Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Don Ramón (SEU MADRUGA,A HISTORIA DO PERSONAGEM)

Quarta-feira, 15.05.13

Don Ramón (Seu Madruga)
Don Ramón (no Brasil: Seu Madruga ou ainda Seu Ramón) é um personagem do seriado de televisão humorístico mexicano Chaves.Interpretado por Ramón Valdés, seu sucesso permanece até hoje na televisão brasileira, mais especificamente no SBT.
Na trama, o personagem tem como filha uma garotinha chamada Chiquinha (Maria Antonieta de las Nieves), cuja mãe morreu no seu nascimento. Madruga é sempre injustamente castigado com bofetadas no rosto pela vizinha Dona Florinda (Florinda Meza). Vive fugindo das cobranças de 14 meses de aluguel, feitas pelo Senhor Barriga (Edgar Vivar), dono da vila. Sempre repreende o protagonista, Chaves, por suas travessuras, com cascudos na sua cabeça, porém, não o odeia. Apesar de frequentemente estar de mau humor, é um homem de bom coração, que ama a todos na vila, especialmente as crianças.Ramón Valdés faleceu em 9 de agosto de 1988, devido a um câncer de pulmão que se espalhou pelo corpo e atingiu a sua espinha, e deixa saudades até os dias de hoje. Ainda hoje, o personagem Seu Madruga é cultuado e possui diversas páginas, blogs e comunidades nos sites de relacionamentos Orkut, Facebook, dentre outras tantas, em sua homenagem.


 Descrição  

Mora no apartamento nº 72, com a filha Chiquinha, e deve 14 meses atrasados de aluguel ao proprietário da vila, Senhor Barriga, sempre inventando desculpas para não pagar o aluguel. Às vezes, perde a paciência com as crianças e aplica cascudos em Chaves e beliscões em Quico. Neste caso, sempre que é flagrado por Dona Florinda, leva uma bofetada dela no rosto. Às vezes, ele é acusado por ela, mesmo sem ter feito nada ao garoto.Exerceu diversas atividades, incluindo cabeleireiro, carpinteiro, carregador de lenha, empresário, fotógrafo, agente especializado em compra e venda de artigos para o lar, leiteiro, lutador de boxe, mestre de obras, sapateiro, vendedor de confetes, vendedor de balões e vendedor de churros.


Sua vizinha, Dona Clotilde, conhecida como Bruxa do 71, é apaixonada por ele e, para agradá-lo, costuma fazer bolos e salgadinhos para ele. Normalmente, as guloseimas são visadas e roubadas pelas crianças da vila.
Apesar de na maioria dos episódios o Seu Madruga inventar desculpas para não pagar o aluguel, ele já pagou o aluguel em certos episódios.
Possui por Chaves, um carinho especial, mesmo batendo neste e lhe castigando, mas são como pai e filho e ajuda o menino sempre que pode, como lhe dando comida ou lhe oferecendo abrigo, de partida, o menino também retribui o gesto do velho homem, mas mesmo assim, Chaves acaba vacilando quando deixa o homem irritado por motivos furteis e ignorantes, ou quando delata o mesmo(sem querer), como dizer que já esteve na cadeia, ou já viu revistas proibidas como no episódio "O vale de 1 milhão de cruzeiros".


 Personalidade  

Seu Madruga é tido na faixa dos 50 anos de idade (sua idade é provavelmente estimada entre 45 e 50 anos; uma vez que ele afirmou ter 50 em um episódio, porém, em outro, afirma que "ninguém é velho aos 40 e tantos anos" ao falar de si próprio, deixando claro que ainda não atingiu os 50), e apesar de ser apenas um homem de meia idade, não tolera piadas relativas á sua idade(geralmente feitas pelas crianças). É um homem maduro, porém um tanto preguiçoso e desleixado com sua vida e suas responsabilidades. Vive arranjando bicos para conseguir dinheiro (chegou a ser dito que ele nunca concluiu o colégio), mesmo com a fama de não gostar de trabalhar.



Seu Madruga é visto como um homem bruto e selvagem (como dito pelo seu crítico, Professor Girafales), que perde a paciência com muita facilidade, inclusive com as crianças e especialmente com Chaves. Costuma se envolver em alguns contratempos com outras pessoas, inclusive alguns vizinhos(principalmente Dona Florinda), e sempre tem uma desculpa para escapar dos problemas(muitas vezes verdadeiras e algumas vezes malandragem).

