Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



09 FABULAS,PARA LER

Quinta-feira, 26.12.13






















Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 23:54

09 FABULAS,PARA LER

Quinta-feira, 26.12.13






















Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 23:54

08 FABULAS,PARA LER

Quinta-feira, 26.12.13






















Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 23:38

08 FABULAS,PARA LER

Quinta-feira, 26.12.13






















Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 23:38

07 FABULAS PARA LER

Quinta-feira, 26.12.13























Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 21:57

07 FABULAS PARA LER

Quinta-feira, 26.12.13























Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 21:57

SERIE NOSSO LAR---027 O CALUNIADOR

Quinta-feira, 26.12.13

Cap 27 – O caluniador – Vemos neste capítulo a comovente dificuldade de um Espírito doente em pronunciar o sublime nome de Deus. Apenas pronunciar... A.Luiz exercita visão espiritual e vislumbra a triste história desse doente.
NOTA: Nova demonstração desta faculdade de A.Luiz, que talvez seja “psicometria espiritual”
Ensinamento: a reconciliação inicia-se pela atitude caridosa, vai do entendimento à piedade, desta à simpatia, depois à verdadeira fraternidade e culmina com o amor sublime.
NOTA: Há referência à mulher-vampiro, citada no livro “NOSSO LAR”, a qual foi impedida de adentrar nas “Câmaras de Retificação”



Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 21:10

XUXUQUINHA(NANCY)

Quinta-feira, 26.12.13
001-20130717-233103 - 700x1017px
XUXUQUINHA
Nancy é uma hq americana, originalmente escrita e desenhada por Ernie Bushmiller. A personagem de Nancy, uma menina precoce , apareceu pela primeira vez na tira de Fritzi Ritz. Depois Larry Whittington parou com Fritzi Ritz em 1922, e foi retomado pela Bushmiller três anos mais tarde. Em 1933, Bushmiller introduziu na tiras de Fritzi a sobrinha, Nancy.   Logo ela dominou as tiras, rebatizadas de Nancy até 1938. As tiras de Fritzi Ritz dominicais continuou como um recurso até 1960. No seu pico em 1970, Nancy estava em mais de 880 jornais.NO BRASIL XUXUQUINHA
002-20130717-233104 - 700x1017px
Nancy apareceu inicialmente como uma personagem secundário no Fritzi Ritz Strip iniciada por Larry Whittington em 1922 e três anos mais tarde foi continuada pelo Bushmiller. Em 2 de janeiro de 1933, Bushmiller introduziu a Nancy, sobrinha do Fritzi em suas histórias. Devido a crescente relevância do personagem, Strip tomou o nome da garota em 1938. Fritzi Ritz continuou como tira separada até 1968. O mexicano editorial Novaro publicado esta série em espanhol em sua própria revista, Periquita, que atingiu 497 ordinário extraordinário e 2 números da série"clássica", "Série de avestruz" 31 e 17 da "série". 2 Além disso, inclui episódios de Peanuts.
003-20130717-233104 - 700x1051px

                                              Personagens  

Nancy Ritz XUXUQUINHA(Periquita em alguns países de língua espanhola) - uma menina travessa de 8 anos, que é muito sonhadora e quase sempre é muito confuso.
Fritzi Ritz (tia Dorita em alguns países de língua espanhola) - é a tia de Nancy, com quem ela vive. É uma língua e gosta de música country. Embora tenha suas histórias separadas, aparece ocasionalmente em algumas histórias...
Sluggo Smith (Tito em alguns países de língua espanhola) - é o melhor amigo de Nancy um pouco preguiçoso e às vezes é apresentado como o namorado da garota. Ele apareceu pela primeira vez em 1930.

 
005-20130717-233104 - 700x1051px

006-20130717-233105.jpg - Download this image
 
006-20130717-233105 - 700x1003px

007-20130717-233105.jpg - Download this image
 
007-20130717-233105 - 700x1017px

008-20130717-233105.jpg - Download this image
 
008-20130717-233105 - 700x1014px

009-20130717-233105.jpg - Download this image
 
009-20130717-233105 - 700x1039px

010-20130717-233105.jpg - Download this image
 
010-20130717-233105 - 700x1006px

011-20130717-233105.jpg - Download this image
 
011-20130717-233105 - 700x1029px

012-20130717-233106.jpg - Download this image
 
012-20130717-233106 - 700x1006px

013-20130717-233106.jpg - Download this image
 
013-20130717-233106 - 700x1023px

014-20130717-233106.jpg - Download this image
 
014-20130717-233106 - 700x970px

015-20130717-233106.jpg - Download this image
 
015-20130717-233106 - 700x1006px

016-20130717-233106.jpg - Download this image
 
016-20130717-233106 - 700x1003px

017-20130717-233106.jpg - Download this image
 
017-20130717-233106 - 700x1009px

018-20130717-233106.jpg - Download this image
 
018-20130717-233106 - 700x1012px

019-20130717-233107.jpg - Download this image
 
019-20130717-233107 - 700x1032px

020-20130717-233107.jpg - Download this image
 
020-20130717-233107 - 700x1000px

021-20130717-233107.jpg - Download this image
 
021-20130717-233107 - 700x997px

022-20130717-233107.jpg - Download this image
 
022-20130717-233107 - 700x989px

023-20130717-233107.jpg - Download this image
 
023-20130717-233107 - 700x1000px

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:58

XUXUQUINHA(NANCY)

Quinta-feira, 26.12.13
001-20130717-233103 - 700x1017px
XUXUQUINHA
Nancy é uma hq americana, originalmente escrita e desenhada por Ernie Bushmiller. A personagem de Nancy, uma menina precoce , apareceu pela primeira vez na tira de Fritzi Ritz. Depois Larry Whittington parou com Fritzi Ritz em 1922, e foi retomado pela Bushmiller três anos mais tarde. Em 1933, Bushmiller introduziu na tiras de Fritzi a sobrinha, Nancy.   Logo ela dominou as tiras, rebatizadas de Nancy até 1938. As tiras de Fritzi Ritz dominicais continuou como um recurso até 1960. No seu pico em 1970, Nancy estava em mais de 880 jornais.NO BRASIL XUXUQUINHA
002-20130717-233104 - 700x1017px
Nancy apareceu inicialmente como uma personagem secundário no Fritzi Ritz Strip iniciada por Larry Whittington em 1922 e três anos mais tarde foi continuada pelo Bushmiller. Em 2 de janeiro de 1933, Bushmiller introduziu a Nancy, sobrinha do Fritzi em suas histórias. Devido a crescente relevância do personagem, Strip tomou o nome da garota em 1938. Fritzi Ritz continuou como tira separada até 1968. O mexicano editorial Novaro publicado esta série em espanhol em sua própria revista, Periquita, que atingiu 497 ordinário extraordinário e 2 números da série"clássica", "Série de avestruz" 31 e 17 da "série". 2 Além disso, inclui episódios de Peanuts.
003-20130717-233104 - 700x1051px

                                              Personagens  

Nancy Ritz XUXUQUINHA(Periquita em alguns países de língua espanhola) - uma menina travessa de 8 anos, que é muito sonhadora e quase sempre é muito confuso.
Fritzi Ritz (tia Dorita em alguns países de língua espanhola) - é a tia de Nancy, com quem ela vive. É uma língua e gosta de música country. Embora tenha suas histórias separadas, aparece ocasionalmente em algumas histórias...
Sluggo Smith (Tito em alguns países de língua espanhola) - é o melhor amigo de Nancy um pouco preguiçoso e às vezes é apresentado como o namorado da garota. Ele apareceu pela primeira vez em 1930.

 
005-20130717-233104 - 700x1051px

006-20130717-233105.jpg - Download this image
 
006-20130717-233105 - 700x1003px

007-20130717-233105.jpg - Download this image
 
007-20130717-233105 - 700x1017px

008-20130717-233105.jpg - Download this image
 
008-20130717-233105 - 700x1014px

009-20130717-233105.jpg - Download this image
 
009-20130717-233105 - 700x1039px

010-20130717-233105.jpg - Download this image
 
010-20130717-233105 - 700x1006px

011-20130717-233105.jpg - Download this image
 
011-20130717-233105 - 700x1029px

012-20130717-233106.jpg - Download this image
 
012-20130717-233106 - 700x1006px

013-20130717-233106.jpg - Download this image
 
013-20130717-233106 - 700x1023px

014-20130717-233106.jpg - Download this image
 
014-20130717-233106 - 700x970px

015-20130717-233106.jpg - Download this image
 
015-20130717-233106 - 700x1006px

016-20130717-233106.jpg - Download this image
 
016-20130717-233106 - 700x1003px

017-20130717-233106.jpg - Download this image
 
017-20130717-233106 - 700x1009px

018-20130717-233106.jpg - Download this image
 
018-20130717-233106 - 700x1012px

019-20130717-233107.jpg - Download this image
 
019-20130717-233107 - 700x1032px

020-20130717-233107.jpg - Download this image
 
020-20130717-233107 - 700x1000px

021-20130717-233107.jpg - Download this image
 
021-20130717-233107 - 700x997px

022-20130717-233107.jpg - Download this image
 
022-20130717-233107 - 700x989px

023-20130717-233107.jpg - Download this image
 
023-20130717-233107 - 700x1000px

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:58

A HISTORIA DE YARA LINS(ATRIZ)

Quinta-feira, 26.12.13

                                                                                                Yara Lins
Yara Lins, nome artístico de Orasília Severina da Silveira, (Frutal, 26 de fevereiro de 1929 — São Paulo, 29 de junho de 2004) foi uma atriz brasileira.
Yara Lins foi o primeiro rosto a aparecer na televisão brasileira, isso exatamente no dia 18 de setembro de 1950. Ela foi convocada para dizer o prefixo da emissora: "PRF-3 Emissora Associada de São Paulo orgulhosamente apresenta, neste momento, o primeiro programa de televisão da América Latina".

Ela fez rádio por muitos anos e principalmente rádio-novelas. Começou na Rádio de Uberaba, em Minas Gerais, passando depois pela Excelsior, Nacional e Difusora de São Paulo. atriz e apresentadora. Como atriz seu primeiro papel foi na série "Rosas para o Meu Amor" em 1952.

