mas se tivermos consciên­cia de nossos feitos isso sempre será levado em conta.
Avaliemos atentamente: os tesouros da alma que já inte­gramos nos obrigarão a prestar maiores ou menores contas perante a Vida Maior.

(1) Atos 17:30.
(2) Lucas 12:48.
(3) João 9:41.

Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 23:04

a parabola dos talentos

Sábado, 30.06.12

A PARÁBOLA DOS TALENTOS

(Mateus, capítulo 25º, versículos 14 a 30)

       Certa vez, um homem rico, grande proprietário, teve necessidade de deixar sua pátria e viajar pôr outros paises.
       Chamou, então, seus servidores de confiança e lhes entregou seus bens, a fim de que negociassem com as quantias que lhes eram entregues.
       Ao primeiro servo deu cinco talentos (*), que cor­respondem em nossa moeda a mais de cem mil cru­zeiros. Ao segundo entregou dois talentos e ao tercei­ro, um talento.
       Ele fez essa distribuição de acordo com a capa­cidade de cada servidor. E depois seguiu para via­gem.
       O primeiro foi imediatamente negociar com os talentos e, nos vários negócios que fez, conseguiu ganhar outros cinco talentos.
       O segundo fez o mesmo e conseguiu de lucro mais de 40 mil cruzeiros (isto é, outros dois talentos).
       O terceiro servidor, porém, em lugar de multi­plicar seu dinheiro realizando negócios, como os outros dois, saiu da casa do senhor e foi para sua residência. E, no fundo do quintal, enterrou a moeda de ouro que o grande proprietário lhe havia passado às mãos.
       Decorrido algum tempo, o senhor voltou do estrangeiro para sua pátria. Chegando a casa, chamou aqueles servidores para ajustar contas com eles.
       Compareceu o primeiro à presença do seu amo. E falou:
— Senhor, entregaste-me cinco talentos. Nego­ciei com eles, como ordenaste, e consegui multiplica-­los com meu trabalho honesto, conseguindo outros cinco. Aqui estão, meu senhor, os dez talentos que te pertencem.
Disse-lhe o proprietário, em resposta:
— Muito bem, servo bom e fiel. Já que foste fiel no pouco que te confiei, de agora em diante eu te confiarei negócios maiores e mais importantes. Estarás sempre comigo, ao meu lado, e gozarás da minha felicidade e bem-estar.
Chegou o segundo servidor e disse também:
Senhor, entregaste-me dois talentos. Também negociei com eles, como mandaste e consegui multi­plicá-los igualmente, com meu esforço honesto, con­seguindo outros dois. Aqui estão, meu senhor, os quatro talentos que te pertencem.
— Muito bem, servo bom e fiel. Já que foste fiel no pouco que te confiei, de agora em diante eu te confiarei também negócios maiores e mais importan­tes. Estarás ao meu lado, sempre comigo, e gozarás também, como teu companheiro, da minha felicidade e bem-estar.
Chegou, por fim, o terceiro servidor, que havia recebido um só talento. E disse ao seu patrão:
— Senhor, eu te conhecia e sempre soube que és um homem duro e severo, que gostas de colher onde não semeastes e recolhes o trabalho dos outros. Por isso, tive medo de ti e de tua justiça. E, por medo, escondi o teu talento na terra Mas, hoje desenterrei tua moeda. Aqui está, senhor, o que te pertence.
O proprietário, porém, lhe respondeu:
— Servo mau e preguiçoso, por que me ofendes assim? Por que imaginas que eu gosto de colher onde não semeei e me agrada explorar o trabalho alheio? Se assim julgavas, por que não puseste, pelo menos, o dinheiro no banco, para render juros, já que não querias multiplicá-lo com teu trabalho?
E chamando outros servidores de sua casa, con­tinuou:
— Tirai-lhe o talento e dai-o ao que tem dez ta­lentos. A todo aquele que tem ainda, mais se dá e ele terá em abundância; mas , ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. Lançai o servidor inútil fora do meu palácio, onde há lágrimas, fome e revolta, sem as alegrias que provém do trabalho honesto e fiel.


Esta parábola, filhinho, é uma imagem do Reino de Deus. Nesse Reino, que abrange o Universo in­teiro, cada alma, por mais pobre e pequenina que seja, tem uma determinada tarefa ou missão.
Deus dá a cada um de nós (pai, mãe, jovem ou criança) uma tarefa, maior ou menor, segundo a ca­pacidade de cada alma. Isso é o que significa a dis­tribuição diferente dos talentos (um recebeu 5, outro recebeu 2, outro — 1). Mas, Deus quer que nós multi­pliquemos os nossos talentos e não que os enterre­mos, como fez o servidor preguiçoso, que mereceu também o qualificativo de mau.
Nossos talentos, filhinho, são as possibilidades que toda alma possui de fazer algum bem no mundo. Você também recebeu de Deuscinco, ou dois, ou um talento, isto é, você pode fazer algum bem neste mun­do: ajudando seus paizinhos, sendo amigo de seus maninhos, sendo prestativo e bondoso para seus co­legas, fazendo algum serviço na Escola de Evange­lho, auxiliando, conforme suas posses, os pobrezi­nhos, os órfãos, os tristes... Há tantas almas sofre­doras e necessitadas no mundo, meu filho!...
Os seus talentos são o seu conhecimento, a sua bondade, o seu dinheirinho do lar, a sua boa vontade para ajudar a quem sabe ou pode menos que você. Tudo que você possui ou sabe é um talento que Deus confiou a ti, a fim de que seu coração e sua inteligên­cia o multipliquem em favor dos pobres, dos sofredores e dos necessitados do mundo.
       Não imite o terceiro servidor, querida criança, que enterrou seu talento. Não negue sua coopera­ção, quando puder prestar um favor. Não deixe de ajudar a mamãezinha nos serviços domésticos. Não negue um auxílio honesto a um colega de estudo. Não gaste todo o seu dinheirinho em gulodices, mas, lembre-se dos orfãozinhos, dos pobres, dos doentes e comece a socorrê-los com suas moedinhas. Existem mil pequeninos serviços de bondade e de delicadeza, mil pequenas tarefas de caridade e de compaixão que você pode realizar na vida, cumprindo sua missão de ovelhinha de Jesus. Não enterre seus talentos, sim?
       Se você cumprir seu dever de trabalhar no bem, nas pequeninas coisas, creia que a Parábola se cum­prirá na sua vida: o Senhor Jesus confiará à sua alma tarefa maiores no Seu Reino e você gozará de Sua Perfeita Alegria, na grande felicidade de traba­lhar com Ele em favor da regeneração de nosso mundo.
       Pode crer, filhinho, que não existe felicidade maior do que esta.

(*) O talento, como já vimos na Parábola do Credor Incompassivo, era uma moeda que valia mais ou menos 20.000 (vinte mil) cruzeiros.


Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 22:58

ajuda e passa

Sábado, 30.06.12
ALBERTO DE OLIVEIRA


Ajuda e passa

Estende a mão fraterna ao que ri e ao que chora:
O palácio e a choupana, o ninho e a sepultura,
Tudo o que vibra espera a luz que resplendora,
Na eterna lei de amor que consagra a criatura.

Planta a bênção da paz, como raios de aurora,
Nas trevas do ladrão, na dor da alma perjura;
Irradia o perdão e atende, mundo afora,
Onde clame a revolta e onde exista a amargura.
Agora, hoje e amanhã, compreende, ajuda e passa;
Esclarece a alegria e consola a desgraça,
Guarda o anseio do bem que é lume peregrino...

Não troques mal por mal, foge à sombra e à vingança,
Não te aflija a miséria, arrima-te à esperança.
Seja a bênção de amor a luz do teu destino.

Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 22:54

Carta ligeira

Sábado, 30.06.12

ALFREDO NORA

       ALFREDO José dos Santos Nora nasceu em 18 de novembro de 1881, no município de Piraí, Estado do Rio, e desencarnou em 13 de no­vembro de 1948. Depois de estudar Engenharia até ao 4º ano do curso, tornou-se funcionário da Central do Brasil, aposentando-se como Agente de 1ª classe. Poeta e jornalista, colaborou em várias revistas e jornais.

Carta ligeira

Meu Lasneau, não é bilhete,
Não é oficio, nem ata.
É o coração que desata
Meus pesares num lembrete.
1
Lasneau amigo, esta choça,
Onde a carne, breve, passa,
Cheia de lama e fumaça,
É minúscula palhoça.

A Terra, ante o sol da Graça,
É feio talhão de roça,
Detendo por balda nossa
Descrença, guerra e cachaça.

Agora é que entendo isso,
Mas é triste a fé sem viço
Que o sepulcro impõe à pressa...

Espere sem alvoroço,
Além da prisão de osso,
A vida real começa.
2
Oh! meu caro, se eu pudesse
Dizer tudo o que não disse,
Sem a velha esquisitice
Que inda agora me entontece!

Entretanto, é clara a messe
Da sementeira de asnice.
Perdi tempo em maluquice
E o tempo me desconhece.
É natural que padeça
A minha pobre cabeça
Perante a Luz, face a face.