Apesar disso, é um homem que tem muita fé na vida, que tenta manter o bom humor, apesar das más situações que o cercam. Demonstra ter um bom coração e boas intenções, que são notadas por todos ao seu redor.
Relação com outros personagens (na série original e na animada)  
Chaves (El Chavo): Apesar de ser comum desavenças entre os dois, eles possuem uma relação bem amistosa e uma considerável intimidade. É bastante comum ver Chaves na casa de Seu Madruga e também ambos conversando amigavelmente (situações bastante incomuns entre Seu Madruga e Quico), e também são várias as vezes em que Seu Madruga pede favores ao garoto. Quando ocorrem as desavenças, a maneira dele de punir Chaves é sempre socando a cabeça do pobre menino. Em algumas ocasiões, é comum dizer que Seu Madruga e Chaves tem uma relação semelhante a de pai e filho, uma vez em que Seu Madruga, mesmo que não intencionalmente, costuma educar Chaves, por mais que duramente. Seu Madruga foi o primeiro a conhecer Chaves, quando este chegou à vila sem ter para onde ir, ainda bem pequeno.



Quico: Ambos estão frequentemente em conflito, devido a Seu Madruga (mesmo sendo inocente) sempre levar a culpa de tudo que acontece ao garoto e Dona Florinda insistir que seu filho (Quico) não deve se juntar a ele, por considerá-lo uma gentalha. É muito difícil ver os dois em harmonia: Quico sempre está apoiando sua mãe e Seu Madruga não suporta Quico pela falta de inteligência do garoto e por este dizer e fazer muitas bobagens, e várias vezes ele agride Quico apenas por causa disso (por exemplo, quando Quico brinca com sua bola muito perto de Seu Madruga, atrapalhando o homem, quando este está trabalhando ou lendo jornal, e também quando Quico faz a ele uma série de perguntas ridículas, sempre terminando com suas frases "Licença!" ou "Não deu!"). Por ser uma boa pessoa e embora deteste Quico, Seu Madruga sempre o defende quando Chaves ou Chiquinha tentam agredi-lo, mesmo sabendo que Dona Florinda nunca o escuta, e a falta de inteligência de Quico o impede de dizer a mãe que Seu Madruga nunca é o culpado (são raríssimas as vezes em que Quico declara à mãe a inocência de Seu Madruga). A relação mais cômica entre os dois é quando Quico diz sua frase Gentalha, Gentalha! e soca o peito de Seu Madruga. Sua maneira de punir Quico é geralmente através de beliscões. Apesar disso tudo, os dois atores (Villagrán [Quico] e Valdéz [Seu Madruga]) possuíam uma relação muito amigável .


Chiquinha (La Chilindrina - relação apenas na série original): Os dois mantém uma boa relação de pai e filha, apesar de também haverem disputas entre os dois às vezes, quase sempre devido às travessuras de Chiquinha. Por vezes, Seu Madruga perde a paciência com Chiquinha, geralmente quando ela o desobedece ou lhe faz passar vergonha, principalmente perto do Professor Girafales ou de alguma mulher. Ele a castiga, geralmente batendo nela ou a mandando para casa, o que ela reage chorando escandalosamente. Ela também costuma chorar quando sente que seu pai irá repreendê-la. Mesmo assim, ela costuma defendê-lo contra quem está o agredindo, geralmente Dona Florinda, por mais que erroneamente, geralmente dizendo coisas assim: "abusa do meu pai só porque ele é velho e está fraco. Por que não se mete com um homem?". Ela costuma ter ciúmes dele, evitando qualquer proximidade que possa ter com qualquer mulher (em outras palavras, com a personagem Glória).