Até hoje, Yara Lins só perde para a atriz Ana Rosa na quantidade de telenovelas, séries e seriados que participou na televisão. Seus melhores trabalhos foram em: TV de Vanguarda (na TV Tupi), O Sheik de Agadir (TV Paulista/Globo), O Terceiro Pecado (TV Excelsior), Beto Rockfeller (Tupi), Vitória Bonelli (Tupi), O Machão (Tupi), Pai Herói (Rede Globo), Rabo de Saia (Rede Globo), Selva de Pedra (Rede Globo), Kananga do Japão (Rede Manchete), Éramos Seis (SBT) e Laços de Família (Rede Globo). Faleceu aos 75 anos, devido a problemas relacionados à insuficiência respiratória. Ela tinha câncer e estava internada no hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo.

Seu nome artístico é Yara Lins. Seu nome verdadeiro é Orasilia Severina da Silveira. “Diferente, não ? “ É ela mesma quem diz. 
Yara Lins é atriz. Foi o primeiro rosto a aparecer na tela pequena da Televisão Brasileira, no dia 18 de setembro de 1950. 
E de lá para cá, Yara Lins, atriz, nunca mais deixou de atuar. 
Ela é “a moça que veio de longe”, é ela ainda quem diz, parafraseando o nome de uma novela de sucesso, e para dizer que é moça da roça. Nasceu em Frutal, Minas Gerais, em 26 de fevereiro de 1930.

Certa vez, ainda bem garota, a filha de uma família de 5 irmãos, assistiu a um espetáculo de circo, e viu que aquilo tinha tudo a ver com ela. A parte do circo-teatro, a “pantomina”, mexeu com a garota, que sozinha resolveu vir para São Paulo, a grande capital. Em verdade já trabalhava um pouco na emissora de rádio da cidade de Uberaba.
Arranjando, porém, uma companhia, veio para S.Paulo, de onde nunca mais saiu. Foi morar num pensionato. Muito bonita, na verdade o que mais foi apreciado e elogiado nela foi a voz.

Fez rádio por muitos anos, rádio novela. Rádio de Uberaba, Rádio Excelsior, Rádio Nacional, Rádio Difusora de São Paulo. E aí veio a televisão. Começou na TV Tupi, a pioneira, depois foi para a TV Paulista, Globo, SBT, Bandeirantes. Yara Lins esteve em todas as principais emissoras e foi uma das pessoas que mais apareceu na tela da televisão brasileira. 
A princípio, por sua grande beleza e fotogenia, fazia os papéis de “ingênua”, quer dizer, o papel da heroína. 
Chegou a fazer programas do tipo Casal Romântico. Mas em seguida começou a fazer papéis mais ousados, mais difíceis, e até papel de “velha”.

Com o passar do tempo foi se tornando uma grande atriz, embora, como ela mesma diz, “nunca foi uma estrela”. 
Trabalhou também em teatro e cinema. Papéis sempre complicados. Chegou a fazer a “madrasta”, na peça em que Dercy Gonçalves fez a “Branca de Neve”. 
Foi casada e tem duas filhas: Mônica e Monaliza. Tem netos e bisneto. 
Por fumar muito, teve um cancer de pulmão.

Mas venceu a doença e a venceu “trabalhando” , fazendo novela no SBT.
Ganhou vários prêmios e nunca teve uma crítica desfavorável, nunca alguém viu defeitos em suas atuações. Só elogios.
Sobre si mesma diz Yara: “Sei ser amiga”.
E como fala final, para marcar seu depoimento, disse: “Nós merecemos o melhor da vida. Mas temos que dar à vida o melhor de nós”.
Olhos claros, cabelos castanhos, alta, magra, Yara Lins, é uma mulher, uma atriz, um ser humano da maior qualidade. Yara faleceu em 28 de junho de 2004.


 Na televisão
2000/01 - Laços de Família - Nilda (Rede Globo)
1999 - Sandy & Junior - (série - Rede Globo)
1997 - Uma Janela para o Céu - dona Rita (Rede Record)
1997 - Os ossos do barão - Lucrécia (SBT)
1995/96 - Sangue do meu sangue - Mariana (SBT)
1994 - Éramos seis - Dona Maria (SBT)
1993 - Contos de Verão - Dona Mariana (minissérie - Rede Globo)
1992 - As Noivas de Copacabana - Eulália (minissérie - Rede Globo)
1990/91 - A história de Ana Raio e Zé Trovão - Mãe Candinha (Rede Manchete)
1990 - La Mamma - (Rede Globo) - Giuseppina
1989/90 - Kananga do Japão - Zulmira (Rede Manchete)
1986 - Selva de Pedra - Berenice (Rede Globo)
1985/86 - Uma esperança no ar - (SBT)
1984 - Rabo de Saia - (minissérie - Rede Globo)
1983/84 - Vida roubada - (SBT)
1983 - Pecado de Amor - (SBT)
1983 - Acorrentada - dona Josefina (SBT)
1982 - A Força do Amor - Amália (SBT)
1982 - Avenida Paulista - Elvira (minissérie - Rede Globo)
1982 - Renúncia - Constância (Rede Bandeirantes)
1982 - As Cinco Panelas de Ouro - dona Trindade (TV Cultura)
1982 - Nem rebeldes, nem fiéis - (TV Cultura)
1982 - Caso Verdade

1980/81 - Um homem muito especial - Olívia (Rede Bandeirantes)
1979 - Pai herói - Irene (Rede Globo)
1978 - João Brasileiro, o Bom Baiano - Palmira (Rede Tupi)
1974/75 - Ídolo de pano - Magda (Rede Tupi)
1974/75 - O machão - Josefa (Rede Tupi)
1973 - A Volta de Beto Rockfeller - (Rede Tupi)
1972/73 - Vitória Bonelli - Madame Mercedes Moglianni (Rede Tupi)
1971/72 - O preço de um homem - Marcinha (Rede Tupi)
1970/71 - Simplesmente Maria - Mirtes (Rede Tupi)
1968/69 - Beto Rockfeller - Clô (Rede Tupi)
1969 - Era Preciso Voltar - Denise (Rede Bandeirantes)
1968 - O terceiro pecado - (TV Excelsior)
1967/68 - Os fantoches - Guiomar (TV Excelsior)
1966/67 - O sheik de Agadir - Valentina (TV Globo)
1966 - Eu compro esta mulher - (TV Globo)
1965 - Paixão de Outono - Verônica (TV Globo)
1965 - Aquele que deve voltar - Eugênia (TV Excelsior)
1965 - A Indomável - Débora (TV Excelsior)
1965 - A menina das flores - (TV Excelsior)
1964 - Melodia Fatal - Marlene (TV Excelsior)
1964 - Ilsa - (TV Excelsior)
1958 – Casa de Bonecas, pela TV Paulista, no programa “Teledrama Três Leões”, sob direção de Dermival Costa. Personagem:

 No cinema
1999 - Xuxa Requebra
1981 - Post Scriptum
1978 - O Jeca e seu filho preto
1977 - Tiradentes, o Mártir da Independência
1976 - Senhora
1972 - Geração em Fuga
1963 - Terra sem Deus

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:55

A HISTORIA DE YARA LINS(ATRIZ)

Quinta-feira, 26.12.13

                                                                                                Yara Lins
Yara Lins, nome artístico de Orasília Severina da Silveira, (Frutal, 26 de fevereiro de 1929 — São Paulo, 29 de junho de 2004) foi uma atriz brasileira.
Yara Lins foi o primeiro rosto a aparecer na televisão brasileira, isso exatamente no dia 18 de setembro de 1950. Ela foi convocada para dizer o prefixo da emissora: "PRF-3 Emissora Associada de São Paulo orgulhosamente apresenta, neste momento, o primeiro programa de televisão da América Latina".

Ela fez rádio por muitos anos e principalmente rádio-novelas. Começou na Rádio de Uberaba, em Minas Gerais, passando depois pela Excelsior, Nacional e Difusora de São Paulo. atriz e apresentadora. Como atriz seu primeiro papel foi na série "Rosas para o Meu Amor" em 1952.

Até hoje, Yara Lins só perde para a atriz Ana Rosa na quantidade de telenovelas, séries e seriados que participou na televisão. Seus melhores trabalhos foram em: TV de Vanguarda (na TV Tupi), O Sheik de Agadir (TV Paulista/Globo), O Terceiro Pecado (TV Excelsior), Beto Rockfeller (Tupi), Vitória Bonelli (Tupi), O Machão (Tupi), Pai Herói (Rede Globo), Rabo de Saia (Rede Globo), Selva de Pedra (Rede Globo), Kananga do Japão (Rede Manchete), Éramos Seis (SBT) e Laços de Família (Rede Globo). Faleceu aos 75 anos, devido a problemas relacionados à insuficiência respiratória. Ela tinha câncer e estava internada no hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo.

Seu nome artístico é Yara Lins. Seu nome verdadeiro é Orasilia Severina da Silveira. “Diferente, não ? “ É ela mesma quem diz. 
Yara Lins é atriz. Foi o primeiro rosto a aparecer na tela pequena da Televisão Brasileira, no dia 18 de setembro de 1950. 
E de lá para cá, Yara Lins, atriz, nunca mais deixou de atuar. 
Ela é “a moça que veio de longe”, é ela ainda quem diz, parafraseando o nome de uma novela de sucesso, e para dizer que é moça da roça. Nasceu em Frutal, Minas Gerais, em 26 de fevereiro de 1930.

Certa vez, ainda bem garota, a filha de uma família de 5 irmãos, assistiu a um espetáculo de circo, e viu que aquilo tinha tudo a ver com ela. A parte do circo-teatro, a “pantomina”, mexeu com a garota, que sozinha resolveu vir para São Paulo, a grande capital. Em verdade já trabalhava um pouco na emissora de rádio da cidade de Uberaba.
Arranjando, porém, uma companhia, veio para S.Paulo, de onde nunca mais saiu. Foi morar num pensionato. Muito bonita, na verdade o que mais foi apreciado e elogiado nela foi a voz.