Não me olvide em sua prece,
Desejo que a luta cesse,
Que a coisa melhore e... passe.
Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 22:52

AMILTON LELO O CANCIONEIRO APAIXONADO BIOGRAFIA

Sábado, 30.06.12

BIOGRAFIA


AMILTON LELO O CANCIONEIRO APAIXONADO 



Pedro Amilton Vieira (Amilton Lelo), nasceu em Rio Verde, no estado de Goiás.
Iniciou a carreira cantando em dupla, usando o pseudônimo de "Romancinho", formando a dupla "Romancinho e Roxito". Gravou um disco 78 RPM no selo Astor. Com a dupla "Romancinho e Rosenito" gravou pela Califórnia um compacto simples com as músicas "Prendinha Querida" e "Negra Solidão". Sua última tentativa em cantar de dueto foi com sua esposa legítima, da qual era separado, "Romancinho e Roselinda". 
Depois seguiu carreira solo, gravando canções apaixonadas. Ficou conhecido nacionalmente como "O Cancioneiro Apaixonado".
Foi assasinado em Goiânia (Jardim América), em 1985, por um irmão da mulher(a quem diz que foi pela cunhada)amilton lelo foi extremamente apaixonado pela mulher que com a separaçao se tornou o maior cantor apaixonado a viver as propias musicas que cantava tendo este triste fim mas ate hoje e sinomino de paixao e todos aqueles que tem no peito um amor nao correspondido concertesa conheçe as musicas de amilton lelo e sua triste historia com quem ele mantinha um relacionamento.
Amilton está sepultado no cemitério de Goiânia, na galeria dos artistas, e recebe uma legião de fãs todos os anos.



uma musica de amilton mendes em homenagem a a amiltonn leloAdeus Saudoso Amilton Lelo Amilton Mendes
Adeus saudoso Amilton Lelo
Obrigado por suas canções
Gosto muito dos teus boleros
Para mim vão ser sempre recordações
Você cantou violão apaixonado
Você cantou poemas para Lilia
Cantou também a montanha maior do mundo
Você cantou a canção da Keila

E hoje você está no céu
Cantando com os anjos amém
E eu aqui na terra
Canto suas musicas também
Adeus saudoso Amilton Lelo
Lá no céu você feliz está
Junto com meu querido papaizinho
Neste momento talvez a cantar

Adeus saudoso Amilton Lelo
Muito obrigado pelos seus lindos poemas
E suas maravilhosas canções


http://www.vagalume.com.br/amilton-mendes/adeus-saudoso-amilton-lelo.html#ixzz27v4BeVCG

pesquisando na internet sobre amilton lelo este cantor apaixonado que eu na realidade gosto muito pois tambem sou um ser apaixonado por alguem que nao ...........a deixa pra la vamos ao que quero dizer encontrei um saite onde fans do cantor postarao fraguimentos sobre o cantor mas nada e oficialm mas a sinceridade de amor pelo cantor me faz crer que  que o que dizem e verdade  vale a pena conferir o sis comentarios do site voces verao a tristesa de todos nos que somos fans de amilton lelo em nao ter nenhuma informaçao a respeito de sua vida e o que realmente aconteceu de fato com o cantor estamos todos na esperança de algun dia seus familiares nos dar informaçao para que assim sabermos um pouco mais sobre nosso amado idolo e assim demostrarmos a sua familia o nosso amor pelo cantohttp://musicadasantigas.blogspot.com.br/2007/07/amilton-lelo-as-boas-de-amilton-lelo.html
um dos comentarios do sitePedro Amiltom Vieira Cabral conhecido como (Amiltom Lelo)'' nascido:12.07.1939 '' Cantor goiano,com alguns resquícios da estética da Jovem Guarda.
Fundamentalmente, suas canções - quase todas composições próprias - falam de amor, e foram gravadas por boa parte dos cantores de peso do gênero.
faleceu no dia 06 de julho de (1979 ?1985?) assasinado a tiros pelo irmão de sua namorada pois era divorciado de sua legítima esposa. Amiltom recebeu varios tiros e ainda entrou em seu carro e dirigiu a procura de um hospital,mas infelizmente bateu em um cruzamento proximo do hospital neurologico para onde foi levado e faleceu algumas horas depois.Seu assasino nunca foi preso apesar de todos saberem quem foi,a familia entregou tudo nas mãos de Deus.
Amiltom foi sepultado no jardim das palmeiras qd.D num. 285 e recebe uma legião de fãs todos os anos.


  
r
eu tambem faço aqui meu apelo a todos que   assessarem esta postagen concertesa porque tambem e fa de amilton lelo eu sou,e esta nao e apenas uma materia a mais do meu blog eu realmente gosto de amilton lelo gostaria muito de ter mais informaçoes a respeito dele faço um apelo vamos usar as redes sociaias pedindo isto se todo mundo usar a internete tenho certesa um dia vamos saber tudo e uma vergonha que a midia ate hoje nao nos deu esta alegria de prestando uma homenagem a este cantor por o esquecerao porque estao querendo apagalo da musica popular brasileira cade a homenagen e o respeito que ele merece,familia do artista e amado amilton lelo por favor dividao conosco queremos conhecelo melhor  eu particularmente sinto ele como um irmao que nunca conheci mas sei que apesar de falecido ainda existe.


DISCOGRAFIA DE AMILTON LELO 
COMPACTOS 
O CANCIONEIRO APAIXONADO - 1975 - CHORORÓ - CDC-1053 

01) Montanha Maior do Mundo - Amilton Lelo
02) Onde Estás - Amilton Lelo
03) Vou Vender Meu Coração - Amilton Lelo
04) Volte Meu Grande Amor - Amilton Lelo 

AMILTON LELO 

01) Eu Preciso de Você - Amilton Lelo
02) Casinha Pobrezinha - 
Amilton Lelo
03) Boa Noite, Amor de Minha Vida -
04) Ontem eu Chorei Demais -
 

LPs e CDs 
TE QUERO SÓ PRA MIM - CHORORÓ - LPC-061 

01) Vou Vender Meu Coração - Amilton Lelo
02) Sem Você Eu Não Sou Gente - Amilton Lelo
03) Quero-te Só Pra Mim - Amilton Lelo
04) Eu Serei o Exemplo - Amilton Lelo
05) Eu Não Tenho Medo da Morte - Amilton Lelo
06) Será Possível - Amilton Lelo
07) Adeus Meu Grande Amor - Amilton Lelo
08) Onde Estás - Amilton Lelo
09) Instante do Meu Bem - Amilton Lelo
10) Adeus - Amilton Lelo
11) Para que Orgulho - Amilton Lelo
12) Keila - Amilton Lelo 

AS DOZE MAIS APAIXONADAS DE AMILTON LELO - 1975 - CHORORÓ - LPC-127 
 
01) Montanha Maior do Mundo - Amilton Lelo
02) Não Consigo lhe Esquecer - Amilton Lelo
03) Não Quero que Ninguém Sofra Por Mim -Amilton Lelo
04) Você Precisa Ser Minha - Amilton Lelo
05) Você Nem me Disse Adeus - Amilton Lelo e Vicente Dias da Costa
06) Jamais Serei Feliz - Amilton Lelo
07) Volte Meu Grande Amor - Amilton Lelo
08) Quero Morrer nos Seus Braços - Amilton Lelo
09) Não Vou lhe Atender - Amilton Lelo
10) Sou o Homem Mais Infeliz do Mundo -Amilton Lelo
11) Dois Amigos Apaixonados - Amilton Lelo
12) Adeus Meu Grande Amor - Amilton Lelo 

ÁGUAS CRIMINOSAS - 1976 

01) Nossa Despedida - Amilton Lelo
02) Não Consigo me Conformar -
 Amilton Lelo
03) Pensando em Outro Alguém -
 Amilton Lelo
04) Esta Noite Eu Não Vou Dormir -
 Amilton Lelo
05) Nosso Amor Não Morreu -
 Amilton Lelo
06) Será Possível -
 Amilton Lelo
07) Águas Criminosas -
 Amilton Lelo
08) Jamais Perdoarei -
 Amilton Lelo
09) Passado, Presente e Futuro - 
Marrequinho e Odaés Rosa
10) Não Desejo Mal a Ninguém -
 Amilton Lelo
11) Meu Único Amor -
 Amilton Lelo
12) Adeus Meu Grande Amor -
 Amilton Lelo 

MEU SORRISO TAMBÉM É TRISTE - 1977 - SOM/COPACABANA - SOLP-40775 

01) Corpos Separados - Amilton Lelo
02) Desocupe a Minha Cama - Amilton Lelo
03) Vontade Louca - Amilton Lelo
04) Violão Apaixonado - Amilton Lelo
05) Meu Sorriso Também é Triste - Amilton Lelo
06) Adeus Amor - Amilton Lelo
07) Lília - Amilton Lelo
08) Nem o Desquite Vai me Fazer lhe Esquecer -Amilton Lelo
09) Cama Vazia - Amilton Lelo
10) Boa Noite Meu Benzinho - Amilton Lelo
11) Criança Capacitada - Amilton Lelo
12) Não Quero Ver Você Sofrendo - Amilton Lelo e Vicente Dias da Costa 

SÓ VOU AMAR A MINHA SOMBRA - 1978 - SOM/COPACABANA - SOLP-40812 

01) Só Vou Amar a Minha Sombra - Amilton Lelo
02) Maldita Hora - Amilton Lelo e Vicente Dias
03) Amor de Criança - Amilton Lelo e Sílvio Heleno
04) Vou Tentar lhe Esquecer - Amilton Lelo e Audilar
05) Meu Destino é Tão Ruim - Amilton Lelo
06) Canção em Homenagem - Amilton Lelo
07) Rio Criminoso - Amilton Lelo
08) Presente Para Mamãe - Amilton Lelo
09) Não Vamos Mais Brigar - Amilton Lelo
10) Tenho Certeza - Amilton Lelo
11) Volte Pra Mim - Amilton Lelo
12) Drama Triste da Vida - Amilton Lelo 