Dona Florinda: Sua arqui-inimiga. Ela sempre o considerou uma gentalha, devido à sua condição social. Ela por várias vezes demonstra sentir nojo de Seu Madruga e sempre o culpa e o esbofeteia por todas as coisas que acontecem a Quico e às vezes vai mais longe, surrando ele a ponto de deixá-lo engessado e roxo, com muletas e o mandando para o hospital. Seu Madruga nunca revidou os maus-tratos que recebeu, por considerar errado bater em uma mulher (apesar de castigar Chiquinha com palmadas ou cintadas, mesmo ela sendo mulher), embora por vezes a xingue, como no episódio em que irrita o Professor Girafales, chamando-a de "a valentona do 14". São raras as vezes em que há trégua entre os dois, com Dona Florinda o tratando bem e dizendo coisas boas a seu respeito (normalmente em episódios especiais de Natal e Ano-Novo), e Dona Florinda já chegou a dizer que tem orgulho de tê-lo como vizinho, no episódio em que Chaves come todos os churros que ela fez e ele (Seu Madruga) deveria vender. Ao invés de acusar o garoto órfão, Seu Madruga assume a responsabilidade dizendo que ele mesmo tinha comido tudo. Esperando apanhar, ele se surpreende quando ela o cumprimenta, dizendo que o Chaves tinha confessado comer os churros.
10 curiosidades sobre Ramón Valdés, o Sr. Madruga
Senhor Barriga: A relação entre os dois se baseia quase que inteiramente na dívida de aluguel de Seu Madruga, fato que gera graves discussões e desavenças entre os dois. Às vezes Sr. Barriga aceita perdoar-lhe parte da dívida em troca de algum serviço ou por simples caridade. E nas poucas vezes em que a dívida do aluguel é esquecida, eles têm um convívio amistoso. Um dos fatos mais cômicos entre a relação deles é quando Seu Madruga troca as palavras ao conversar com Sr. Barriga (por exemplo: dizer coisas como Um barriga, Senhor Momento!, ao invés de Um momento, Senhor Barriga!). Sr. Barriga sabe que Seu Madruga nunca vai lhe pagar, mas não faz questão que ele saia do imóvel. Em certo episódio, ele revela ao professor Girafales: "Professor, se essa gente sair daqui, onde vão viver?" E vai embora.


Dona Clotilde: Dona Clotilde é completamente apaixonada por Seu Madruga e sonha em se casar com ele. A paixão dela incomoda profundamente Seu Madruga. Assim como as crianças, Seu Madruga constantemente (embora sem intenção) a chama de bruxa. Ela sempre tenta agradá-lo com diversas refeições e sobremesas (bolos e frangos assados) que sempre acabam tendo um fim que não é o estômago de Seu Madruga. Certas vezes, Madruga também a incomoda chamando-a de bruxa.


Glória: Possui uma boa e ótima relação como vizinhos, quando na verdade, o mesmo tem uma paixão pela bela vizinha, que é correspondida, a ajuda sempre que ela necessite ou quando precisa de algo para fazer qualquer coisa em seu apartamento, foi de fato o único romance feliz do Seu Madruga, até hoje não fica claro se a relação foi em frente ou não.

Patty: Assim como Glória, ele trata bem a menina e até a defende quando sua filha tenta algo contra a mesma, a única criança da vila que parece demostrar respeito pelo velho homem.
Professor Girafales: Os dois mantém uma boa relação como adultos, apesar de também haverem conflitos entre os dois, especialmente quando o professor sai em defesa de Dona Florinda ou Quico, por quem Girafales tem carinho especial. Seu Madruga às vezes sente pena de ver o Professor agindo como um cachorrinho adestrado nas mãos de Dona Florinda, pois ele faz todas as vontades dela mesmo quando ela está errada. Por vezes, o professor pede ajuda a Seu Madruga para resolver problemas pessoais. Girafales também costuma se intrometer em assuntos pessoais de Madruga que não lhe convém, além de constantemente conversar com ele a respeito do comportamento de sua filha, a Chiquinha.
Jaiminho (relação apenas na série animada): Não são comuns as vezes em que ambos se interagem (pois vários dos episódios da série animada são meras cópias dos episódios da série original, e na série original Jaiminho e Seu Madruga jamais se encontraram), e apesar de haverem alguns conflitos entre os dois, eles possuem uma relação pacífica como vizinhos (pois na série animada, Jaiminho reside na vila do Chaves).


Dublagem no Brasil  

Desde o início da série até os dias atuais, Seu Madruga é dublado por Carlos Seidl, que é conhecido pelo personagem até hoje. Em um vídeo, Seidl confessa que o nome Seu Madruga foi dado ao personagem porque entendeu-se que ele aparentava ter aparência cansada, de quem tinha o costume de acordar pela madrugada, e que nomeá-lo como Seu Ramón (tradução correta) não seria muito cômico.Em 2012 foi anunciado que Carlos Seidl não iria mais dublar Seu Madruga, por isso ele foi substituído por Marco Moreira que dublou a 5°temporada do desenho animado do Chaves e os novos episoidos da serie clássica comprados pelo SBT em 20121

                                                      Livro  

Em 2010, foi lançado o livro "Seu Madruga - Vila e Obra"2 , uma homenagem ao personagem mais adorado pelos fãs. A obra foi escrita por Pablo Kaschner, mesmo autor de "Chaves de um Sucesso", e traz curiosidades, entrevistas (com as filhas de Ramón Valdés, o dublador de Don Ramon e até mesmo uma entrevista fictícia com Seu Madruga), ilustrações e fotos inéditas.