Fez rádio por muitos anos, rádio novela. Rádio de Uberaba, Rádio Excelsior, Rádio Nacional, Rádio Difusora de São Paulo. E aí veio a televisão. Começou na TV Tupi, a pioneira, depois foi para a TV Paulista, Globo, SBT, Bandeirantes. Yara Lins esteve em todas as principais emissoras e foi uma das pessoas que mais apareceu na tela da televisão brasileira. 
A princípio, por sua grande beleza e fotogenia, fazia os papéis de “ingênua”, quer dizer, o papel da heroína. 
Chegou a fazer programas do tipo Casal Romântico. Mas em seguida começou a fazer papéis mais ousados, mais difíceis, e até papel de “velha”.

Com o passar do tempo foi se tornando uma grande atriz, embora, como ela mesma diz, “nunca foi uma estrela”. 
Trabalhou também em teatro e cinema. Papéis sempre complicados. Chegou a fazer a “madrasta”, na peça em que Dercy Gonçalves fez a “Branca de Neve”. 
Foi casada e tem duas filhas: Mônica e Monaliza. Tem netos e bisneto. 
Por fumar muito, teve um cancer de pulmão.

Mas venceu a doença e a venceu “trabalhando” , fazendo novela no SBT.
Ganhou vários prêmios e nunca teve uma crítica desfavorável, nunca alguém viu defeitos em suas atuações. Só elogios.
Sobre si mesma diz Yara: “Sei ser amiga”.
E como fala final, para marcar seu depoimento, disse: “Nós merecemos o melhor da vida. Mas temos que dar à vida o melhor de nós”.
Olhos claros, cabelos castanhos, alta, magra, Yara Lins, é uma mulher, uma atriz, um ser humano da maior qualidade. Yara faleceu em 28 de junho de 2004.


 Na televisão
2000/01 - Laços de Família - Nilda (Rede Globo)
1999 - Sandy & Junior - (série - Rede Globo)
1997 - Uma Janela para o Céu - dona Rita (Rede Record)
1997 - Os ossos do barão - Lucrécia (SBT)
1995/96 - Sangue do meu sangue - Mariana (SBT)
1994 - Éramos seis - Dona Maria (SBT)
1993 - Contos de Verão - Dona Mariana (minissérie - Rede Globo)
1992 - As Noivas de Copacabana - Eulália (minissérie - Rede Globo)
1990/91 - A história de Ana Raio e Zé Trovão - Mãe Candinha (Rede Manchete)
1990 - La Mamma - (Rede Globo) - Giuseppina
1989/90 - Kananga do Japão - Zulmira (Rede Manchete)
1986 - Selva de Pedra - Berenice (Rede Globo)
1985/86 - Uma esperança no ar - (SBT)
1984 - Rabo de Saia - (minissérie - Rede Globo)
1983/84 - Vida roubada - (SBT)
1983 - Pecado de Amor - (SBT)
1983 - Acorrentada - dona Josefina (SBT)
1982 - A Força do Amor - Amália (SBT)
1982 - Avenida Paulista - Elvira (minissérie - Rede Globo)
1982 - Renúncia - Constância (Rede Bandeirantes)
1982 - As Cinco Panelas de Ouro - dona Trindade (TV Cultura)
1982 - Nem rebeldes, nem fiéis - (TV Cultura)
1982 - Caso Verdade

1980/81 - Um homem muito especial - Olívia (Rede Bandeirantes)
1979 - Pai herói - Irene (Rede Globo)
1978 - João Brasileiro, o Bom Baiano - Palmira (Rede Tupi)
1974/75 - Ídolo de pano - Magda (Rede Tupi)
1974/75 - O machão - Josefa (Rede Tupi)
1973 - A Volta de Beto Rockfeller - (Rede Tupi)
1972/73 - Vitória Bonelli - Madame Mercedes Moglianni (Rede Tupi)
1971/72 - O preço de um homem - Marcinha (Rede Tupi)
1970/71 - Simplesmente Maria - Mirtes (Rede Tupi)
1968/69 - Beto Rockfeller - Clô (Rede Tupi)
1969 - Era Preciso Voltar - Denise (Rede Bandeirantes)
1968 - O terceiro pecado - (TV Excelsior)
1967/68 - Os fantoches - Guiomar (TV Excelsior)
1966/67 - O sheik de Agadir - Valentina (TV Globo)
1966 - Eu compro esta mulher - (TV Globo)
1965 - Paixão de Outono - Verônica (TV Globo)
1965 - Aquele que deve voltar - Eugênia (TV Excelsior)
1965 - A Indomável - Débora (TV Excelsior)
1965 - A menina das flores - (TV Excelsior)
1964 - Melodia Fatal - Marlene (TV Excelsior)
1964 - Ilsa - (TV Excelsior)
1958 – Casa de Bonecas, pela TV Paulista, no programa “Teledrama Três Leões”, sob direção de Dermival Costa. Personagem:

 No cinema
1999 - Xuxa Requebra
1981 - Post Scriptum
1978 - O Jeca e seu filho preto
1977 - Tiradentes, o Mártir da Independência
1976 - Senhora
1972 - Geração em Fuga
1963 - Terra sem Deus

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:55

A HISTORIA DE YONÁ MAGALHÃES(ATRIZ)

Quinta-feira, 26.12.13

 Yoná Magalhães
Yoná Magalhães Gonçalves Mendes da Costa, (Rio de Janeiro, 7 de agosto de 1935) é uma atriz brasileira.Yoná começou a sua carreira na rádio e TV Tupi em 1954, desempenhando pequenos papéis e fazendo figuração. Depois de muito trabalho, teve a sua grande chance e surgiram os grandes papéis e personagens de destaque. Tudo isto ainda antes do video-tape. Quando este surgiu, Yoná já estava casada com o produtor Luís Augusto Mendes, pai do seu filho: Marcos Mendes.
Astros em Revista, Imagens

Apesar de estar afastada do Rio de Janeiro, tendo ido morar para a Bahia, não abandonou o trabalho. Em Salvador, com o grupo A Barca, formado por ex-alunos da escola de teatro e sob a direção de Luís Carlos Maciel, participou em grandes clássicos da TV Itapoã. Convidada por Glauber Rocha, participou também em A Rosa de Deus e em Diabo na Terra do Sol, filmando em Monte Santo, naBahia.No teatro trabalhou com vários autores brasileiros como: Vicente Pereira, Nelson Rodrigues, Plínio Marcos, Guilherme Figueiredo, Miguel Falabella, Pedro Bloch, Alcione Araújo e Carlos E. Neves. Contudo, dedicou-se mais à televisão, onde realizou a maioria dos seus trabalhos.

Em 1964 volta ao Rio de Janeiro, grávida, tendo sido neste ano que nasceu Marcos. Ainda antes de voltar ao vídeo, foi dirigida por Sérgio Cardoso, tendo recebido um convite da atriz Nathália Timberg para trabalhar na peça Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, encenada no Teatro Municipal. Participou ainda nas montagens de Terror e Miséria no Terceiro Reich, de Bertolt Brecht, e em Os Físicos, de Dürrenmat, antes de criar sua própria Companhia, com a qual encenou O Pecado Imortal e Os Inimigos Não Mandam Flores, de Pedro Bloch.A popularidade veio em Março de 1966, quando foi convidada por Walter Clark para participar na novela Eu Compro Essa Mulher (1966), de Glória Magadan, onde formou par com o ator Carlos Alberto, sendo o primeiro par romântico da emissora. A atriz trabalhou ainda em outras novelas da mesma autora, tais como O Sheik de Agadir (1966), com Leila Diniz e Marieta Severo, A Sombra de Rebecca (1967), O Homem Proibido (1968), A Gata de Vison (1968/1969), onde contracenou com Tarcísio Meira e Geraldo Del Rey, e A Ponte dos Suspiros (1969). Com o ator Carlos Alberto Yoná formou a dupla mais famosa da televisão brasileira.

Yoná Magalhães foi a primeira mocinha do casting da Rede Globo.

Transferiu-se para a TV Tupi, de São Paulo, em 1971, junto com Carlos Alberto, tendo ambos participado na novela Simplesmente Maria, dirigida por Walter Avancini. Em 1972, de volta à TV Globo, Yoná Magalhães integrou a novela Uma Rosa com Amor, ao lado de Marília Pêra e Paulo Goulart. Escrita por Vicente Sesso, com a direção de Walter Campos, a novela contava a história da secretária Serafina Rosa Petroni Marília Pêra e do seu amor pelo patrão, Claude Antoine Geraldi Paulo Goulart. Na trama, Yoná Magalhães deu vida a Nara Paranhos de Vasconcelos, que rivalizava com Serafina pelo amor de Claude.
No ano seguinte, integrou o elenco de O Semideus (1973),de Janete Clair, sob a direção de Daniel Filho e Walter Avancini. Faziam parte do elenco, Tarcísio Meira, Glória Menezes, Francisco Cuoco, entre outros. Em 1974, atuou em Corrida do Ouro, de Lauro César Muniz, que teve a colaboração de Gilberto Braga e a direção de Reynaldo Boury.

Em 1975, a atriz participou em duas novelas de sucesso: Cuca Legal, de Marcos Rey, sob a direção de Oswaldo Loureiro, e O Grito, de Jorge Andrade, que foi dirigida por Walter Avancini, Roberto Talma e Gonzaga Blota. No ano seguinte, Yoná Magalhães integrou o elenco de Saramandaia, de Dias Gomes, sendo novamente dirigida pelo mesmo trio. Yoná participou, ainda, emEspelho Mágico (1977), de Lauro César Muniz, com direção de Daniel Filho, Gonzaga Blota e Marco Aurélio Bagno. No enredo, que retratava o quotidiano dos profissionais que trabalham na televisão, Yoná Magalhães interpretou Nora Pelegrini, uma ex-estrela que desempenhava papéis secundários.Sinal de Alerta, escrita por Dias Gomes e Walter George Durst, em 1978, apresentou a atriz no papel da jornalista Talita, proprietária da Folha do Rio, um jornal que liderava uma campanha contra a deterioração do meio ambiente. A novela teve direção de Jardel Mello, Gonzaga Blota e Paulo Ubiratan.