O CANCIONEIRO APAIXONADO- 1979 - COPACABANA - COELP-41186 

01) Covardia - Amilton Lelo
02) O Beijo da Despedida - Amilton Lelo
03) Barulho da Chuva - Amilton Lelo e Doninho
04) Não Posso Amar Você - Amilton Lelo
05) Eu Tenho Medo - Amilton Lelo
06) Inferno da Vida - Benedito Seviero, Tomás e Barrerito
07) Problema de Famíllia - Ronaldo Adriano e Amilton Lelo
08) Recanto de Tristeza - Amilton Lelo
09) Minha Cama é um Galho de Mangueira -Amilton Lelo
10) Não me Pergunte as Horas - Amilton Lelo e Ismair Vieira
11) Vida Noturna - Amilton Lelo, Duduca e Arlindo Moniz
12) Vai Sofrer Você e Eu - Amilton Lelo e Vicente Dias
13) Solidão - Amilton Lelo 

O DUETO LINDO - 1981 

01) Passado, Presente e Futuro - Marrequinho e Odaés Rosa
02) Não Desejo Mal a Ninguém - 
Amilton Lelo
03) Vou Embora -
04) Não Consigo me Conformar - 
Amilton Lelo
05) Destino Cruel -
éTão Ruim - 
Amilton Lelo
07) Beijos Gelados -
08) Minha Poesia -
09) Pensando em Outro Alguém -
10) Águas Criminosas - 
Amilton Lelo
11) Eterno Sono -
12) Não Quero que Ninguém Sofra Por Mim -
Amilton Lelo 

AS MAIS QUENTES DE AMILTON LELO 
 
01) Passado, Presente e Futuro - Marrequinho e Odaés Rosa
02) Não Vou lhe Atender -
 Amilton Lelo
03) Para que Orgulho? - 
Amilton Lelo 
04) Dois Amigos Apaixonados -
 Amilton Lelo 
05) Você Nem me Disse Adeus -
 Amilton Lelo e Vicente Dias da Costa
06) Quero Morrer nos Seus Braços -
 Amilton Lelo
07) Águas Criminosas - 
Amilton Lelo
08) Não Desejo Mal a Ninguém -
 Amilton Lelo
09) Eu Serei o Exemplo - 
Amilton Lelo
10) Nosso Amor Não Morreu -
 Amilton Lelo
11) Quero-te Só Pra Mim -
 Amilton Lelo
12) Não Consigo me Conformar -
 Amilton Lelo 

SÓ SUCESSOS DE AMILTON LELO 
 
SÓ SUCESSOS DE AMILTON LELO 
 
AS BOAS DE AMILTON LELO 

01) Eu Preciso de Você - Amilton Lelo
02) Ontem Eu Chorei Demais - 
Amilton Lelo
03) Destino Cruel - 
Amilton Lelo
04) Gostei Tanto de Você- 
Amilton Lelo
05) Ondes Estás -
 Amilton Lelo
06) Sem Você Eu Não Sou Gente -
 Amilton Lelo
07) Boa Noite Amor de Minha Vida - 
Amilton Lelo
08) Casinha Pobrezinha - 
Amilton Lelo
09) Vou Vender Meu Coração -
 Amilton Lelo
10) Noite Triste - 
Amilton Lelo
11) Não Devemos Negar a Verdade - 
Amilton Lelo
12) Não Tenho Medo da Morte - 
Amilton Lelo 

AS 14 MAIS APAIXONADAS 

01) Montanha Maior do Mundo - Amilton Lelo
02) Não Consigo lhe Esquecer - Amilton Lelo
03) Você Precisa Ser Minha - Amilton Lelo
04) Volte Meu Grande Amor - Amilton Lelo
05) Não Quero que Ninguém Sofra Por Mim -Amilton Lelo
06) Você Nem me Disse Adeus - Amilton Lelo
07) Jamais Serei Feliz - Amilton Lelo
08) Quero Morrer nos Seus Braços - Amilton Lelo
09) Adeus Meu Grande Amor - Amilton Lelo
10) Meu Sorriso Também é Triste - Amilton Lelo
11) Não Vou lhe Atender - Amilton Lelo
12) Sou o Homem Mais Infeliz do Mundo -Amilton Lelo
13) Dois Amigos Apaixonados - Amilton Lelo
14) Não Quero Ver Você Sofrendo - Amilton Lelo 

SELEÇÃO DE OURO - 20 SUCESSOS 

01) Gostei Tanto de Você- Amilton Lelo
02) Ontem Eu Chorei Demais -
 Amilton Lelo
03) Eu Preciso de Você - 
Amilton Lelo
04) Noite Triste -
 Amilton Lelo
05) Adeus Meu Grande Amor -
 Amilton Lelo
06) Montanha Maior do Mundo -
 Amilton Lelo 
07) Só Vou Amar a Minha Sombra -
 Amilton Lelo
08) Não Consigo lhe Esquecer -
 Amilton Lelo
09) Destino Cruel -
 Amilton Lelo
10) Não Posso Amar Você-
 Amilton Lelo
11) Covardia -
 Amilton Lelo
12) Vou Vender Meu Coração -
 Amilton Lelo
13) Você Precisa Ser Minha - 
Amilton Lelo
14) Volte Meu Grande Amor -
 Amilton Lelo
15) Não Vamos Mais Brigar -
 Amilton Lelo
16) Passado, Presente e Futuro - 
Marrequinho e Odaés Rosa
17) Meu Destino é Tão Ruim - 
Amilton Lelo
18) Onde Estás 
- Amilton Lelo
19) Meu Sorriso Também é Triste -
 Amilton Lelo
20) Não Consigo me Conformar - 
Amilton Lelo 

QUE SAUDADE! AS MAIS SAUDOSAS DE ANILTON LELO 

01) Boa Noite Amor de Minha Vida - Amilton Lelo
03) Vou Vender Meu Coração -
 Amilton Lelo
04) Meu Único Amor -
 Amilton Lelo
05) Passado, Presente e Futuro - 
Marrequinho e Odaés Rosa
06) Quero-te Só Pra Mim -
 Amilton Lelo
07) Não Quero que Ninguém Sofra Por Mim -
Amilton Lelo
08) Nossa Despedida -
 Amilton Lelo
09) Quero Morrer nos Seus Braços -
 Amilton Lelo 
10) Sou o Homem Mais Infeliz do Mundo -
Amilton Lelo 
11) Onde Estás 
- Amilton Lelo
12) Jamais Serei Feliz -
 Amilton Lelo
13) Para que Orgulho - 
Amilton Lelo
14) Não Consigo lhe Esquecer -
 Amilton Lelo 
15) Adeus Meu Grande Amor -
 Amilton Lelo
16) Volte Meu Grande Amor -
 Amilton Lelo 

GRANDES SUCESSOS 

01) Gostei Tanto de Você- Amilton Lelo
02) Ontem Eu Chorei Demais -
 Amilton Lelo
03) Eu Preciso de Você - 
Amilton Lelo
04) Noite Triste -
 Amilton Lelo
05) Adeus Meu Grande Amor -
 Amilton Lelo
06) Montanha Maior do Mundo -
 Amilton Lelo 
07) Só Vou Amar a Minha Sombra -
 Amilton Lelo
08) Não Consigo lhe Esquecer -
 Amilton Lelo 
09) Destino Cruel -
 Amilton Lelo
10) Não Posso Amar Você-
 Amilton Lelo
11) Covardia -
 Amilton Lelo
12) Vou Vender Meu Coração -
 Amilton Lelo
13) Você Precisa Ser Minha - 
Amilton Lelo
14) Volte Meu Grande Amor -
 Amilton Lelo
15) Não Vamos Mais Brigar -
 Amilton Lelo
16) Não Consigo me Conformar -
 Amilton Lelo
17) Meu Destino é Tão Ruim - 
Amilton Lelo
18) Onde Estás 
- Amilton Lelo
19) Meu Sorriso Também é Triste -
 Amilton Lelo
20) Passado Presente e Futuro - 
Marrequinho e Odaés Rosa
 




Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 18:58

O QUE E CANCER DE PELE

Sábado, 30.06.12

Câncer de pele

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
saiba o que e previna-se
Cancro da pele
Classificação e recursos externos
Melanoma4.jpg
No Brasil ocorrem cerca de 120mil casos por ano, representando uma incidência de 61 casos para cada 100.000 habitantes Câncer de pele (português brasileiro) ou Cancro da pele (português europeu)é um crescimento desordenado de células na pele, que pode ter várias causas, sendo um dos principais longos períodos de exposição aos raios ultravioletaintensos do Sol ou de cabines de bronzeamento artificial. É o tipo mais comum de câncer correspondendo a cerca de 25% de todas as lesões neoplásicas.
O câncer de pele é um tumor formado por células da pele que sofreram alterações e multiplicaram-se de maneira desordenada e normal dando origem a um novo tecido, a neoplasia. Entre as causas que predispõe ao início desta transformação celular aparece como principal agente a exposição prolongada e repetida à radiação ultravioleta do Sol. Outras causas possíveis incluem radiação ionizante, intoxicação por produtos do alcatrão(como por cigarro) e arsênicos e também por danos causados pela baixa imunidade.