Bordões 
Tinha que ser o Chaves (mesmo/de novo) (depois que Chaves o dá uma bofetada acidentalmente)
Não existe trabalho ruim, o ruim é ter que trabalhar.
Segure isso aqui. (quando pede para Chaves segurar alguma coisa dele antes de bater)
Toma! (quando bate em Chaves)
Eu posso explicar (Quando o Seu Madruga quer explicar para a Dona Florinda antes dela bater nele, mas ela sempre bate nele sem deixá-lo explicar)
Só não te dou outra porque... (depois que bate em Chaves e o garoto começa a chorar. Às vezes, ao fim dessa frase, ele fala algo sobre sua vozinha, que é anteriormente citada por Chaves, em consequência de algum fato que ocorreu após apanhar de Dona Florinda)
Digo... digo... (dito para Dona Clotilde, quando ele a chama de bruxa acidentalmente ou ao Sr. Barriga, quando ele erra o seu nome)
Chiquinha, vá já pra casa!
Chiquinha, cale a boca! (geralmente quando Chiquinha o interrompe quando ele está conversando com alguém)
Dá licencinha pro Madruguinha ou Uma licencinha pro Madruguinha que vai tomar um cafezinho/uma aguinha
Que que foi, que que foi, que que há?/Que que foi, que que foi, que que isso!?
Francamente, Francamente!


A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena.
As pessoas boas devem amar seus inimigos.
Desculpe... atores conhecemos, costumes não sabemos. (frase dita ao querer emprestar seu macaco para Héctor Bonilla consertar seu carro)
Escute, aqui minha senhora... (Quando Dona Florinda está brigando com Seu Madruga)
Não há nada mais trabalhoso que viver sem trabalhar!
E tudo por culpa de quem? (Referindo-se ao Chaves, após apanhar de Dona Florinda, porque na maioria das vezes a culpa é dele)
Diga ao seu Barriga que eu fui cortar o cabelo do Kojak. (tentando fugir do aluguel)
Um momentinho, um momentinho.
Não chame a srta. Clotilde de bruxa.
Não se pode dormir aqui com tanta criança, com tanta bruxa! (tentando dormir por causa da insônia)
Já te dou uma cacetada!


Vestuário e aparência  

As roupas do Seu Madruga são inconfundíveis, sempre usa uma camiseta (às vezes camisa polo) preta, às vezes com um bolso no lado esquerdo do peito (onde guardava seus cigarros), jeans, tênis(geralmente branco) e um chapéu do tipo denim azul. O fato dele usar sempre as mesmas roupas, foi questionado por Chaves, que no episódio O Futebol Americano, diz para Seu Madruga e Professor Girafales, que as crianças não seriam capazes de jogar porque "não teriam amor à camisa", então Chaves diz ao Seu Madruga que ele tinha amor à camisa, por este sempre usar a mesma. Porém, em alguns episódios menos comuns, Seu Madruga faz uso de outras peças de roupa, muitas vezes no lugar da tradicional camisa preta com jeans.
Nos primeiros episódios, a camisa preta foi trocada por uma branca ou amarela. Também no primeiro episódio no lugar do famoso chapéu denim usou uma boina estilo basco, além de usar outros chapéus diferentes em situações mais raras. Em alguns episódios(principalmente gravados em 1975 ou 76), Seu Madruga veste uma camiseta preta já gasta em sua pintura ou mesmo camiseta acinzentada ao invés de totalmente preta. Também aparece de terno em alguns poucos episódios, o que o faz certamente se igualar a outros adultos como Senhor Barriga e Professor Girafales(já que os dois se vestem formalmente enquanto Madruga se veste casualmente).O bigode que Seu Madruga usa também é marca de seu personagem(além de Ramón Valdéz fazer uso do mesmo em outros personagens que interpreta), mesmo assim, o personagem em alguns poucos episódios aparece sem bigode.