No final da década de 70, mudou-se para São Paulo, onde trabalhou na TV Tupi, atuando na novela Gaivotas (1979), de Jorge Andrade, e na TV Bandeirantes, onde participou nas novelas Cavalo Amarelo (1980), de Ivani Ribeiro, Os Imigrantes (1981), de Benedito Ruy Barbosa, Wilson Aguiar Filho e Renata Palottini, e Maçã do Amor (1983), de Wilson Aguiar Filho.
Cinco anos depois, de volta ao Rio de Janeiro e à TV Globo, Yoná Magalhães viveu a jovem americanófila Maria das Graças, na novela Amor com Amor se Paga, escrita pela autora Ivani Ribeiro e dirigida por Atílio Riccó, Jayme Monjardim e Gonzaga Blota.
No ano seguinte, participou na novela de maior sucesso da história da TV Globo: Roque Santeiro (1985), de Dias Gomes e Aguinaldo Silva. Na trama, dirigida por Paulo Ubiratan, Jayme Monjardim, Gonzaga Blota e Marcos Paulo, a atriz deu vida a Matilde, dona de uma boate onde trabalhavam as dançarinas Ninon (Cláudia Raia) e Rosaly (Isis de Oliveira).

A seguir, Yoná Magalhães integrou a novela O Outro (1987), escrita por Aguinaldo Silva, na qual interpretou a exuberante Índia do Brasil, secretária do personagem Denizard, interpretado por Francisco Cuoco. No ano seguinte, desempenhou um papel em Tieta (1989), de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares, tendo dado vida a Tonha, mulher de Zé Esteves Sebastião Vasconcelos, pai de Tieta Betty Faria.Em 1990, atuou em Meu Bem, Meu Mal, de Cassiano Gabus Mendes, no papel de Valentina, irmã de Dom Lázaro, desempenhado pelo ator Lima Duarte. Dois anos depois, participou na novela Despedida de Solteiro (1992), escrita por Walther Negrão, Rose Calza e Ângela Carneiro, sob a direção de Reynaldo Boury, Carlos Manga Júnior e Cláudio Cavalcanti. Até o final da década de 90, participou ainda em outras três novelas do autor Walther Negrão: Anjo de Mim (1996), na qual interpretou Ivete; Era uma vez... (1998), no papel de Anita; e Vila Madalena (1998), quando viveu Abigail Rodriguez, a Bibiana.

Em 2001, a atriz participou de duas novelas: A Padroeira, de Walcyr Carrasco, com a direção de Walter Avancini – em seu último trabalho – e Mário Márcio Bandarra. E As Filhas da Mãe, escrita por Silvio de Abreu, Alcides Nogueira e Bosco Brasil, com direção de Jorge Fernando. Do autor Silvio de Abreu, Yoná Magalhães trabalhou ainda em A Próxima Vítima (1995), no papel de Carmela Ferreto (Cacá), uma das quatro irmãs Ferreto (as outras foram Filomena Ferreto (Aracy Balabanian), Francisca Ferreto (Tereza Rachel) e Romana Ferreto (Rosamaria Murtinho. A personagem de Yoná era mãe de Isabella Ferreto (Cláudia Ohana), a vilã da novela e ex-esposa de Adalberto, interpretado por Cecil Thiré, o pai de Isabella, que no final viria a ser o serial-killer da trama. O personagem de Yoná causou grandes discussões, por ter um relacionamento com um rapaz muito mais jovem do que ela - Adriano, interpretado pelo ator Lugui Palhares.
Em Agora é que São Elas (2003), novela de Ricardo Linhares, a atriz viveu Sofia, sob a direção de Roberto Talma, Leandro Nery e Amora Mautner. No ano seguinte, a atriz interpretou Flaviana, sogra do personagem de José Wilker, e Giovanni Improtta, em Senhora do Destino, de Aguinaldo Silva. Na novela de José Wilker, a personagem Flaviana implicava com o personagem de Wilker por ele se relacionar com uma garota muito mais jovem do que ele, a ninfa bébé, interpretada pela atriz Ludmila Dayer.

Em 2007, Yoná Magalhães integrou o elenco da novela Paraíso Tropical, de Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Na trama, deu vida à ex-vedeta Virgínia, mulher do malandro Belisário Cavalcanti (Hugo Carvana), com quem participava em pequenos golpes que visavam, sobretudo, manter o nível de vida do casal, agora decadente. O personagem de Yoná teve brigas memoráveis com a personagem Iracema(Daisy Lúcidi), que era síndica do edifício Copa Mara, em Copacabana, onde as personagens moravam.
Em 2008, atuou na novela Negócio da China, de Miguel Falabella, interpretando Suzete, mãe da protagonista Lívia (Grazi Massafera) e avó do menino Théo (Eike Duarte).
Yoná Magalhães participou também em importantes minisséries da TV Globo, como Grande Sertão: Veredas (1985) eEngraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados (1995), e atuou em diversas séries da emissora, entre as quais: A Vida Como Ela É, Você Decide e Carga Pesada.

Em 2009, Yoná Magalhães participou na sérieTudo Novo de Novo e na novela Cama de Gato, ambos da Rede Globo, nesta última interpretando Adalgísa Monteiro de Brito, que armava trambiques com Severo, personagem de Paulo Goulart.Yoná foi protagonista de grandes sucessos da televisão como:O Sheik de Agadir,Eu Compro Esta Mulher,A Sombra de Rebeca,Demian, o Justiceiro,A Gata de Vison,A Ponte dos Suspiros,Simplesmente Maria,Uma Rosa com Amor,Cuca Legal,Saramandaia,O Grito,Espelho Mágico,Sinal de Alerta,Gaivotas,Cavalo Amarelo,Maçã do Amor,Amor com Amor se Paga,O Outro eVida Nova.
Com o enorme sucesso da sua personagem Matilde, a dona da boate, na novela Roque Santeiro, foi convidada, em fevereiro de 1985, a posar nua na revista masculina Playboy, aos cinquenta anos de idade.

Teledramaturgia 

2013 - Sangue Bom - Glória Paes
2011 - Tapas & Beijos - Leda
2009 - Cama de Gato - Adalgisa
2009 - Tudo Novo de Novo - Esther (episódios: "Sogras e Lagartos" e "Intimidades")
2008 - Negócio da China - Suzete Noronha
2008 - Dicas de Um Sedutor - Eliana (episódio: "Amor e Amizade")
2007 - Paraíso Tropical - Virgínia Batista
2005 - Carga Pesada - Edna
2005 - Sob Nova Direção - Daslusa Fragoso
2004 - Senhora do Destino - Flaviana
2004 - Um Só Coração - Lígia do Amaral
2003 - Agora É Que São Elas - Sofia
2001 - As Filhas da Mãe - Violante Ventura
2001 - A Padroeira - Úrsula
1999 - Vila Madalena - Bibiana
1998 - Era uma Vez - Anita
1996 - Anjo de Mim - Ivete
1995 - A Próxima Vítima - Carmela Ferreto
1994/99 - Você Decide
1993 - Sonho Meu - Magnólia
1992 - Despedida de Solteiro - Lola
1990 - Meu Bem, Meu Mal - Valentina Venturini
1989 - Tieta - Tonha
1988 - Vida Nova - Lalá
1987 - O Outro - Índia do Brasil
1985 - Roque Santeiro - Matilde
1984 - Amor com Amor se Paga - Grace (Maria da Graça)
1983 - Maçã do Amor - Lia (TV Bandeirantes)
1982 - Os Imigrantes - Terceira geração - Mercedita (TV Bandeirantes)
1981 - Os Imigrantes - Mercedes (TV Bandeirantes)
1980 - Dulcinéa Vai à Guerra - Pepita (TV Bandeirantes)
1980 - Cavalo Amarelo - Pepita (TV Bandeirantes)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
1979 - Gaivotas - Maria Emília (TV Tupi)
1978 - Sinal de Alerta - Talita
1977 - Espelho Mágico - Nora Pelegrini
1976 - Saramandaia - Zélia Tavares
1975 - O Grito - Kátia
1975 - Cuca Legal - Fátima
1974 - Corrida do Ouro - Valquíria
1973 - O Semideus - Adriana
1972 - Uma Rosa com Amor - Nara Paranhos de Vasconcellos
1970 - Simplesmente Maria - Maria (TV Tupi)
1969 - A Ponte dos Suspiros - Leonor Dantolo
1968 - A Gata de Vison - Dolly Parker / Meggy Parker
1968 - Demian, o Justiceiro - Princesa Surama
1967 - A Sombra de Rebeca - Suzuki
1966 - O Sheik de Agadir - Janette Legrand
1966 - Eu Compro Esta Mulher - Maria Teresa
1959 - Trágica Mentira - (TV Tupi)
1955 - As Professoras - (TV Tupi)
         Minisséries 
1995 - Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados - Geni (minissérie)
1985 - Grande Sertão: Veredas - Maria Mutema (minissérie)
        Filmes 

1958 - Alegria de Viver
1958 - Pista de Grama
1964 - Deus e o Diabo na Terra do Sol
1965 - Society em Baby-Doll1
1967 - Opinião Pública
Teatro
Terror e Miséria
Os Físicos
Socity em Baby
Os Inimigos Não Mandam Flores
Balbina de Inhansãn
Vestido de Noiva
Mulher Integral
Falção Peregrino
Vagas Para Moças de Fino Trato
A Partilha
O Milagre da Santa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:53

A HISTORIA DE YONÁ MAGALHÃES(ATRIZ)

Quinta-feira, 26.12.13

 Yoná Magalhães
Yoná Magalhães Gonçalves Mendes da Costa, (Rio de Janeiro, 7 de agosto de 1935) é uma atriz brasileira.Yoná começou a sua carreira na rádio e TV Tupi em 1954, desempenhando pequenos papéis e fazendo figuração. Depois de muito trabalho, teve a sua grande chance e surgiram os grandes papéis e personagens de destaque. Tudo isto ainda antes do video-tape. Quando este surgiu, Yoná já estava casada com o produtor Luís Augusto Mendes, pai do seu filho: Marcos Mendes.
Astros em Revista, Imagens

Apesar de estar afastada do Rio de Janeiro, tendo ido morar para a Bahia, não abandonou o trabalho. Em Salvador, com o grupo A Barca, formado por ex-alunos da escola de teatro e sob a direção de Luís Carlos Maciel, participou em grandes clássicos da TV Itapoã. Convidada por Glauber Rocha, participou também em A Rosa de Deus e em Diabo na Terra do Sol, filmando em Monte Santo, naBahia.No teatro trabalhou com vários autores brasileiros como: Vicente Pereira, Nelson Rodrigues, Plínio Marcos, Guilherme Figueiredo, Miguel Falabella, Pedro Bloch, Alcione Araújo e Carlos E. Neves. Contudo, dedicou-se mais à televisão, onde realizou a maioria dos seus trabalhos.