Classificação

Câncer
Descrição
Ilustração
Carcinoma basocelular
Possui translucência pérola, com minúsculos vasos sanguíneos na superfície e às vezes ulceração. O mais comum (75% dos casos) e menos agressivo. Quase sempre aparece no rosto, pescoço ou braços pois são áreas altamente expostas a luz solar. Os carcinomas basocelular são originários da epiderme e dos apêndices cutâneos acima da camada basal, como os pêlos, por exemplo. Possui altos índices de cura, principalmente devido à facilidade do diagnóstico precoce.
Basal cell carcinoma3.JPG
Carcinoma de células escamosasou espinalioma
Comumente se apresenta como uma área vermelha, com crostas ou escamosa ou inchada. Muitas vezes, um tumor de crescimento rápido que pode ser doloroso. Cerca de 25% dos casos. Assim como o basocelular geralmente não se espalha para outras áreas do corpo. É de fácil diagnóstico e por isso tem altos índices de cura.
Squamous Cell Carcinoma1.jpg
Doença de Bowen
Doença de Bowen é um carcinoma in situde células escamosas cutâneas, pertencente ao grupo dos tumores não-queratinizados. Geralmente ocorre em mulheres depois dos 50 anos. Pode causar queimação, prurido e/ou sangramento. Caracterizado por placa avermelhada bem delimitada, espessamento e irregularidade da pele; lesão geralmente vegetante, de crescimento lento. Pode ser assintomática.
Bowen11.jpg
Melanoma
A aparência comum é de uma área assimétrica, com bordas irregulares, variação de cor e frequentemente maior que 6 mm de diâmetro. Representa cerca de 5% dos casos de câncer de pele. A incidência tem aumentado cerca de 4 a 6% anualmente. É mais comum em mulheres entre 30 e 79 anos de idade e em indivíduos de cor branca. Quanto menor e menos espesso melhor as chances de cura.
Melanoma.jpg
Sarcoma de Kaposi
O tipo clássico ocorre com mais frequência em homens mais velhos caucasianos(brancos) com problemas imunológicos. Pode estar associado a um tipo de vírusda herpes (KSHV) (herpesvirus humano 8 [HHV8]) ou/e ao vírus do HIV é encontrada em tecidos em quatro formas diferentes (clássico,iatrogênica, endêmicas[Africano] e associada ao HIV).
Kaposi's Sarcoma.jpg
Dermatofibrosarcoma protuberante
Protuberância que segue crescendo descontroladamente deformando e danificando as regiões próximas. Aproximadamente 0,01% dos tumores malignos e cerca de 2 a 6 por cento de todos os sarcomas em tecidos moles. A incidência estimada é de 0,8 a 5 casos por 1 milhão de pessoas por ano,5-9, que é cerca de 1.000 novos casos por ano nos Estados Unidos. A incidência entre os negros (6,5 milhões) é quase o dobro que entre os brancos (3,9 por milhão). Geralmente acomete pacientes entre 20 e 50 anos de idade, embora tenha sido descrito em crianças e em idosos.
Carcinoma de células de Merkel
O carcinoma de células de Merkel é uma neoplasianeuroendocrina rara, agressiva e com mau prognóstico. Aparece geralmente na cabeça, pescoço e extremidades. Mais comum em idosos, pessoas de pele clara e em portadores de HIV. É caracterizado por grandes elevações na pele, nódulos dérmicos, duros, não ulcerados, com tons que variam do castanho-avermelhado ao arroxeado e que pode sangrar facilmente. Seu crescimento é rápido, variando de 0,5 a 5 cm de diâmetro. É confirmada através de histopatologia e imunohistoquímica. É tratado com radio e quimioterapia. Segundo a OMS, sua prevalência é de 0,23 para cada 100.000 habitantes. Em 2008 houve cerca de 3000 casos no Brasil.
Merkel cell cancer.jpg

Prevalência

Os vários tipos de câncer de pele representam juntos cerca de 60% de todos os tipos de cânceres, em ambos os sexos, mas apenas 3% das mortes. Cerca de 75% das mortes por câncer de pele são causadas por melanoma.
A estimativa brasileira do Instituto Nacional do Câncer INCA é de que ocorram mais de 100 mil novos casos por ano no Brasil. Estes valores correspondem a um risco estimado de 60 casos novos a cada 100 mil homens e 62 para cada 100 mil mulheres.Um terço dos pacientes tem histórico familiar de câncer de pele.
Ao contrário dos outros cânceres que ocorrem na maioria dos casos em pessoas acima de 70 anos, os carcinomas na pele são comum também entre os 20 aos 35 e afeta também crianças e adolescentes. A grande maioria de suas vítimas são caucasianos(brancos), sendo mais comum em países tropicais como Brasil,África do Sul e Austrália. O número de diagnósticos de melanomas vêm aumentando nos últimos 40 anos .

  • Exposição excessiva aos raios ultravioleta (tanto UVA quanto UVB) podem causar câncer de pele, quer pelo Sol ou por bronzeamento artificial.
  • Fumar tabaco e produtos afins pode dobrar o risco de câncer de pele.
  • As feridas crônicas que não cicatrizam, especialmente queimaduras conhecidas como Úlceras de Marjolin, podem evoluir para carcinoma de células escamosas.
  • A predisposição genética, incluindo para desenvolvimento de melanócitos.
  • O papiloma vírus humano (HPV) está freqüentemente associado com carcinoma de células escamosas na genitália, ânus, boca, faringe, e os dedos.
  • A irradiação de ultravioleta como germicida pode causar câncer de pele.
  • Áreas que já tiveram problemas de pele como irritações regulares, úlcera angiodérmica, cicatrizes de queimadura e exposição a certos produtos químicos (como arsênico) tem mais chance de desenvolverem um câncer. Intoxicação com arsênicoestá associado a um aumento da incidência de carcinoma de células escamosas.
  • Pessoas portadoras de xerodermia pigmentosa, uma deficiência genética que impede o reparo dos danos causados pelo raio ultravioleta, são muito mais propensas a desenvolver algum tipo de câncer de pele.

Prevenção

O filtro solar deve proteger contra UVA e UVB e ser repassado de hora em hora.
A melhor maneira de evitar sua manifestação é:
  • Evitar a exposição ao sol no período das 10h às 16h.
  • Mesmo durante o horário adequado é necessário utilizar a proteção adequada (chapéu, guarda-sol, óculos escuros).
  • Filtro solarque proteja contra raio ultravioletaA e B com fator de proteção 15 ou mais.
  • Repassar o filtro solar de acordo com o escrito no produto.
  • Usar manga comprida, calça, viseira e outras roupas que protejam a pele do Sol.
  • Não fumar. Fumantes tem duas vezes mais chance de ter câncer.
  • Usar sempre camisinha! Doença de Bowen, Sarcoma de Kaposi e Carcinoma de Merkel são mais comum em pacientes imunodeprimidos por HIVe contaminados com HPV.
Pessoas que trabalham embaixo de Sol regularmente (como vendedores de rua, pedreiros, marinheiros, agricultores e policiais) devem usar chapéu, guarda-sol,óculos escuros). Empresas que demandam que os funcionários fiquem várias horas ao Sol devem fornecer esse equipamento de proteção aos funcionários.
Janelas normais não protegem contra os efeitos danosos do Sol, então motoristas e passageiros também devem usar filtro solar regularmente.
A auto-inspeção da pele por alterações pode ajudar a identificar manchas novas suspeitas. Caso identifique uma mancha que esteja aumentando, mude de cor e/ou maior que 4mm de surgimento rápido, deve-se procurar um dermatologistaimediatamente. (Como fazer o auto-exame:

Histopatologia

Carcinoma basocelular
Carcinoma escamoso oral
Tumor granular celular
Melanoma maligno
Metástase de melanoma no lobo occipital
Análise citológica do melanoma (em azul) no sangue (em vermelho)
Doença de Bowen
Angiosarcoma cutâneo
Dermatofibrosarcoma protuberante
Sarcoma de Kaposi
de células de Merkel

Tratamento



A cirurgia é o tratamento mais usado para a remoção de tumores. E a maioria dos pacientes se cura completamente.
Melanoma em formato nodular (15-30% dos melanomas), são os de pior prognóstico pois tem crescimento em profundidade mais rápido que o melanoma mais plano.
O tratamento depende do tipo de câncer, a localização do câncer, idade do paciente, e se o câncer é primário ou um retorno. Deve-se olhar para o tipo específico de câncer de pele (carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular ou melanoma) de interesse, a fim de determinar o tratamento adequado exigido. Por exemplo, no caso de um homem idoso frágil, com problemas médicos múltiplos complicador, com carcinoma basocelular de difícil acesso do nariz podem justificar a terapia de radiação (taxa de cura ligeiramente inferior) ou mesmo não intervir na área. Quimioterapia tópica pode ser indicado para o carcinoma de grandes células basais superficiais para um bom resultado estético, ao passo que podem ser inadequados para o carcinoma invasivo nodular basais ou carcinoma de células escamosas invasivo. Em geral, o melanoma é pouco sensível à radiação ou quimioterapia.
Para tumor de baixo risco, a radioterapiaexterna ou braquiterapia, quimioterapia tópica (com imiquimod e 5-fluorouracil) e crioterapia (congelamento do cancro desligado) pode proporcionar um controle adequado da doença; ambos, no entanto, pode ter cura em geral inferior taxas de certo tipo de cirurgia. Outras modalidades de tratamento como a terapia fotodinâmica, quimioterapia tópica, eletrodissecção e curetagem pode ser encontrado nas discussões do carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular.
Cirurgia micrográfica de Mohs é uma técnica utilizada para remover o câncer com a menor quantidade de tecido adiposo e as bordas são checados imediatamente para ver se o tumor for encontrado. Isso proporciona a oportunidade de remover a menor quantidade de tecido e proporcionar os melhores resultados cosmeticamente favorável. Isto é especialmente importante para áreas onde o excesso de pele é limitada, como o rosto. As taxas de cura são equivalentes a excisão larga. O treinamento especial é exigido para executar esta técnica. Um método alternativo é CCPDMA e pode ser realizada por um patologista que não estão familiarizados com a cirurgia de Mohs. No caso de metástaseoutros procedimentos cirúrgicos ou quimioterapia podem ser necessárias.
Tratamento da Doença de Bowen
O tratamento é geralmente cirúrgico, por ressecção, realizado por excisão local com amplas margens. Também pode ser realizada vaporização por laser,crioterapia, fototerapia ou quimioterapia. Também pode ser utilizada a quimioterapia posterior à biopsia incisional, com o uso da irradiaçãolocal e braquiterapia. Quando não tratada, a doença de Bowen pode evoluir para um carcinoma espinocelular invasivo, penetrando outras camadas da pele e tecidos vizinhos até espalhar para outros órgãos. A recorrência varia de 16 a 31% no procedimento de ressecção ampla com sobrevivência de 83,3% dos pacientes nos 5 anos após a cirurgia
Novos tratamentos
Cientistas recentemente a realização de experiências sobre o que chamou de immune-priming. Esta terapia ainda está em sua fase inicial, mas tem se mostrado eficaz a ataques de ameaças externas como vírus e também conter o desenvolvimento de cancros da pele. Mais recentemente, pesquisadores têm focado seus esforços no fortalecimento do próprio corpo produzido naturalmente "células T helper", para identificar e conter células cancerosas, ajudando a guiar as células que protegem o organismo. Pesquisadores infundiram pacientes com cerca de 5 bilhões de células T helper sem drogas ou quimioterapia. Este tipo de tratamento se mostrou ser eficaz não ter efeitos colaterais graves e pode mudar a forma como pacientes com câncer são tratados.
Um creme usado para tratar lesões pré-cancerosas da pele também reverte sinais de envelhecimento, um estudo divulgado em Abril de 2009 indicado. Em março de 2010 os acadêmicos da Universidade de Dundee, na Escócia, anunciou que tinha inventado um novo método menos doloroso de tratar a pele câncer, que pode ser administrada a partir de casa.
Vacinas contra o câncer de células escamosas estão sendo desenvolvida na Austrália e já teve sucesso em testes com animais. Também estão desenvolvendo uma vacina contra o melanoma. As células dendríticas autólogas gerada a partir de sangue periférico é um método seguro e promissor no tratamento do melanoma metastático. Porém mais estudos ainda são necessários para demonstrar a eficácia clínica e impacto na sobrevida dos pacientes com melanoma com esse tratamento. 

Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 16:19

JOSE MESSIAS BIOGRAFIA

Sábado, 30.06.12

                                 José Messias
José Messias da Cunha (Bom Jardim de Minas, 7 de outubro de 1928)[  ou José Messias, é compositor, cantor, escritor, músico, radialista, apresentador e produtor de programas de rádio e televisão, além de jornalista, crítico musical e jurado musical em programas de talentos na televisão .
Personagem de destaque expressivo na cultura artística brasileira durante várias décadas, desde a era de ouro do rádio e o início da televisão no país, José Messias representa a história viva dessa convergência de comunicação no Brasil nos séculos XX e XXI.
José Messias nasceu em 7 de outubro de 1928, no Município de Bom Jardim de Minas (MG). Nascido de família pobre, mas extremamente musical (o pai, e o avô eram regentes de banda, o tio era trombonista), ainda jovem começou a compor músicas para blocos de carnaval. Essa verve artística e musical iria acompanhá-lo por toda a sua vida nas múltiplas facetas de expressão.
Mudou-se, mais tarde, para Barra Mansa, e ali aprendeu os ofícios do circo em pequenas companhias locais, havendo atuado, inclusive como palhaço de circo .
Em 1945 seguiu para o Rio de Janeiro — onde viveria por várias décadas — e participou de vários programas de rádio (entre os quais, "Papel Carbono", de Renato Murce). Estudou no Liceu de Artes e Ofícios. Trabalhou, também, durante algum tempo, no comércio, até que foi apresentado ao compositor Herivelto Martins, de quem veio a ser então secretário.
Com esse trabalho e com o relacionamento no meio artístico de então, oportunidades começaram a surgir, e José Messias chegou a substituir Grande Otelo em vários espetáculos. Continuava a compor músicas de Carnaval e, em 1952, conseguiu que fosse gravada a "Marcha do Coça Roça", sua primeira composição, que veio a ser interpretada por Heleninha Costa. Seguiram-se, depois, várias outras interpretações de composições suas, por artistas famosos da época de ouro do rádio brasileiro: Emilinha Borba, Francisco Carlos, Marlene, e Quatro Ases e Um Coringa. Por essa época, escreveu para jornais e revistas.


Em 1954, o então Ministro do Trabalho João Goulart nomeou-o para o Serviço de Recreação Operária  , porém à disposição da Rádio Mauá  , o que lhe permitiu continuar a desenvolver seus atributos musicais.
Em 1955, estreou como apresentador de auditório na Rádio Mayrink Veiga. Por dez anos, ele acumulou o exercício da função pública com as atividades privadas de direção e de apresentação de programas em várias radioemissoras daquela época no Rio de Janeiro (rádios Mundial, Carioca, Metropolitana, Tupi, Guanabara e Nacional). Identificado com a juventude da época, José Messias renovou o cenário musical de então: criou, em conjunto com Carlos Imperial e Jair de Taumaturgo, o marcante movimento de renovação e vanguarda musical que veio a ser a Jovem Guarda. Vanguardista em cultura musical, ele efetivamente lançou ao estrelato muitos cantores, por meio do seu programa "Favoritos da Nova Geração". Figuram entre os mais conhecidos e famosos os artistas Clara Nunes, Jerry Adriani, Roberto Carlos e Wanderley Cardoso, dentre muitos outros. Ainda em 1955, compôs o samba "A mão que afaga", com Raul Sampaio, gravado na Continental, pelos Vocalistas Tropicais.
Em 1956, estreou em discos pela pernambucana Gravadora Mocambo, registrando, de sua autoria e Carlos Brandão, a batucada "Macumbô" e o samba "Deus e a natureza".

Em 1957, gravou na Copacabana os sambas "Ai, ai, meu Deus", de Amorim Roxo e Nelinho e "Vou beber", de sua autoria com Carlos Brandão.
Em 1959, gravou pela Continental o mambo "Você aí", de sua autoria, e o samba "Fim de safra", de Luiz de França e Zé Tinoco. Nesse ano, seu samba "O sono de Dolores", em homenagem a Dolores Duran, que acabara de falecer, foi gravado por Ângela Maria e Mara Silva na Rádio Copacabana.
Em 1960, gravou na Polydor a "Marcha da condução", de sua autoria e "Garoto solitário", de Adelino Moreira, sucesso no carnaval do ano seguinte. Nesse ano, Carlos Augusto gravou seu bolero "Chega".
Em 1961, gravou na Philips, de sua autoria, o rock "Rock do Cauby", e, de Edgardo Luiz e Geraldo Martins, o samba "Amor de verão".
Em 1962, obteve destaque com a "Marcha do Carequinha". Gravou na Rádio Mocambo o chachachá "Garrincha-cha", de Rutinaldo, homenagem ao jogador de futebol Garrincha, do Botafogo do Rio de Janeiro. Nesse ano, seu bolero "Pecador", foi gravado por Silvinho. No começo dessa década, foi um dos radialistas que mais apoiou o movimento ligado ao rock, prestigiando os artistas ligados à Jovem Guarda.
Em 1963, gravou na RGE o "Twist do pau de arara", de Raul Sampaio e Francisco Anísio e o "Cha cha cha do Carequinha", de sua autoria. Ainda gravou na Odeon as marchas "Deus tem mais pra dar", de Valfrido Silva, Gadé e Humberto de Carvalho e "Marcha do pica-pau", de Valfrido Silva e Humberto de Carvalho. Também no mesmo ano, teve a música "Aconteça o que acontecer" gravada pelo Trio Esperança.
Em 1969, gravou a música "Terreiro de outro rei", de sua autoria no LP "O fino da roça", de Jackson do Pandeiro. Atuou também nas TVs Tupi, Continental, Rio e Excelsior. Na TV Tupi, participou dos programas Flávio Cavalcanti e "A Grande chance". No SBT, de São Paulo, participou, desde o ano 2000, do Programa Raul Gil, bem como teve atuação muito permanente nas mais diversas emissoras da radiofonia carioca, especialmente a Rádio Nacional do Rio de Janeiro.
Em 2000, teve a música "Travesseiro" relançada na voz de José Ricardo, no CD "José Ricardo - Serenata Suburbana", do selo Revivendo.
Em 2002, produziu o CD "Seleção Nota 10 De José Messias" pela Warner.
       Compositor

Compositor desde a juventude, José Messias é sócio honorário da Sociedade Brasileira de Autores, Compositores e Escritores de Música (SBACEM). É autor de mais de duzentas composições. Algumas delas foram gravadas por grandes nomes da MPB, entre artistas e grupos musicais, como: Ângela Maria, Caetano Veloso, Cauby Peixoto, Clara Nunes, Dircinha Batista, Emilinha Borba, Jair Rodrigues, José Ricardo, Linda Batista, Marisa Monte, Nelson Gonçalves, Pery Ribeiro, Quarteto em Cy, Roberto Carlos, Sílvio César, entre outros.

Da esquerda para a direita : Wilton Franco, Maurício Sherman, José Messias, Antonio Bello, eu, Carlos Renato, Flavio Cavalcanti Jr., Humberto Reis, José Mandarino e Brochado.