Nos Jogos Eletrônicos  

O sucesso do Seu Madruga no Brasil foi tanto desde a sua morte que ele acabou virando o protagonista da maioria dos jogos produzidos pela CyberGambá, a mesma que fez o Street Chaves.Em "Super Magro World" Seu Madruga (como Super Mario) tem a missão de salvar as crianças da vila de Bowser (personagem vindo dos jogos de Mario) pelo Reino dos Cogumelos. Em Street Chaves ele aparece como um lutador baseado em Robert Garcia (Art of Fighting/The King of Fighters) com a missão de recuperar seu violão da Dona Florinda, sendo que ele também é o rival de Chaves, Dona Florinda e Seu Barriga. Em "Madruga Goes Home" ele tem a missão de fugir de sua inimiga Dona Florinda por diversos mundos até chegar seguro em casa.
Em "Highway Crossing Madruga" ele tem que atravessar a rua se desviando dos carros, cachorros, Dona Florinda e Seu Barriga para conseguir pegar o dinheiro do outro lado da rua. Em "Codename Madruga" Seu Madruga é um soldado cuja missão é a de salvar sua filha Chiquinha de militares matando a todos. Em "MadrugaCraft" Seu Madruga é um guerreiro medieval cuja missão é a de recuperar seu violão sagrado dos monstros de Dona Florinda com a ajuda de Chaves, a Bruxa do 71 e Chiquinha. E em "Madruga From Mars" ele aparece como um astronauta cuja missão é a de destruir os asteroides do espaço.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:15

Biografia Ramón Valdés(Ator Que Atuou Como Seu Madruga)

Quarta-feira, 15.05.13

Ramón Valdés
Ramón Goméz Valdés y Castillo (Cidade do México, 2 de setembro de 1923 — Cidade do México, 9 de agosto de 19881 ) foi um ator e comediante mexicano, célebre por interpretar o personagem Don Ramón (Seu Madruga, no Brasil) na série de televisão El Chavo del Ocho, além de ter atuado nos mais diversos papéis em outras produções do escritor Roberto Gomez Bolaños, tais como El Chapulín Colorado e Chespirito.


Sua carreira teve início na Era de Ouro do Cinema Mexicano, junto com seus irmãos Manuel "El Loco" Valdés e Germán Valdés Tin Tán. Seu personagem alcançou o status de ícone da cultura popular em grande parte da América Latina.

Biografia  

                                                       Primeiros anos  
Nascido na Cidade do México em 2 de setembro de 1923. Filho de Rafael Valdés Gómez e Guadalupe Castillo. Na família era conhecido como "Moncho", como todos os filhos do casal tinham seus próprios apelidos.    Quando tinha dois anos, se mudou com a família para Ciudad Juárez em Chihuahua, onde seus irmãos, Germán Valdés Tin Tán, Manuel "El Loco" Valdés e Antonio Valdés "El Ratón Valdés", começaram a trabalhar como atores.  Era tio do cantor e ator Cristian Castro, filho de seu irmão El Loco.


Atuação no cinema  
No início da carreira atuou em pequenos filmes, junto com seu irmão Tin Tán (na maioria das vezes), e também com papéis nos filmes de Pedro Infante e Cantinflas.
Ramón foi um veterano no cinema, trabalhou em mais de 50 filmes, nos quais destacam-se "Calabacitas tiernas" (1948), "El rey del barrio" (1949), "Soy Charro de Levita" (1949), "La marca del Zorrillo" (1950), "Fuerte, audaz y valiente" (1960) e "El capitán Mantarraya" (1969). Também trabalhou em novelas como "Lupita" (exibida no Brasil pelo SBT em 1985).


  do lado esquerdo, vemos Rubén Aguirre, o professor Girafales, seguido de Carlos Villagrán, o Kiko e Angelines Fernandéz, a Dona Clotilde. Ao centro, Roberto Gómez Bolaños, o Chaves, e do seu lado, Ramón Valdés, o inesquecível Seu Madruga. No fundo, especula-se que seja Horacio Gómez Bolaños, o Godines.A foto rara registra a turma em um momento de folga (ou de viagem, veja o avião ao fundo) e deve datar por volta dos anos 70, já que Villagrán ainda integrava o elenco de Chaves.Outra notícia para os fãs de Chespirito é uma exposição do artista plástico argentino Christian English, que retrata personagens imortalizados por Bolaños e sua turma.Nomeada “Pintando a Chespirito”, as obras estão expostas no CEPTur, em Buenos Aires, e ainda contam com videos e músicas do Chaves. Ah! E uma curiosidade para os mais fanáticos: terá suco de Tamarindo e pílulas de “nanicolina”!