Em 1964 volta ao Rio de Janeiro, grávida, tendo sido neste ano que nasceu Marcos. Ainda antes de voltar ao vídeo, foi dirigida por Sérgio Cardoso, tendo recebido um convite da atriz Nathália Timberg para trabalhar na peça Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, encenada no Teatro Municipal. Participou ainda nas montagens de Terror e Miséria no Terceiro Reich, de Bertolt Brecht, e em Os Físicos, de Dürrenmat, antes de criar sua própria Companhia, com a qual encenou O Pecado Imortal e Os Inimigos Não Mandam Flores, de Pedro Bloch.A popularidade veio em Março de 1966, quando foi convidada por Walter Clark para participar na novela Eu Compro Essa Mulher (1966), de Glória Magadan, onde formou par com o ator Carlos Alberto, sendo o primeiro par romântico da emissora. A atriz trabalhou ainda em outras novelas da mesma autora, tais como O Sheik de Agadir (1966), com Leila Diniz e Marieta Severo, A Sombra de Rebecca (1967), O Homem Proibido (1968), A Gata de Vison (1968/1969), onde contracenou com Tarcísio Meira e Geraldo Del Rey, e A Ponte dos Suspiros (1969). Com o ator Carlos Alberto Yoná formou a dupla mais famosa da televisão brasileira.

Yoná Magalhães foi a primeira mocinha do casting da Rede Globo.

Transferiu-se para a TV Tupi, de São Paulo, em 1971, junto com Carlos Alberto, tendo ambos participado na novela Simplesmente Maria, dirigida por Walter Avancini. Em 1972, de volta à TV Globo, Yoná Magalhães integrou a novela Uma Rosa com Amor, ao lado de Marília Pêra e Paulo Goulart. Escrita por Vicente Sesso, com a direção de Walter Campos, a novela contava a história da secretária Serafina Rosa Petroni Marília Pêra e do seu amor pelo patrão, Claude Antoine Geraldi Paulo Goulart. Na trama, Yoná Magalhães deu vida a Nara Paranhos de Vasconcelos, que rivalizava com Serafina pelo amor de Claude.
No ano seguinte, integrou o elenco de O Semideus (1973),de Janete Clair, sob a direção de Daniel Filho e Walter Avancini. Faziam parte do elenco, Tarcísio Meira, Glória Menezes, Francisco Cuoco, entre outros. Em 1974, atuou em Corrida do Ouro, de Lauro César Muniz, que teve a colaboração de Gilberto Braga e a direção de Reynaldo Boury.

Em 1975, a atriz participou em duas novelas de sucesso: Cuca Legal, de Marcos Rey, sob a direção de Oswaldo Loureiro, e O Grito, de Jorge Andrade, que foi dirigida por Walter Avancini, Roberto Talma e Gonzaga Blota. No ano seguinte, Yoná Magalhães integrou o elenco de Saramandaia, de Dias Gomes, sendo novamente dirigida pelo mesmo trio. Yoná participou, ainda, emEspelho Mágico (1977), de Lauro César Muniz, com direção de Daniel Filho, Gonzaga Blota e Marco Aurélio Bagno. No enredo, que retratava o quotidiano dos profissionais que trabalham na televisão, Yoná Magalhães interpretou Nora Pelegrini, uma ex-estrela que desempenhava papéis secundários.Sinal de Alerta, escrita por Dias Gomes e Walter George Durst, em 1978, apresentou a atriz no papel da jornalista Talita, proprietária da Folha do Rio, um jornal que liderava uma campanha contra a deterioração do meio ambiente. A novela teve direção de Jardel Mello, Gonzaga Blota e Paulo Ubiratan.

No final da década de 70, mudou-se para São Paulo, onde trabalhou na TV Tupi, atuando na novela Gaivotas (1979), de Jorge Andrade, e na TV Bandeirantes, onde participou nas novelas Cavalo Amarelo (1980), de Ivani Ribeiro, Os Imigrantes (1981), de Benedito Ruy Barbosa, Wilson Aguiar Filho e Renata Palottini, e Maçã do Amor (1983), de Wilson Aguiar Filho.
Cinco anos depois, de volta ao Rio de Janeiro e à TV Globo, Yoná Magalhães viveu a jovem americanófila Maria das Graças, na novela Amor com Amor se Paga, escrita pela autora Ivani Ribeiro e dirigida por Atílio Riccó, Jayme Monjardim e Gonzaga Blota.
No ano seguinte, participou na novela de maior sucesso da história da TV Globo: Roque Santeiro (1985), de Dias Gomes e Aguinaldo Silva. Na trama, dirigida por Paulo Ubiratan, Jayme Monjardim, Gonzaga Blota e Marcos Paulo, a atriz deu vida a Matilde, dona de uma boate onde trabalhavam as dançarinas Ninon (Cláudia Raia) e Rosaly (Isis de Oliveira).

A seguir, Yoná Magalhães integrou a novela O Outro (1987), escrita por Aguinaldo Silva, na qual interpretou a exuberante Índia do Brasil, secretária do personagem Denizard, interpretado por Francisco Cuoco. No ano seguinte, desempenhou um papel em Tieta (1989), de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares, tendo dado vida a Tonha, mulher de Zé Esteves Sebastião Vasconcelos, pai de Tieta Betty Faria.Em 1990, atuou em Meu Bem, Meu Mal, de Cassiano Gabus Mendes, no papel de Valentina, irmã de Dom Lázaro, desempenhado pelo ator Lima Duarte. Dois anos depois, participou na novela Despedida de Solteiro (1992), escrita por Walther Negrão, Rose Calza e Ângela Carneiro, sob a direção de Reynaldo Boury, Carlos Manga Júnior e Cláudio Cavalcanti. Até o final da década de 90, participou ainda em outras três novelas do autor Walther Negrão: Anjo de Mim (1996), na qual interpretou Ivete; Era uma vez... (1998), no papel de Anita; e Vila Madalena (1998), quando viveu Abigail Rodriguez, a Bibiana.

Em 2001, a atriz participou de duas novelas: A Padroeira, de Walcyr Carrasco, com a direção de Walter Avancini – em seu último trabalho – e Mário Márcio Bandarra. E As Filhas da Mãe, escrita por Silvio de Abreu, Alcides Nogueira e Bosco Brasil, com direção de Jorge Fernando. Do autor Silvio de Abreu, Yoná Magalhães trabalhou ainda em A Próxima Vítima (1995), no papel de Carmela Ferreto (Cacá), uma das quatro irmãs Ferreto (as outras foram Filomena Ferreto (Aracy Balabanian), Francisca Ferreto (Tereza Rachel) e Romana Ferreto (Rosamaria Murtinho. A personagem de Yoná era mãe de Isabella Ferreto (Cláudia Ohana), a vilã da novela e ex-esposa de Adalberto, interpretado por Cecil Thiré, o pai de Isabella, que no final viria a ser o serial-killer da trama. O personagem de Yoná causou grandes discussões, por ter um relacionamento com um rapaz muito mais jovem do que ela - Adriano, interpretado pelo ator Lugui Palhares.
Em Agora é que São Elas (2003), novela de Ricardo Linhares, a atriz viveu Sofia, sob a direção de Roberto Talma, Leandro Nery e Amora Mautner. No ano seguinte, a atriz interpretou Flaviana, sogra do personagem de José Wilker, e Giovanni Improtta, em Senhora do Destino, de Aguinaldo Silva. Na novela de José Wilker, a personagem Flaviana implicava com o personagem de Wilker por ele se relacionar com uma garota muito mais jovem do que ele, a ninfa bébé, interpretada pela atriz Ludmila Dayer.

Em 2007, Yoná Magalhães integrou o elenco da novela Paraíso Tropical, de Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Na trama, deu vida à ex-vedeta Virgínia, mulher do malandro Belisário Cavalcanti (Hugo Carvana), com quem participava em pequenos golpes que visavam, sobretudo, manter o nível de vida do casal, agora decadente. O personagem de Yoná teve brigas memoráveis com a personagem Iracema(Daisy Lúcidi), que era síndica do edifício Copa Mara, em Copacabana, onde as personagens moravam.
Em 2008, atuou na novela Negócio da China, de Miguel Falabella, interpretando Suzete, mãe da protagonista Lívia (Grazi Massafera) e avó do menino Théo (Eike Duarte).
Yoná Magalhães participou também em importantes minisséries da TV Globo, como Grande Sertão: Veredas (1985) eEngraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados (1995), e atuou em diversas séries da emissora, entre as quais: A Vida Como Ela É, Você Decide e Carga Pesada.

Em 2009, Yoná Magalhães participou na sérieTudo Novo de Novo e na novela Cama de Gato, ambos da Rede Globo, nesta última interpretando Adalgísa Monteiro de Brito, que armava trambiques com Severo, personagem de Paulo Goulart.Yoná foi protagonista de grandes sucessos da televisão como:O Sheik de Agadir,Eu Compro Esta Mulher,A Sombra de Rebeca,Demian, o Justiceiro,A Gata de Vison,A Ponte dos Suspiros,Simplesmente Maria,Uma Rosa com Amor,Cuca Legal,Saramandaia,O Grito,Espelho Mágico,Sinal de Alerta,Gaivotas,Cavalo Amarelo,Maçã do Amor,Amor com Amor se Paga,O Outro eVida Nova.
Com o enorme sucesso da sua personagem Matilde, a dona da boate, na novela Roque Santeiro, foi convidada, em fevereiro de 1985, a posar nua na revista masculina Playboy, aos cinquenta anos de idade.