       Rádio e Televisão

José Messias foi, também, apresentador e diretor em várias emissoras de Rádio e de Televisão do Rio de Janeiro. Como tal, dirigiu Flávio Cavalcanti, Aírton Rodrigues e Lolita Rodrigues entre outros.
                                                           "A Grande Chance"
Na década de 1970, enquanto ainda trabalhava na rádio, ingressou também nas duas principais emissoras de televisão cariocas: as de então TV Tupi e TV Rio. Veio, assim, pouco depois, a compor o júri musical mais importante da televisão brasileira da época, no então famoso programa "A Grande Chance", apresentado por Flávio Cavalcanti.
Conforme relato do jornalista, radialista e estudioso da música popular brasileira, Osmar Frazão, a última formação do programa "A Grande Chance" contou com a participação dos seguintes jurados: Umberto Reis, Erlon Chaves, Osmar Frazão, Artur Faria, Cidinha Campos ( depois retornou Márcia de Windsor), Carlos Renato, Jorge Mascarenhas, além de José Messias, sendo que Osmar Frazão entrou para substituir Sérgio Bittencourt, que ficou uma temporada em São Paulo. Por tal razão, Osmar Frazão, nesse programa, foi batizado por Flávio Cavalcanti de "A Enciclopédia da Musica Popular Brasileira ". Foi, ainda, Osmar Frazão a convidá-lo como apresentador do programa denominado "A Hora dos Calouros" na Rádio Nacional, nesse tempo, eu era Diretor Geral da Radio Nacional do Rio de Janeiro no período de 1995 até 2003.


José Messias foi, também, apresentador e diretor em várias emissoras de Rádio e de Televisão do Rio de Janeiro. Como tal, dirigiu Flávio Cavalcanti, Aírton Rodrigues e Lolita Rodrigues entre outros.
                                                           "A Grande Chance"
Na década de 1970, enquanto ainda trabalhava na rádio, ingressou também nas duas principais emissoras de televisão cariocas: as de então TV Tupi e TV Rio. Veio, assim, pouco depois, a compor o júri musical mais importante da televisão brasileira da época, no então famoso programa "A Grande Chance", apresentado por Flávio Cavalcanti.
Conforme relato do jornalista, radialista e estudioso da música popular brasileira, Osmar Frazão, a última formação do programa "A Grande Chance" contou com a participação dos seguintes jurados: Umberto Reis, Erlon Chaves, Osmar Frazão, Artur Faria, Cidinha Campos ( depois retornou Márcia de Windsor), Carlos Renato, Jorge Mascarenhas, além de José Messias, sendo que Osmar Frazão entrou para substituir Sérgio Bittencourt, que ficou uma temporada em São Paulo. Por tal razão, Osmar Frazão, nesse programa, foi batizado por Flávio Cavalcanti de "A Enciclopédia da Musica Popular Brasileira ". Foi, ainda, Osmar Frazão a convidá-lo como apresentador do programa denominado "A Hora dos Calouros" na Rádio Nacional, nesse tempo, eu era Diretor Geral da Radio Nacional do Rio de Janeiro no período de 1995 até 2003.


Festa da gravadora RCA Victor  1981
De pé: Vartivar Tchirintchian e José Messias
                 Apresentador
Em 1972, transferiu-se para a TV Bandeirantes e o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), e então produziu e dirigiu o "Clube dos Artistas", então apresentado pelo casal Aírton Rodrigues e Lolita Rodrigues.
Em 1974, criou o quadro "Pra Quem Você Tira o Chapéu", que já foi apresentado por vários artistas. Anos depois, passou o comando a Raul Gil e participa de seu programa desde 1998, como jurado fixo.
No inicio da década de 1980, enquanto ainda integrava a Rádio Nacional, adquiriu emissoras de rádio da Região dos Lagos e do Jornal de Negócios, assumindo, em 1990, a superintendência do Sistema Serramar de Comunicações, que então congregava cinco emissoras. Em 1998, assumiu a tiularidade a Secretaria de Cultura, Educação, Esporte e Lazer de Saquarema.
Em 1966, a Rádio Nacional contratou-o como locutor, apresentador e produtor, onde apresentou, entre outros, o "Show da Cidade", o "Programa José Messias", "A Hora dos Calouros" e "Viva a Jovem Guarda".
                                                                     Jurado musical
Em 2002, convidado pelo também apresentador, compositor e cantor Raul Gil, tornou-se jurado no Programa de Calouro do Raul Gil. De lá até o presente, além da função de jurado ilustre nos vários programas de talentos que têm sido apresentados por Raul Gil, em sucessivas redes de televisão, José Messias tem-se dedicado ao resgate da memória do rádio e da televisão brasileiros.

         
Escritor

José Messias da Cunha é membro da Academia Nacional de Letras e Artes[8]. Recentemente, lançou seu primeiro livro, "Sob a Luz das Estrelas: Somos uma Soma de Pessoas". Na obra, ele apresenta a história de sua vida e carreira, bem como exibe um valioso retrospecto da história do Rádio e da Televisão no Brasil, história da qual é co-protagonista.
                Obra artística

A mão que afaga (com Raul Sampaio)
Aconteça o que acontecer
Cha cha cha do Carequinha
Chega
Dança do coça-coça
Deus e a natureza (com Carlos Brandão)
Dorme
Empresta o Teu Sorriso
Macumbô (com Carlos Brandão)
Marcha da condução
Marcha do Carequinha
Maria carnaval
O sono de Dolores
Pecador
Terreiro de outro rei
Travesseiro
Trenzinho de brinquedo-piuí
Você ai
Vou beber (com Carlos Brandão)
Madrugada e amor
           Discografia

(1956) Macumbô/Deus e a natureza • Mocambo • 78 rpm
(1957) Ai, ai, meu Deus/Vou beber • Copacabana • 78 rpm
(1959) Você aí/Fim de safra • Continental • 78 rpm
(1960) Marcha da condução/Garoto solitário • Polydor • 78 rpm
(1961) Rock do Cauby/Amor de verão • Philips • 78 rpm
(1962) Garrincha-cha/Duas mães (PB: Crepúsculo) • Mocambo • 78 rpm
(1962) Maria carnaval/Marcha do carequinha • Philips • 78 rpm
(1962) Trenzinho de brinquedo-piuí/Dorme • Mocambo • 78 rpm
(1963) Deus tem mais pra dar/Marcha do pica-pau • Odeon • 78 rpm
(1963) Twist do pau de arara/Cha cha cha do Carequinha • RGE • 78 rpm
                        Condecorações

José Messias da Cunha foi condecorado com vários méritos, entre diplomas, troféus e medalhas, com especial destaque para:
Cidadão Benemérito da Cidade do Rio de Janeiro
Medalha Tiradentes
Prêmio Noel Rosa (pelo Sindicato dos Compositores)



Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 15:25

O MANIACO DA PRAIA

Sábado, 30.06.12

O Maníaco da Praia
 

 Praia do Cassino, em Rio Grande, litoral do Rio Grande do Sul.


Ao longo dos 80 quilômetros da mais extensa praia do mundo só existe iluminação pública em um pequeno trecho ao redor da estátua de Iemanjá. Casais enamorados aproveitam o escurinho, o embalo romântico do som das ondas do mar e o clima de balneário e fazem da orla da Praia do Cassino, na cidade do Rio Grande, a quatro horas de Porto Alegre, um comprido motel a céu aberto. Em períodos de férias, forma-se uma fila de carros, vidros fechados e embaçados pela respiração excitada dos ocupantes. No verão de 1999, o sossego dos amantes acabou. Entre dezembro e março, cinco casais foram atacados por um homem armado de pistola. Apenas um escapou ileso. Ao todo, sete pessoas morreram. Uma estudante de 14 anos, baleada na nuca e estuprada, sobreviveu, mas ficou tetraplégica.
Em maio de 1999, a polícia ouviu a confissão do homem responsável pela série de assassinatos. O pescador Paulo Sérgio Guimarães da Silva deixou os policiais estarrecidos com o relato dos crimes. Seu objetivo, segundo contou, era superar, em número de mortes, Francisco de Assis Pereira, o maníaco que estuprou e matou dez mulheres no Parque do Estado, em São Paulo, no ano passado. Só não atingiu a meta porque foi preso antes. "O Sul precisava de um maníaco", afirmou, com uma frieza surpreendente. "Eu sou o maníaco do Sul, quero ser mais famoso do que o motoboy paulista." Paulo Sérgio começou a matar inspirado nas notícias a respeito do maníaco do parque, mas, diferentemente de seu ídolo, não violentava as vítimas. A única exceção parece ser a menor B.N.G., a estudante sobrevivente, que contou ter sido estuprada. "Eu ouvia uma voz me mandando matar", conta o rapaz, na época com 29 anos, nascido num vilarejo de praia vizinho a Rio Grande.
Adriana
Pistola na cabeça – Um dos crimes que o maníaco gaúcho relatou à polícia foi o assassinato do vendedor Silvio Luiz Kleinberg, de 36 anos, e da professora Adriana Nogueira Simões, de 28. Silvio era casado e estava viajando a trabalho. Conheceu Adriana no dia 25 de março na cidade de Rio Grande. À noite foram para beira-mar no Corsa bordô do rapaz. Enquanto faziam sexo, o maníaco apareceu por sobre as dunas de vegetação rasteira que rodeiam a praia. Pelo vidro embaçado, apontou uma pistola Taurus 7.65. Identificou-se como policial e mandou o casal colocar as roupas. Em seguida, entrou no carro e sentou no banco de trás com a arma apontada para a cabeça do vendedor. Ao perceber que Silvio o observava pelo retrovisor, irritou-se e quebrou o espelho. Depois ordenou que ele dirigisse até uma estrada de terra. Ali, amarrou as mãos do vendedor com o cadarço do sapato e o colocou no porta-malas. Retornou com o carro à praia e, novamente, fez os dois descer e se deitar na areia. "Pelo amor de Deus, não nos mate", gritavam Adriana e Silvio, segundo o depoimento do assassino à polícia. Foi em vão. Silvio levou três tiros. Adriana, dois.
Silvio



Foi assim, baleados e estirados com o rosto virado para a areia, que a polícia os encontrou na manhã seguinte. Quando os policiais chegaram, um grupo de curiosos se reuniu em volta para acompanhar o trabalho de perícia. Entre eles estava o matador, Paulo Sérgio. Esse é o aspecto mais surpreendente no comportamento do maníaco gaúcho: ele matava basicamente para saborear as notícias e os comentários a respeito de seus crimes. Naquele dia, depois de liquidar Silvio e Adriana, ele chegou à pequena casa de madeira bege que dividia com o irmão e a cunhada ao amanhecer. Tomou banho, lavou as roupas sujas de sangue e ligou o rádio para ouvir as notícias policiais. Soube que a polícia investigava a morte de mais um casal na praia e decidiu ir ao local do crime. Ou melhor, voltar. Ali, incógnito entre os curiosos, acompanhou o trabalho da perícia. Quando os policiais cobriram os cadáveres com sacos de plástico preto, ele chegou a comentar: "Vai ver que o assassino ainda está por aqui". Tudo isso ele próprio contou depois de preso.