Chespirito e os anos de fama
Embora tenha dedicado a maior parte de seu trabalho ao cinema, a carreira de Ramón atingiu seu ápice na TV, com El Chavo del Ocho, que no Brasil passou a se chamar simplesmente de Chaves, por comodidade. Em 1968, Roberto Gómez Bolaños, mais conhecido como Chespirito, o convidou para fazer parte de seu elenco ao lado da atriz María Antonieta de las Nieves (Chiquinha) e Rubén Aguirre (Professor Girafales). Juntos, dão início ao programa Los supergenios de la mesa cuadrada, que em 1970 se transformou em Chespirito e durou até 1973.Em 1970, Chapulín Colorado estréia e em 1972 é a vez de El Chavo del Ocho. Embora tenha se destacado como Seu Madruga, Ramón Valdés fez várias outras interpretações, como o pirata Alma Negra, Tripa Seca e a paródia aos EUA Super Sam.
As pessoas que conviveram com Ramón Valdés afirmam que ele era, além de muito talentoso, uma pessoa de personalidade forte, mas divertida e atenciosa. Roberto Gómez chegou a dizer que ele foi o único comediante que já o fez “morrer de rir”. Afirmação semelhante teria feito Edgar Vivar, o Senhor Barriga. Com o público, dizia-se que Ramón Valdés era sempre muito amável e respeitoso.

Polêmica saída de Ramón Valdés  
Apesar da fama e reconhecimento também, em 1979, Valdés se retirou dos programas de Chespirito. Há rumores de que isto foi produto de divergências sobre os salários, enquanto outros afirmam que as diferenças pessoais entre colegas de trabalho foram ficando mais fortes e, eventualmente, implicou uma separação definitiva. Em uma entrevista, Esteban Valdés, filho do ator, declarou que a saída de seu pai foi porque Florinda Meza ?mulher de Gómez Bolaños? queria o controle total sobre o programa. Essa situação teria causado desconforto para Valdés, preferindo receber ordens apenas de Gómez Bolaños, a quem lhe devia sua fama.3 Sua demissão seguiu a de Carlos Villagrán, que ocorreu um ano antes.Em 1979, o ator passou a trabalhar com Carlos Villagrán (Quico), que havia saído um ano antes por divergências com Roberto Gómez. Ambos fizeram várias viagens para apresentar o show Federrico, onde Ramón interpretava Don Moncho, dono de uma loja.


Em 1981, no entanto, após vários convites, Ramón Valdés voltou a trabalhar com Roberto, desta vez com o seriado Chespirito, que voltara a ser gravado. Em 1987, trabalhou com Carlos Villagrán no programa ¡Ah que Kiko! (“Kiko” passou a ser usado por Villagrán pelo fato de Roberto Gómez ter os direitos sobre o nome “Quico”), mas não ficou muito tempo, já que também se dedicava ao seu circo. Além disso, seus problemas de saúde se agravaram ao ponto de impedí-lo de trabalhar. Ramón Valdés era amigo de praticamente todos os seus colegas, mas teve especial amizade com três atores de Chaves: Carlos Villagrán, Angelines Fernández e Edgar Vivar.
Quando Ramón já estava no hospital, já muito mal de saúde, Carlos Villagrán percebeu a situação e, numa atitude digna de bons amigos, disse: “nos vemos lá em cima, no céu”. Ramón respondeu: “não se faça de louco, nos vemos lá embaixo, no inferno”. Edgar Vivar e Valdés eram praticamente vizinhos segundo o próprio Edgar em algumas entrevistas,    muitas vezes iam para as gravações juntos. Pouco antes de Ramón Valdés falecer Edgar Vivar lhe fez uma visita no hospital e Valdés brincando lhe disse "Senhor Barriga, não poderei mais lhe pagar o aluguel" conta Edgar emocionado ao falar do amigo.


Doença e morte  

No início da década de 1980, um tumor maligno foi descoberto em seu estômago, provavelmente oriundo de outro tumor já existente em seu pulmão, Ramón Valdés era um fumante muito ativo, não largando o vício nem mesmo quando permaneceu internado. Passou a maior parte do tempo dos seus últimos dias sedado após mais de dois meses internado no Hospital Santa Lena por conta das fortes dores. No dia 9 de agosto de 1988, faleceu aos 64 anos de idade, devido a um câncer de pulmão que se espalhou pelo corpo e atingiu a sua coluna vertebral. Encontra-se sepultado em Mausoleos Del Ángel, Cidade do México no México. Nos últimos anos de sua carreira, Valdés dedicou-se a viajar com seu circo por todo o México.