Teledramaturgia 

2013 - Sangue Bom - Glória Paes
2011 - Tapas & Beijos - Leda
2009 - Cama de Gato - Adalgisa
2009 - Tudo Novo de Novo - Esther (episódios: "Sogras e Lagartos" e "Intimidades")
2008 - Negócio da China - Suzete Noronha
2008 - Dicas de Um Sedutor - Eliana (episódio: "Amor e Amizade")
2007 - Paraíso Tropical - Virgínia Batista
2005 - Carga Pesada - Edna
2005 - Sob Nova Direção - Daslusa Fragoso
2004 - Senhora do Destino - Flaviana
2004 - Um Só Coração - Lígia do Amaral
2003 - Agora É Que São Elas - Sofia
2001 - As Filhas da Mãe - Violante Ventura
2001 - A Padroeira - Úrsula
1999 - Vila Madalena - Bibiana
1998 - Era uma Vez - Anita
1996 - Anjo de Mim - Ivete
1995 - A Próxima Vítima - Carmela Ferreto
1994/99 - Você Decide
1993 - Sonho Meu - Magnólia
1992 - Despedida de Solteiro - Lola
1990 - Meu Bem, Meu Mal - Valentina Venturini
1989 - Tieta - Tonha
1988 - Vida Nova - Lalá
1987 - O Outro - Índia do Brasil
1985 - Roque Santeiro - Matilde
1984 - Amor com Amor se Paga - Grace (Maria da Graça)
1983 - Maçã do Amor - Lia (TV Bandeirantes)
1982 - Os Imigrantes - Terceira geração - Mercedita (TV Bandeirantes)
1981 - Os Imigrantes - Mercedes (TV Bandeirantes)
1980 - Dulcinéa Vai à Guerra - Pepita (TV Bandeirantes)
1980 - Cavalo Amarelo - Pepita (TV Bandeirantes)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
1979 - Gaivotas - Maria Emília (TV Tupi)
1978 - Sinal de Alerta - Talita
1977 - Espelho Mágico - Nora Pelegrini
1976 - Saramandaia - Zélia Tavares
1975 - O Grito - Kátia
1975 - Cuca Legal - Fátima
1974 - Corrida do Ouro - Valquíria
1973 - O Semideus - Adriana
1972 - Uma Rosa com Amor - Nara Paranhos de Vasconcellos
1970 - Simplesmente Maria - Maria (TV Tupi)
1969 - A Ponte dos Suspiros - Leonor Dantolo
1968 - A Gata de Vison - Dolly Parker / Meggy Parker
1968 - Demian, o Justiceiro - Princesa Surama
1967 - A Sombra de Rebeca - Suzuki
1966 - O Sheik de Agadir - Janette Legrand
1966 - Eu Compro Esta Mulher - Maria Teresa
1959 - Trágica Mentira - (TV Tupi)
1955 - As Professoras - (TV Tupi)
         Minisséries 
1995 - Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados - Geni (minissérie)
1985 - Grande Sertão: Veredas - Maria Mutema (minissérie)
        Filmes 

1958 - Alegria de Viver
1958 - Pista de Grama
1964 - Deus e o Diabo na Terra do Sol
1965 - Society em Baby-Doll1
1967 - Opinião Pública
Teatro
Terror e Miséria
Os Físicos
Socity em Baby
Os Inimigos Não Mandam Flores
Balbina de Inhansãn
Vestido de Noiva
Mulher Integral
Falção Peregrino
Vagas Para Moças de Fino Trato
A Partilha
O Milagre da Santa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 20:53

os invisiveis 1999-2000(capas vertigo)

Quinta-feira, 26.12.13
44759-7289-51809-1-invisibles-the_super44760-7289-51810-1-invisibles-the_super44761-7289-51811-1-invisibles-the_super44762-7289-51812-1-invisibles-the_super44763-7289-51813-1-invisibles-the_super44764-7289-51814-1-invisibles-the_super44765-7289-51815-1-invisibles-the_super44766-7289-51816-1-invisibles-the_super44767-7289-51817-1-invisibles-the_super44768-7289-51818-1-invisibles-the_super44769-7289-51819-1-invisibles-the_super44770-7289-51820-1-invisibles-the_super

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:43

os invisiveis 1999-2000(capas vertigo)

Quinta-feira, 26.12.13
44759-7289-51809-1-invisibles-the_super44760-7289-51810-1-invisibles-the_super44761-7289-51811-1-invisibles-the_super44762-7289-51812-1-invisibles-the_super44763-7289-51813-1-invisibles-the_super44764-7289-51814-1-invisibles-the_super44765-7289-51815-1-invisibles-the_super44766-7289-51816-1-invisibles-the_super44767-7289-51817-1-invisibles-the_super44768-7289-51818-1-invisibles-the_super44769-7289-51819-1-invisibles-the_super44770-7289-51820-1-invisibles-the_super

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:43

os invisiveis 1997-1999(capas vertigo)

Quinta-feira, 26.12.13
38756-5956-43559-1-invisibles-the_super38845-5956-43662-1-invisibles-the_super38920-5956-43749-1-invisibles-the_super39008-5956-43853-1-invisibles-the_super39093-5956-43954-1-invisibles-the_super39177-5956-44060-1-invisibles-the_super39326-5956-44238-1-invisibles-the_super39412-5956-44343-1-invisibles-the_super39494-5956-44436-1-invisibles-the_super39639-5956-44614-1-invisibles-the_super40494-5956-45631-1-invisibles-the_super40540-5956-45690-1-invisibles-the_super205771-5956-115330-2-invisibles-the_super696952-invisibles2_super

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:42

os invisiveis 1997-1999(capas vertigo)

Quinta-feira, 26.12.13
38756-5956-43559-1-invisibles-the_super38845-5956-43662-1-invisibles-the_super38920-5956-43749-1-invisibles-the_super39008-5956-43853-1-invisibles-the_super39093-5956-43954-1-invisibles-the_super39177-5956-44060-1-invisibles-the_super39326-5956-44238-1-invisibles-the_super39412-5956-44343-1-invisibles-the_super39494-5956-44436-1-invisibles-the_super39639-5956-44614-1-invisibles-the_super40494-5956-45631-1-invisibles-the_super40540-5956-45690-1-invisibles-the_super205771-5956-115330-2-invisibles-the_super696952-invisibles2_super

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:42

A HISTORIA DA BONECA ASSASSINA

Quinta-feira, 26.12.13
 Annabelle: A Boneca Demoníaca
Você acredita em objetos possuídos? Amaldiçoados? E em bonecas assombradas que se mexem sozinhas e podem até matar?   Esta é uma história real e assustadora sobre uma boneca  chamada Annabelle.
O caso de Annabelle foi investigado por ninguém menos que o famoso casal de demonologistas e investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren. Para quem não lembra, foram eles que investigaram, por exemplo, o caso em Amityville, uma das maiores tragédias nos EUA e que posteriormente virou filme. Embora Ed já seja falecido, Lorraine também sempre participa de investigações paranormais no programa “Paranormal State” (Estado Paranormal, no Canal bio.) à convite de Ryan Buell.
O caso que vamos ver a seguir, da boneca Annabelle, é um dos mais famosos dos Warren e está registrado no livro “The Demonologist” (O Demonologista). O texto foi retirado do site oficial dos Warren e traduzido para o português.
Reconstituição do Caso Annabelle. 
 
Em 1970, uma mãe comprou uma antiga boneca Raggedy Ann* de uma Hobby Store (Loja especializada em bonecas de coleção). A boneca foi um presente para sua filha, Donna, em seu aniversário. Donna, na época, era uma estudante na faculdade, preparando-se para formar-se em enfermagem e residia em um apartamento minúsculo com sua companheira de quarto Anngie (uma enfermeira também). Contente com a boneca, Donna a colocou em sua cama como uma decoração e não lhe deu maior atenção até alguns dias mais tarde.
O caso que vamos ver a seguir, da boneca Annabelle, é um dos mais famosos dos Warren e está registrado no livro “The Demonologist” (O Demonologista). O texto foi retirado do site oficial dos Warren e traduzido para o português.
Com o tempo, Donna e Angie notaram que parecia haver algo de muito estranho e assustador com a boneca. A boneca, aparentemente, movia-se sozinha, num primeiro momento movimentos relativamente imperceptíveis, como uma mudança de posição, mas com o tempo o movimento se tornou mais perceptível. Donna e Angie vinham para casa e encontravam a boneca em uma sala completamente diferente da que a haviam deixado. Às vezes, a boneca era encontrada de braços e pernas cruzadas no sofá, outras vezes era encontrada na posição vertical, em pé, encostada em uma cadeira na sala de jantar. Várias vezes Donna colocava a boneca no sofá antes de sair para o trabalho, e quando voltava para casa encontrava a boneca de volta em seu quarto sobre a cama com a porta fechada.O caso que vamos ver a seguir, da boneca Annabelle, é um dos mais famosos dos Warren e está registrado no livro “The Demonologist” (O Demonologista). O texto foi retirado do site oficial dos Warren e traduzido para o português.
As Mensagens
Annabelle, a boneca, não só se mexia, mas escrevia também. Com cerca de um mês de experiências, Donna e Angie começaram a encontrar mensagens à lápis sobre um papel de pergaminho onde lia-se "Ajude-nos" e "Ajude Lou". A escrita à mão parecia pertencer a uma criança pequena. A parte assustadora sobre as mensagens não eram os textos, mas a maneira como eles foram escritos. Naquela época, Donna não tinha papel de pergaminho em sua casa, onde as mensagens foram escritas. Então, de onde veio isso?
A Médium
Uma noite, Donna voltou para casa e encontrou a boneca novamente em uma posição diferente da que havia deixado, desta vez em sua cama. Donna descobrira que isso era típico da boneca, mas de alguma forma ela sabia que desta vez era diferente, algo não estava certo. Uma sensação de medo tomou conta dela quando, ao inspecionar a boneca, viu o que pareciam gotas de sangue na parte de trás de suas mãos e em seu peito. Aparentemente, do nada, uma substância líquida e vermelha apareceu na boneca. Assustada e desesperada Donna e Angie decidiram que era hora de procurar aconselhamento especializado.Sem saber para onde ir, elas contactaram uma médium e uma sessão foi realizada. Donna foi então apresentada ao espírito de Annabelle Higgins. A médium relatou a história de Annabelle para Donna e Angie. Annabelle era uma jovem que residia na propriedade antes dos apartamentos serem construídos, aqueles foram "momentos felizes". Ela era uma menina de apenas sete anos de idade quando seu corpo sem vida foi encontrado no campo em que o complexo de apartamentos estava agora.O espírito relatou à médium que ela se sentiu confortável com Donna e Angie e queria ficar com elas e ser amada. Sentindo compaixão por Annabell e sua história, Donna permitiu que a boneca continuasse “possuída” para que Annabell pudesse ficar com elas. No entanto, elas logo descobriram que Annabelle não era o que parecia ser. Isso não era um caso comum e definitivamente aquela não era uma boneca comum.
 O relato de Lou