                      O corpo de duas das vítimas na areia da praia: numa das perícias, o assassino estava entre os curiosos
Paulo Sérgio, o "motoboy do Sul", teve infância e adolescência marcadas por maus-tratos e uma família desestruturada. "Certa vez, a mãe bateu tanto nele com uma tábua que o menino ficou todo roxo, de molho em uma bacia com água quente", conta a avó Marina Maria Jesus da Silva, 79 anos. A mãe, Neuza Maria Guimarães da Silva, hoje com 51 anos, abandonou a família quando Paulo Sérgio tinha 5 anos. Seu pai, que morreria de câncer dois anos mais tarde, colocou os quatro filhos num internato. Mais novo dos irmãos, Paulo Sérgio ficou na instituição por dois anos, mas não conseguia estudar. Até hoje não sabe nem assinar o nome. Havia alguns traços estranhos no seu comportamento. Fazia exercícios para aumentar os músculos e, quando não estava com os pescadores, passava horas ouvindo rádio e assistindo à TV. Adorava um filme da série Rambo em que o protagonista resgata presos de guerra no Vietnã. Durante algum tempo Paulo Sérgio chegou a usar uma fita na cabeça, calças camufladas e faca amarrada na perna. Uma de suas duas tatuagens mostra um dragão e a palavra "Vietinã", com a grafia incorreta. Ainda assim, a revelação de sua identidade como o assassino, surpreendeu os moradores de Rio Grande. Paulo Sérgio não bebia, não usava drogas e visitava a mãe e a avó regularmente. Às vezes, distribuía balas às crianças.

Com a namorada, Dalva, com quem pretendia casar: um rapaz normal que distribuía balas na vila
A História do maníaco da Praia do Cassino
Paulo Sérgio começou a cometer seus delitos ainda adolescente, época em que trabalhava como engraxate e pescador. Roubava objetos de pouco valor e andava armado. Certa vez, foi flagrado furtando um rádio e uma bússola de um barco por Manoel Jovita Vieira, morador da vila. Denunciado, Paulo Sérgio vingou-se atirando na barriga de Vieira. Foi condenado por tentativa de homicídio e ficou preso sete anos. Saiu em novembro de 1998, quando retomou a vida criminosa, agora como o Maníaco da Praia do Cassino. Ao ser preso, em vez de mostrar arrependimento, vangloriou-se de seus crimes. Contou que, ao assassinar o último casal, tinha uma única preocupação: restavam-lhe apenas nove balas. Era pouca munição para a lista de mais trinta pessoas que pretendia matar nos meses seguintes. A lista incluía o prefeito de Rio Grande, Wilson Branco, B.N.G., sobrevivente de seus ataques na praia, e o radialista Charles Saraiva, que cobre assuntos policiais na cidade e fazia reportagens sobre os crimes na Praia do Cassino. "Gastei algumas balas atirando em leões-marinhos na praia", disse aos policiais.
Para cometer a série de assassinatos na Praia do Cassino, Paulo Sérgio elegeu um tipo específico de vítimas: casais em pleno ato sexual. "São mais fáceis de matar", explicou. "A mulher é mais fraca e a tendência do homem é de não reagir para protegê-la." Em cada crime, o ritual era sempre parecido. Ele saía à noite para passear pela praia. Observava os casais dentro do carro e escolhia os automóveis mais bonitos para abordar. "Eu atacava os mais boyzinhos", diz. Identificada a vítima, aproximava-se rastejando. Na hora de matar, retirava as meias de uma das vítimas e as usava como luvas para não deixar impressões digitais. No primeiro ataque, em dezembro, matou os estudantes Felipe Martins dos Santos, 21 anos, e Bárbara de Oliveira da Silva, 22. "A primeira vez é sempre mais difícil", conta o maníaco. "Depois, é como uma partida de futebol: após fazer um gol, a gente faz dois, faz três..." No segundo, na madrugada de 4 de março, milagrosamente o casal escapou vivo. Eram uma menina de 15 anos e um rapaz de 23, que serviram de testemunhas e cujos nomes a polícia não revela. "Não matei porque não reagiram", explicou Paulo Sérgio. No mesmo mês, ele assassinou ainda Adriana e Silvio (o casal do Corsa bordô), Anamaria Xavier Soares, 31 anos, e Márcio Rodrigues Olinto, 30, e Petrick Castro de Almeida, de 18 anos. Petrick estava com a estudante sobrevivente. Foram as únicas vítimas que não tinham carro. "Eu estava passando por ali, vi eles deitados sem roupa na areia e decidi matá-los", resumiu o assassino.
Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 01:38

John Herber biografia

Sábado, 30.06.12


     John Herbert
John Herbert Buckup (São Paulo, 17 de maio de 1929 — São Paulo, 26 de janeiro de 2011) foi um ator, diretor e produtor brasileiro. Em alguns trabalhos, foi creditado como Johnny Herbert.

                                                                         Biografia

Descendente de alemães, tanto pelo lado materno como pelo paterno, Herbert chegou a se formar em Direito e trabalhar no Departamento de Patentes de uma grande empresa, mas, após seis meses, desistiu e voltou para a carreira de ator.
Foi casado com a atriz Eva Wilma, de 1955 a 1976, e ambos são pais da também atriz, Vivian Buckup. Com Eva Wilma, fez grande sucesso na televisão brasileira nos anos 1950 e 60, com o seriado Alô Doçura.
Outros personagens marcaram a carreira do ator na TV, em novelas e minisséries da Rede Globo e TV Tupi, como O Machão, O Profeta, Plumas e Paetês, Vereda Tropical, Que Rei Sou Eu?, Perigosas Peruas, A Viagem, O Quinto dos Infernos, Cabocla e Sinhá Moça, tendo como um de seus últimos trabalhos o seriado Faça sua História, ao lado de Vladimir Brichta e Paulo Ascenção.
No cinema, foram mais de 60 filmes, contracenando com atores, como Oscarito, Paulo Autran, Grande Otelo, Jardel Filho e Cacilda Becker.
Herbert, que sofria de enfisema pulmonar, morreu em São Paulo no dia 26 de janeiro de 2011, aos 81 anos.


 http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/01/john-herbert-e-um-dos-autores-da-historia-da-tv-diz-diretor.html                                                                    materia anunciando a morte do ator
 (Morreu no começo da tarde desta quarta-feira (26) o ator John Herbert. Ele tinha 81 anos e estava internado no Hospital do Coração desde o dia 5 de janeiro, após apresentar insuficiência respiratória. A causa da morte foi enfisema pulmonar. Seu velório será realizado por volta das 19h nesta quarta em São Paulo, no Museu da Imagem e do Som (MIS).
Uma amiga da família afirmou ao G1 que o corpo do ator deverá ser cremado, mas ainda não foram definidos data e local.
Além de atuar, Herbert também era produtor e diretor. Ele trabalhou em mais de 30 novelas da TV Globo, como "Que rei sou eu" e "Sinhá moça", sendo a sua última "Três irmãs", de 2008. Ele também esteve em "Sete pecados", reprisada no ano passado pelo "Vale a pena ver de novo".
Natural de São Paulo, Herbert interpretou a si mesmo na minissérie "Um só coração" (2004), que prestava uma homenagem à capital paulista, na época comemorando 450 anos. Trabalhou duas vezes em "Malhação": entre 1995 e 1996 fez o personagem Nabuco, enquanto em 2005 viveu o personagem Horácio.
Durante as décadas de 1950 e 1960, Herbert ficou conhecido pela minissérie "Alô, doçura" (de Cassiano Gabus Mendes), em que atuava ao lado de Eva Wilma, sua esposa durante mais de duas décadas (1955-1976). Ele estava casado havia 30 anos com Claudia Librah. Herbert deixa quatro filhos e cinco netos.
Carreira
Antes de ingressar na carreira artística, o ator chegou a estudar Direito em 1949, na Faculdade do Largo São Francisco. Um ano depois estava no Centro de Estudos Cinematográficos, de Ruggero Jacobbi. Ele chegou a se formar na faculdade e a estagiar em um escritório apenas para "dar uma satisfação a sua família".


Apesar de ter seu nome popularmente associado à televisão, Herbert se destacou principalmente no teatro e nos cinemas. A primeira peça de Regina Duarte ("Black out", de 1967) foi produzida por ele. Em 1980, ele dirigiu o filme "Ariella", seu primeiro longa como diretor.
Nessa época passou a se dedicar à TV. Apesar de trabalhar no Rio de Janeiro, sempre fez questão de continuar morando em São Paulo.)