Legado  

Ramón Valdés é considerado por muitos, um dos melhores humoristas da América Latina. Ainda hoje, seu personagem na série El Chavo del Ocho é cultuado. É de longe o personagem mais famoso do seriado, conquistando hoje em dia ainda mais carisma do que Chaves, o personagem principal do seriado, principalmente no Brasil. O próprio Chespirito já citou em diversas entrevistas que seu personagem preferido da série e melhor comediante, é "Don Ramón", afirmando que Valdés foi o único comediante, até hoje, que já conseguiu fazê-lo chorar de rir.O personagem de Valdés possui diversas páginas, blogs e comunidades nos sites de relacionamentos Orkut, Facebook, dentre outras tantas, em sua homenagem.
Em 2010, foi lançado o livro "Seu Madruga - Vila e Obra", uma homenagem ao personagem mais adorado pelos fãs. A obra foi escrita por Pablo Kaschner, mesmo autor de "Chaves de um Sucesso", e traz curiosidades, entrevistas (com as filhas de Ramón Valdés, o dublador de Don Ramon - Carlos Seidl - e até mesmo uma entrevista fictícia com Seu Madruga), ilustrações e fotos inéditas.
O sucesso do Seu Madruga no Brasil foi tanto desde a sua morte que ele acabou virando o protagonista da maioria dos jogos produzidos pela CyberGambá, a mesma que fez o Street Chaves.

   Frases Marcantes  

A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena.
As pessoas boas devem amar seus inimigos.
Que que foi, que que foi, que que há?
Mas tinha que ser o Chaves mesmo!
Toma, e só não te dou outra porque...
Não são pedras, são aerolitos!
Ei, ei ei...
Churros, churros...açucaradinhos e douradinhos os churros.
Higiênicos churros de Dona Florinda, velha ridícula!
Veio cobrar o aluguel?
Tenha barriga, senhor Paciência...digo, tenha paciência, Senhor Barriga.
Time is money.
Não há nada mais trabalhoso do que viver sem trabalhar.
Não existe trabalho ruim, o ruim é ter que trabalhar.
Não se diz estuata, se diz monumento.



Filmografia  

                                                 Cinema 
1949: Calabacitas tiernas, como Willy.
1949: Soy Charro de Levita, como Don Primitivo
1949: Novia a la medida.
1950: El rey del barrio, como El Norteño
1950: La marca del Zorrillo.
1950: Simbad el Mareado.
1951: El Revoltoso (1951), como Detetive
1951: ¡Ay amor, cómo me has puesto!
1951: ¡Mátenme porque me muero!
1952: Las locuras de Tin Tán
1953: Me traes de un ala, como González
1953: El vagabundo.
1953: Dios los cría
1953: El mariachi desconocido.
1954: Mulata.
1955: Escuela de vagabundos, como Taxista
1955: La vida no vale nada, como Condutor
1956: Una movida chueca.
1956: Pura vida.
1956: El sultán descalzo.
1956: El vividor.
1956: Bodas de oro.
1957: Las aventuras de Pito Pérez, como Trailero
1957: Los tres mosqueteros y medio.
1958: Escuela para suegras.
1958: Refifi entre las mujeres.
1958: Las mil y una noches.
1958: La odalisca n.º 13.
1959: Tres lecciones de amor.
1959: El cofre del pirata.
1960: Vivir del cuento.
1960: Variedades de medianoche.
1960: Tin Tan y las modelos.
1960: El fantasma de la opereta, como Polícia
1961: El pandillero.
1961: El duende y yo.
1961: Viva Chihuahua.
1961: Escuela de valientes.
1961: Los inocentes.
1961: Juventud rebelde.
1962: El malvado Carabel.
1962: Ruletero a toda marcha.
1962: El Centauro del Norte.
1962: Cazadores de asesinos.
1962: Los valientes no mueren.
1962: ¡En peligro de muerte!.
1963: Los Amigos Maravilla en el mundo de la aventura.
1963: El tesoro del rey Salomón, como Ali Ben
1963: Vuelven los Argumedo.
1963: Fuerte, audaz y valiente.
1963: Entrega inmediata.
1964: Buenos días, Acapulco.
1964: Vivir de sueños.
1964: Mi alma por un amor.
1964: Héroe a la fuerza.
1964: Campeón del barrio.
1965: El Padre Diablo.
1965: Diablos en el cielo.
1965: El pecador, como Juan, mesero
1965: Mi héroe.
1965: El rifle implacable.
1965: Tintansón Crusoe.
1965: Los fantasmas burlones.
1965: El Señor Doctor.
1966: El tragabalas.
1966: El falso heredero, como Joselito Vagabundo
1966: Cada quién su lucha.
1968: Corona de lágrimas.
1969: Duelo en El Dorado.
1969: El aviso inoportuno.
1970: Gregorio y su ángel.
1970: El cuerpazo del delito, como El Gordo.
1970: La Hermanita Dinamita, como Manejador de Ambulancia
1970: Chanoc en las garras de las fieras.
1970: ¡Ahí madre!
1971: El profe, Papá de Martín
1971: Los Beverly del Peralvillo.
1972: Chanoc contra el tigre y el vampiro.
1972: Hijazo de mi vidaza.
1973: Entre pobretones y ricachones.
1973: Chanoc y las tarántulas.
1973: El capitán Mantarraya.
1975: Chanoc en el foso de las serpientes.
1977: Chanoc en la isla de los muertos, como Tsekub Baloyán
1978: El Chanfle, como Reyes
1979: El secuestro de los cien millones.
1979: En esta primavera.
1979: Chanoc en el circo Unión.
1981: Ok, Mister Pancho.
1983: El más valiente del mundo.
1983: Los gatilleros del diablo.
1984: Luis Miguel, aprendiz de pirata.