Lou era amigo de Donna e Angie e tinha estado com elas desde o dia em que a boneca chegou. Lou nunca gostou da boneca e em várias ocasiões advertiu Donna que ela era do mal e era para livrar-se dela. Porém, Donna tinha um laço de compaixão com a boneca e sem dar muito crédito aos “sentimentos” de Lou, manteve a boneca. Mas a decisão de Donna, ao que parece, foi um erro terrível.
Lou acordou uma noite de um sono profundo e em pânico. Mais uma vez ele teve um pesadelo recorrente. Só que desta vez, de alguma forma, algo parecia diferente. Era como se ele estivesse acordado, mas não podia se mover. Ele olhou ao redor da sala, mas não podia discernir nada fora do comum, e então aconteceu. Olhando para baixo em direção a seus pés, ele viu a boneca, Annabelle. Ela começou a deslizar lentamente subindo por sua perna, depois sobre seu peito e então parou. Em poucos segundos a boneca começou a estrangulá-lo. Paralisado e ofegante Lou, no ponto de asfixia, apagou. Lou acordou na manhã seguinte, certo de que não era um sonho, ele estava determinado a livrar-se da boneca e do espírito que a possuía. Lou, no entanto, teria mais uma experiência terrível com Annabelle.Preparando-se para uma viagem no dia seguinte, Lou e Angie estavam olhando mapas sozinhos em seu apartamento. O apartamento parecia estranhamente silencioso. De repente, sons de farfalhar vindos da sala de Donna despertou o medo de que alguém poderia ter entrado no apartamento. Lou, determinado a descobrir quem ou o que estava ali, foi caminhando calmamente para a porta do quarto. Ele esperou que os ruídos parassem antes de entrar e acender a luz. A sala estava vazia, exceto por Annabelle que estava jogada no chão, no canto.
Lou vasculhou a sala procurando por sinais de uma entrada forçada, mas nada estava fora do lugar. Porém, conforme ele se aproximava da boneca, teve a nítida impressão de que alguém estava atrás dele. Ao se virar rapidamente, percebeu que não havia mais ninguém lá. Logo em seguida, em um flash ele se viu agarrando seu peito, se encurvando de dor, com cortes e sangrando. Sua camisa estava manchada de sangue e ao abrir a camisa, lá no seu peito, estava o que parecia ser sete marcas de garras distintas, três na vertical e quatro na horizontal, todas estavam quentes como queimaduras. Essas marcas se curaram quase imediatamente, no dia seguinte já estavam bem fracas e no segundo dia já haviam desaparecido completamente.

Investigação Paranormal: Os Warren


Donna finalmente estava disposta a acreditar que o espírito na casa não era o de uma menininha, mas um espírito não-humano e demoníaco por natureza. Depois da experiência de Lou, Donna sentiu que era hora de procurar aconselhamento realmente especializado e entrou em contato com um padre episcopal chamado Padre Hegan. Padre Hegan sentiu que era uma questão espiritual e que precisava entrar em contato com uma autoridade maior na igreja, então ele contatou o Padre Cooke, que imediatamente contatou os Warren.
Ed e Lorraine Warren imediatamente tiveram interesse no caso e entraram em contato com Donna a respeito da boneca. Os Warren, depois de falar com Donna, Angie, e Lou chegaram à conclusão imediata de que a boneca em si não era de fato possuída, mas manipulada por uma presença não-humana. Espíritos não possuem objetos inanimados, como casas ou brinquedos, eles possuem pessoas. Um espírito não-humano pode vincular-se a um lugar ou objeto e isso é o que ocorreu no caso Annabelle. Este espírito manipulou a boneca e criou a ilusão de que ela estava viva, a fim de obter reconhecimento, chamar a atenção. Na verdade, o espírito não estava pretendendo ficar ligado à boneca, ele estava tentando possuir um hospedeiro humano.
O espírito ou, neste caso, um espírito demoníaco não-humano, estava essencialmente na fase de infestação do fenômeno. Ele começou a mover a boneca pelo apartamento por meio de teletransporte para despertar a curiosidade dos moradores na esperança de que eles lhe dariam atenção. E deram. Cometeram o previsível erro de chamar um médium ao apartamento para se comunicar com ele. O espírito não-humano, agora capaz de se comunicar com o médium, explorou as vulnerabilidades emocionais das moradoras fingindo ser uma inofensiva menininha perdida, a qual, durante a sessão, foi dada a permissão (por Donna) para assombrar o apartamento. Assim como um espírito demoníaco é negativo, assim também são os fenômenos causados por ele, claramente negativos. Ele despertou o medo através dos movimentos estranhos daquela boneca, trouxe a materialização de perturbadoras mensagens manuscritas, as gotas simbólicas de sangue na boneca, e por último chegou a atacar Lou, deixando nele a marca simbólica da besta. A próxima etapa da infestação do fenômeno teria sido uma possessão humana completa. Se essas experiências durassem mais duas ou três semanas, o espírito iria se apossar totalmente, isso se não prejudicasse ou matasse um ou todos os ocupantes da casa.
Na conclusão da investigação, os Warren consideraram oportuno ter uma recitação de uma bênção de exorcismo pelo Padre Cooke para limpar o apartamento. "A bênção episcopal da casa é demorada, um documento de sete páginas que é claramente de natureza positiva. Ao invés de expulsar especificamente entidades malignas da habitação, a ênfase é voltada para encher a casa com poderes positivos e de Deus." (Ed Warren). A pedido de Donna, e como uma precaução adicional para que os fenômenos não ocorram na casa novamente, os Warren levaram a velha boneca de pano junto com eles quando saíram.
FIM DO CASO
Padre Cooke, embora desconfortável com seu papel de um exorcista, concordou em realizar o ritual de exorcismo de sete páginas, uma doutrina que ele recitou em todo o apartamento até o ponto em que os Warren estavam confiantes de que a entidade não mais residia lá. Eles concordaram em levar a boneca de pano de volta para casa com eles. Antes de ir, Ed colocou a boneca no banco de trás do carro e concordou que não iria dirigir pela interestadual, no caso de o espírito não-humano ainda residir com a boneca.Suas suspeitas foram todas confirmadas, os Warren sentiram-se como objetos de um ódio vicioso. Então, em cada curva perigosa o carro patinava e morria causando falha na direção hidráulica e nos freios. Repetidamente o carro beirava a colisão. 

Ed então parou o carro, foi até o banco de trás e pegou, em sua bolsa preta, um frasco de água benta e encharcou a boneca fazendo o sinal da cruz sobre ela. Os distúrbios pararam imediatamente e os Warren chegaram em casa em segurança.Após os Warren chegarem em casa, Ed sentou a boneca em uma cadeira ao lado de sua mesa. A boneca levitou várias vezes no início, em seguida, ela parecia cair inerte. Durante as semanas que se seguiram, no entanto, a boneca começou a aparecer em várias salas da casa. Quando os Warren saiam e deixavam a boneca trancada no edifício exterior, eles muitas vezes voltavam e quando abriam a porta da frente encontravam a boneca sentada confortavelmente em cima de cadeira de Ed. A boneca também mostrou um ódio por clérigos que vieram até a casa.
Em uma ocasião o Padre Jason Bradford, um exorcista católico, chegou à casa. Ao ver a boneca sentada na cadeira, ele pegou e disse: "Você é apenas uma boneca de pano, Annabelle, você não pode machucar ninguém", e jogou a boneca de volta na cadeira, nesse ponto Ed exclamou: "Isso é uma coisa que é melhor você não dizer." Ao sair, uma hora mais tarde, Lorraine pediu encarecidamente ao padre para que tomasse muito cuidado ao dirigir e que ligasse para ela quando chegasse em casa. Lorraine previu tragédia para este jovem sacerdote, mas ele teve de seguir o seu caminho. Poucas horas depois Padre Jason ligou para Lorraine e explicou que seus freios falharam quando ele entrou em um cruzamento movimentado. Ele foi envolvido em um acidente quase fatal que destruiu seu veículo. Este foi apenas um dos muitos eventos que ocorreram durante os próximos anos.Os Warren tem uma caixa construída especialmente para Annabelle dentro do Museu Ocultista, onde ela reside até hoje. Desde que a caixa foi construída, Annabelle parece não mais se mover, mas ela é tida como responsável pela morte de um jovem que veio para o museu em uma moto com sua namorada. O jovem, após ouvir o relato de Ed sobre a boneca, desafiadoramente foi para cima e começou a bater sobre a caixa insistindo que, se a boneca podia deixar marcas nas pessoas, então ele queria ser marcado também. Ed disse para o jovem: “Filho, você precisa sair " e o colocou para fora do prédio.
No caminho para casa, o jovem e sua namorada estavam rindo e zombando da boneca quando perderam o controle da motocicleta e bateram com a cabeça em uma árvore. O jovem foi morto instantaneamente, mas sua namorada sobreviveu e ficou hospitalizada por mais de um ano. Quando perguntado o que aconteceu, a jovem explicou que eles estavam rindo da boneca, quando perderam o controle da motocicleta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:23

A HISTORIA DA BONECA ASSASSINA

Quinta-feira, 26.12.13
 Annabelle: A Boneca Demoníaca
Você acredita em objetos possuídos? Amaldiçoados? E em bonecas assombradas que se mexem sozinhas e podem até matar?   Esta é uma história real e assustadora sobre uma boneca  chamada Annabelle.
O caso de Annabelle foi investigado por ninguém menos que o famoso casal de demonologistas e investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren. Para quem não lembra, foram eles que investigaram, por exemplo, o caso em Amityville, uma das maiores tragédias nos EUA e que posteriormente virou filme. Embora Ed já seja falecido, Lorraine também sempre participa de investigações paranormais no programa “Paranormal State” (Estado Paranormal, no Canal bio.) à convite de Ryan Buell.
O caso que vamos ver a seguir, da boneca Annabelle, é um dos mais famosos dos Warren e está registrado no livro “The Demonologist” (O Demonologista). O texto foi retirado do site oficial dos Warren e traduzido para o português.
Reconstituição do Caso Annabelle. 
 