'John Herbert é um dos autores da história da TV brasileira', diz diretor
Ricardo Waddington dirigiu o ator em 'Cabocla', 'Malhação', entre outros.
Ministra da Cultura Ana de Hollanda diz que trabalho dele 'está eternizado'.
Colegas do meio artístico que trabalharam com John Herbert lamentaram a perda do ator, que morreu nesta quarta-feira (26), aos 81 anos, vítima de enfisema pulmonar. Além de atuar, Herbert também era produtor e diretor e participou de mais de 30 novelas da TV Globo, como "Que rei sou eu?" (1989) e "Sinhá moça" (2006), sendo a sua última "Três irmãs", (2008).
Entre seus principais trabalhos, Ricardo Waddington dirigiu Herbet na série Malhação (2005), e nas novelas "O dono do mundo" (1991) e "Cabocla" (2004). "Sempre que eu pude, eu trabalhei com o adorável Johnny. Era uma honra trabalhar com ele. John Herbert é um dos autores da história da TV brasileira", diz o diretor   Para Waddington, o ator trabalhou até onde pode, "sem aposentadoria". "Essa é uma das belezas da profissão do ator: você acompanha sua trajetória até o fim da vida. E com o Johnny foi assim: ele desenvolveu seu ofício até o momento em que a vida permitiu".
Em nota divulgada por sua assessoria, a ministra da Cultura Ana de Hollanda lamentou a morte do ator. "A televisão, o cinema e o teatro não terão mais a presença do grande artista John Herbert, que tanto contribuiu para o desenvolvimento das artes no Brasil", disse ela. "Mas seu trabalho está eternizado ao longo dos mais de 50 anos de carreira. Envio os meus sentimentos aos familiares, aos amigos e todos que acompanharam o seu amor pela profissão."
Serginho Groisman, apresentador do "Altas horas", comentou sobre Herbert no Twitter, citando o seriado que o ator protagonizou ao lado de Eva Wilma nas décadas de 50 e 60. "Ótimo ator, morreu John Herbert.Entre muitos trabalhos fez "Alô Doçura", que foi uma das primeiras séries da TV brasileira" .  



A atriz Lúcia Veríssimo também comentou a perda do ator no Twitter. "Meu primeiro trabalho no cinema foi com John Herbert. Foi quem primeiro acreditou em mim. E foi ele q me deu a personagem cega de 'Blackout' [espetáculo teatral de 1967]. Com 'Blackout' defini que caminho tomar. Agradeço muito a amizade, a delicadeza, as gargalhadas, a cia maravilhosa e o carinho. John Herbert era um produtor q me deu ótimas oportunidades e um grande amigo meu".
O velório do ator acontecerá nesta quarta (26), por volta das 19h, no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo.Herbert era casado com Claudia Librah há 30 anos, deixa quatro filhos - dois do primeiro casamento com a atriz Eva Wilma - e cinco netos.


john herbert em que rei sou eu   Bidet Lambert 

                 Televisão
                        Atuação

Telenovelas John Herbert e Eva Wilma em "Alô, doçura"

2008 - Três Irmãs.... Excelência Gutierrez
2007 - Sete Pecados.... Schmidt
2007 - O Profeta.... Rodrigo César
2006 - Sinhá Moça.... Viriato
2005 - Malhação.... Horácio
2004 - Cabocla.... Vigário Gabriel
2004 - Um Só Coração.... ele mesmo
2002 - Esperança.... Jonathan
2000 - Uga-Uga.... Veludo Herrera
1999 - Tiro e Queda.... Raul
1998 - Serras Azuis (Bandeirantes).... Faria
1997 - Por Amor.... Durval
1995/97 - Malhação.... Nabuco
1994 - A Viagem.... Agenor
1993 - O Mapa da Mina.... Wagner Amaral
1992 - Perigosas Peruas.... Cervantes
1991 - O Dono do Mundo.... Hernandez
1990 - Lua Cheia de Amor.... Urbano
1989 - Cortina de Vidro (SBT).... Felipe
1989 - Que Rei Sou Eu?.... Bidet Lambert
1986 - Mania de Querer.... Jonas
1984 - Caso Verdade, Esperança.... Artur
1984 - Vereda Tropical.... Vilela
1982 - O Homem Proibido.... Alberto
1982 - Campeão.... Nóbrega
1982 - Os Imigrantes - Terceira Geração (Bandeirantes).... Ramon
1982 - O Pátio das Donzelas
1980 - Plumas e Paetês.... Márcio
1980 - Água-Viva.... Jaime
1979 - Gaivotas.... Henrique
1978 - Aritana.... Danilo
1977 - O Profeta.... Heitor
1976 - Sossega Leão
1975 - O Sheik de Ipanema.... Dino
1974 - O Machão.... Mário Maluco
1973 - Divinas & Maravilhosas.... Hélio
1972 - A Revolta dos Anjos
1969 - As Confissões de Penélope
1967 - Sublime Amor.... Eduardo
1965 - Ana Maria, Meu Amor
1965 - Fatalidade
1965 - Comédia Carioca
1964 - Prisioneiro de um Sonho.... Rodrigo
1957 - O Pequeno Lorde.... Capitão Cedric
Minisséries
2002 - O Quinto dos Infernos.... Lobato
1999 - Chiquinha Gonzaga.... Peixoto
1986 - Anos Dourados.... coronel
1982 - Quem Ama Não Mata.... Martinho
                                                   Seriados
2008 - Casos e Acasos.... padre
2008 - Faça sua História.... Mariozinho
2000 - Sai de Baixo (episódio A Noite do Bacalhau) .... Eurico
1954 - Alô, Doçura!
                       Direção
1989 - Cortina de Vidro (SBT).... Filipe
                                    Cinema
                Atuação

1998 - Drama Urbano
1998 - A Hora Mágica
1991 - Per Sempre
1987 - A Menina do Lado
1986 - As Sete Vampiras
1985 - Made in Brazil.... episódio "Um Milagre Brasileiro"
1985 - Os Bons Tempos Voltaram: Vamos Gozar Outra Vez
1984 - Jeitosa, um Assunto Muito Particular
1982 - Retrato Falado de uma Mulher Sem Pudor
1982 - Deu Veado na Cabeça
1982 - As Aventuras de Mário Fofoca
1982 - Amor de Perversão
1982 - Tessa, a Gata
1981 - O Torturador
1980 - O Inseto do Amor
1980 - Bacanal
1980 - Ariella
1980 - O Gosto do Pecado
1979 - O Caçador de Esmeraldas
1978 - Meus Homens, Meus Amores
1978 - A Santa Donzela
1976 - O Quarto da Viúva
1976 - Já Não se Faz Amor Como Antigamente
1975 - Cada um Dá o que Tem
1975 - O Sexo Mora ao Lado
1974 - Delícias da Vida
1973 - Nem Santa, nem Donzela
1973 - A Super Fêmea
1971 - O Capitão Bandeira contra o Dr. Moura Brasil
1970 - Em Cada Coração, um Punhal.... episódios "Transplante de Mãe" e "O Filho da Televisão"
1970 - A Guerra dos Pelados
1970 - A Arte de Amar Bem.... episódio "A Garçonière de meu Marido"
1970 - O Palácio dos Anjos
1970 - Cleo e Daniel
1969 - Helga und die Männer - Die Sexuelle Revolution
1969 - Corisco, o Diabo Loiro
1969 - O Cangaceiro Sanguinário
1968 - Bebel, Garota Propaganda
1967 - O Caso dos Irmãos Naves
1966 - As Cariocas
1966 - Toda Donzela Tem um Pai que É uma Fera
1964 - Der Satan mit den Roten Haaren
1963 - Gimba, Presidente dos Valentes
1962 - Copacabana Palace
1962 - Assassinato em Copacabana
1961 - Por um Céu de Liberdade
1961 - Girl in Room 13
1959 - Maria 38
1958 - E o Espetáculo Continua
1958 - Alegria de Viver
1958 - A Grande Vedete
1957 - Love Slaves of the Amazons
1957 - Dioguinho
1957 - Rio Fantasia
1954 - Floradas na Serra
1954 - O Petróleo é Nosso
1954 - Candinho
1954 - Matar ou Correr
1954 - A Outra Face do Homem
1953 - Uma Pulga na Balança
                                         Direção
1985 - Os Bons Tempos Voltaram: Vamos Gozar Outra Vez
1982 - Tessa, a Gata
1980 - Ariella
1976 - Já Não se Faz Amor Como Antigamente.... episódio "O Noivo"
1975 - Cada um Dá o que Tem.... episódio "Cartão de Crédito"
                Produção
1976 - Já Não se Faz Amor Como Antigamente
1975 - Cada um Dá o que Tem
1968 - Anuska, Manequim e Mulher
1966 - Toda Donzela Tem um Pai que É uma Fera 








do lado esquerdo john hebert e eva wilma nesta epoca estavam namorando
nadialippi | Nádia Lippi 85
nadia lipi e john herbert

carlos augusto strazer john herbert e laert morrone em que rei sou eu
Contador de visitas
计数器
Contador de visitas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 01:29








comentários recentes

  • Anónimo

    Onde encontro em Português para Download?Você teri...

  • Anónimo

    Abracos caipira Barnabe35. 9.91962403

  • Maria Madalena de Oliveira

    Parabéns por seu trabalho e belo texto.No Brasil, ...

  • Anónimo

    Deculpe, não assinei o comentário acima (Muitas sa...

  • Anónimo

    Muitas saudades dessa época memorável (1948), quan...

  • Anónimo

    Tubemate

  • Anónimo

    Não acredito que Lamarca não tenha feito o juramen...

  • Anónimo

    Ass. Nuno m

  • Anónimo

    Meu, o Barnabé tem uma bela historia e UM ENORME T...

  • Anónimo

    Caros Senhores,Gostaria de entrar em contato com o...




subscrever feeds