 Televisão  
El Ciudadano Gómez (1968), vários personagens.
Doctor Chapatin (1968-1979), vários personagens.
Los Supergenios de la Mesa Cuadrada (1968-1971), como Ingeniebrio Ramón Valdés y Tirado Alanis entre outros personagens.
Chespirito (1970-1973), vários personagens.
Pancada Bonaparte (1970-1972), como Maestro Yesero e outros personagens.
El Chapulín Colorado (1970-1979), como Rascabuches, Tripaseca, Chimpandolfo, Pirata Alma Negra, Pistolero Veloz, Super Sam, entre outros.
Los Caquitos (1971-1975), como El Peterete.
El Chavo del Ocho (1972-1979), como Don Ramón.
Chespirito (1981), como Don Ramón, Super Sam, Tripaseca, vários personagens.
Federrico (1982), como Don Moncho.
¡Ah que Kiko! (1987), como Don Ramón.


CURIOSIDADES SOBRE RAMON VALDES
Ramón Valdés é hoje um verdadeiro ícone. O ator viveu por mais de 10 anos o personagem Sr. Madruga (Don Ramón, na versão original), do seriado Chaves (El Chavo de Ocho), transformando-se em uma verdadeira celebridade tanto no México, sua terra natal, quanto em diversos outros cantos do globo.
Dessa forma, como parte das comemorações pelo aniversário de 40 anos da série, o jornal El Intransigente elencou 10 curiosidades sobre o ator — que não se maquiava, fumava em cena e se dizia “viciado em mulheres”. Confira abaixo:Sr. Madruga era o único personagem do seriado Chaves que não precisava de maquiagem ou figurino especial. Ele simplesmente chegava de camiseta e jeans surrado, colocava seu inconfundível chapeuzinho e ia gravar.
Um dos proprietários da Televisa afirmava ter nojo de cigarro, e por isso não tolerava que ninguém fumasse nos estúdios. Apesar disso, Ramón Valdés era um sujeito tão respeitado que acabava entrando como exceção à regra.

Embora seja tradicionalmente chamado de “feio”, o ator era considerado um eterno galã. De fato, ele dizia que, depois do cigarro, seu vício eram “as mulheres”. Ramón foi casado três vezes e teve dez filhos.
Ramón vinha de uma família das mais tradicionais no meio artístico mexicano. Seu irmão, German, pertenceu à época de ouro do cinema do país, tendo representado vários personagens consagrados, como Tin Tan e Manuel, o louco.
Apesar de ser prontamente associado ao Sr. Madruga (e personagens variados de Chapolin) no Brasil, Ramón Valdés atuou em mais de 50 filmes ao longo de sua carreira.
Algumas frases utilizadas pelo Sr. Madruga em Chaves são de cunho do próprio ator, tal como a inesquecível “Só não te dou outra porque...”


Rámon renunciou ao seriado Chaves em 1979, quando Florinda Meza, então envolvida com Roberto Gómez Bolaños (o Chaves), tornou-se a produtora-executiva.
O último trabalho do ator foi em 1987, no Peru, em uma propaganda. Maria Antonieta de Las Nieves, a Chiquinha, encontrou o ator em Lima, na mesma época, e diz que ficou completamente surpresa quando recebeu, menos de um ano depois, a notícia de sua morte.
Boa parte das pessoas ainda acredita que o ator faleceu por conta de um câncer de pulmão. Entretanto, antes das metástases que o mataram, Rámon já tinha câncer no estômago e na medula.
Durante seu funeral, a atriz Angelines Fernández, que interpretava a Bruxa do 71, recusou-se a sair do lado do caixão, passando várias horas em pé.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:08