Em 1970, uma mãe comprou uma antiga boneca Raggedy Ann* de uma Hobby Store (Loja especializada em bonecas de coleção). A boneca foi um presente para sua filha, Donna, em seu aniversário. Donna, na época, era uma estudante na faculdade, preparando-se para formar-se em enfermagem e residia em um apartamento minúsculo com sua companheira de quarto Anngie (uma enfermeira também). Contente com a boneca, Donna a colocou em sua cama como uma decoração e não lhe deu maior atenção até alguns dias mais tarde.
O caso que vamos ver a seguir, da boneca Annabelle, é um dos mais famosos dos Warren e está registrado no livro “The Demonologist” (O Demonologista). O texto foi retirado do site oficial dos Warren e traduzido para o português.
Com o tempo, Donna e Angie notaram que parecia haver algo de muito estranho e assustador com a boneca. A boneca, aparentemente, movia-se sozinha, num primeiro momento movimentos relativamente imperceptíveis, como uma mudança de posição, mas com o tempo o movimento se tornou mais perceptível. Donna e Angie vinham para casa e encontravam a boneca em uma sala completamente diferente da que a haviam deixado. Às vezes, a boneca era encontrada de braços e pernas cruzadas no sofá, outras vezes era encontrada na posição vertical, em pé, encostada em uma cadeira na sala de jantar. Várias vezes Donna colocava a boneca no sofá antes de sair para o trabalho, e quando voltava para casa encontrava a boneca de volta em seu quarto sobre a cama com a porta fechada.O caso que vamos ver a seguir, da boneca Annabelle, é um dos mais famosos dos Warren e está registrado no livro “The Demonologist” (O Demonologista). O texto foi retirado do site oficial dos Warren e traduzido para o português.
As Mensagens
Annabelle, a boneca, não só se mexia, mas escrevia também. Com cerca de um mês de experiências, Donna e Angie começaram a encontrar mensagens à lápis sobre um papel de pergaminho onde lia-se "Ajude-nos" e "Ajude Lou". A escrita à mão parecia pertencer a uma criança pequena. A parte assustadora sobre as mensagens não eram os textos, mas a maneira como eles foram escritos. Naquela época, Donna não tinha papel de pergaminho em sua casa, onde as mensagens foram escritas. Então, de onde veio isso?
A Médium
Uma noite, Donna voltou para casa e encontrou a boneca novamente em uma posição diferente da que havia deixado, desta vez em sua cama. Donna descobrira que isso era típico da boneca, mas de alguma forma ela sabia que desta vez era diferente, algo não estava certo. Uma sensação de medo tomou conta dela quando, ao inspecionar a boneca, viu o que pareciam gotas de sangue na parte de trás de suas mãos e em seu peito. Aparentemente, do nada, uma substância líquida e vermelha apareceu na boneca. Assustada e desesperada Donna e Angie decidiram que era hora de procurar aconselhamento especializado.Sem saber para onde ir, elas contactaram uma médium e uma sessão foi realizada. Donna foi então apresentada ao espírito de Annabelle Higgins. A médium relatou a história de Annabelle para Donna e Angie. Annabelle era uma jovem que residia na propriedade antes dos apartamentos serem construídos, aqueles foram "momentos felizes". Ela era uma menina de apenas sete anos de idade quando seu corpo sem vida foi encontrado no campo em que o complexo de apartamentos estava agora.O espírito relatou à médium que ela se sentiu confortável com Donna e Angie e queria ficar com elas e ser amada. Sentindo compaixão por Annabell e sua história, Donna permitiu que a boneca continuasse “possuída” para que Annabell pudesse ficar com elas. No entanto, elas logo descobriram que Annabelle não era o que parecia ser. Isso não era um caso comum e definitivamente aquela não era uma boneca comum.
 O relato de Lou

Lou era amigo de Donna e Angie e tinha estado com elas desde o dia em que a boneca chegou. Lou nunca gostou da boneca e em várias ocasiões advertiu Donna que ela era do mal e era para livrar-se dela. Porém, Donna tinha um laço de compaixão com a boneca e sem dar muito crédito aos “sentimentos” de Lou, manteve a boneca. Mas a decisão de Donna, ao que parece, foi um erro terrível.
Lou acordou uma noite de um sono profundo e em pânico. Mais uma vez ele teve um pesadelo recorrente. Só que desta vez, de alguma forma, algo parecia diferente. Era como se ele estivesse acordado, mas não podia se mover. Ele olhou ao redor da sala, mas não podia discernir nada fora do comum, e então aconteceu. Olhando para baixo em direção a seus pés, ele viu a boneca, Annabelle. Ela começou a deslizar lentamente subindo por sua perna, depois sobre seu peito e então parou. Em poucos segundos a boneca começou a estrangulá-lo. Paralisado e ofegante Lou, no ponto de asfixia, apagou. Lou acordou na manhã seguinte, certo de que não era um sonho, ele estava determinado a livrar-se da boneca e do espírito que a possuía. Lou, no entanto, teria mais uma experiência terrível com Annabelle.Preparando-se para uma viagem no dia seguinte, Lou e Angie estavam olhando mapas sozinhos em seu apartamento. O apartamento parecia estranhamente silencioso. De repente, sons de farfalhar vindos da sala de Donna despertou o medo de que alguém poderia ter entrado no apartamento. Lou, determinado a descobrir quem ou o que estava ali, foi caminhando calmamente para a porta do quarto. Ele esperou que os ruídos parassem antes de entrar e acender a luz. A sala estava vazia, exceto por Annabelle que estava jogada no chão, no canto.
Lou vasculhou a sala procurando por sinais de uma entrada forçada, mas nada estava fora do lugar. Porém, conforme ele se aproximava da boneca, teve a nítida impressão de que alguém estava atrás dele. Ao se virar rapidamente, percebeu que não havia mais ninguém lá. Logo em seguida, em um flash ele se viu agarrando seu peito, se encurvando de dor, com cortes e sangrando. Sua camisa estava manchada de sangue e ao abrir a camisa, lá no seu peito, estava o que parecia ser sete marcas de garras distintas, três na vertical e quatro na horizontal, todas estavam quentes como queimaduras. Essas marcas se curaram quase imediatamente, no dia seguinte já estavam bem fracas e no segundo dia já haviam desaparecido completamente.

Investigação Paranormal: Os Warren


Donna finalmente estava disposta a acreditar que o espírito na casa não era o de uma menininha, mas um espírito não-humano e demoníaco por natureza. Depois da experiência de Lou, Donna sentiu que era hora de procurar aconselhamento realmente especializado e entrou em contato com um padre episcopal chamado Padre Hegan. Padre Hegan sentiu que era uma questão espiritual e que precisava entrar em contato com uma autoridade maior na igreja, então ele contatou o Padre Cooke, que imediatamente contatou os Warren.
Ed e Lorraine Warren imediatamente tiveram interesse no caso e entraram em contato com Donna a respeito da boneca. Os Warren, depois de falar com Donna, Angie, e Lou chegaram à conclusão imediata de que a boneca em si não era de fato possuída, mas manipulada por uma presença não-humana. Espíritos não possuem objetos inanimados, como casas ou brinquedos, eles possuem pessoas. Um espírito não-humano pode vincular-se a um lugar ou objeto e isso é o que ocorreu no caso Annabelle. Este espírito manipulou a boneca e criou a ilusão de que ela estava viva, a fim de obter reconhecimento, chamar a atenção. Na verdade, o espírito não estava pretendendo ficar ligado à boneca, ele estava tentando possuir um hospedeiro humano.
O espírito ou, neste caso, um espírito demoníaco não-humano, estava essencialmente na fase de infestação do fenômeno. Ele começou a mover a boneca pelo apartamento por meio de teletransporte para despertar a curiosidade dos moradores na esperança de que eles lhe dariam atenção. E deram. Cometeram o previsível erro de chamar um médium ao apartamento para se comunicar com ele. O espírito não-humano, agora capaz de se comunicar com o médium, explorou as vulnerabilidades emocionais das moradoras fingindo ser uma inofensiva menininha perdida, a qual, durante a sessão, foi dada a permissão (por Donna) para assombrar o apartamento. Assim como um espírito demoníaco é negativo, assim também são os fenômenos causados por ele, claramente negativos. Ele despertou o medo através dos movimentos estranhos daquela boneca, trouxe a materialização de perturbadoras mensagens manuscritas, as gotas simbólicas de sangue na boneca, e por último chegou a atacar Lou, deixando nele a marca simbólica da besta. A próxima etapa da infestação do fenômeno teria sido uma possessão humana completa. Se essas experiências durassem mais duas ou três semanas, o espírito iria se apossar totalmente, isso se não prejudicasse ou matasse um ou todos os ocupantes da casa.
Na conclusão da investigação, os Warren consideraram oportuno ter uma recitação de uma bênção de exorcismo pelo Padre Cooke para limpar o apartamento. "A bênção episcopal da casa é demorada, um documento de sete páginas que é claramente de natureza positiva. Ao invés de expulsar especificamente entidades malignas da habitação, a ênfase é voltada para encher a casa com poderes positivos e de Deus." (Ed Warren). A pedido de Donna, e como uma precaução adicional para que os fenômenos não ocorram na casa novamente, os Warren levaram a velha boneca de pano junto com eles quando saíram.
FIM DO CASO
Padre Cooke, embora desconfortável com seu papel de um exorcista, concordou em realizar o ritual de exorcismo de sete páginas, uma doutrina que ele recitou em todo o apartamento até o ponto em que os Warren estavam confiantes de que a entidade não mais residia lá. Eles concordaram em levar a boneca de pano de volta para casa com eles. Antes de ir, Ed colocou a boneca no banco de trás do carro e concordou que não iria dirigir pela interestadual, no caso de o espírito não-humano ainda residir com a boneca.Suas suspeitas foram todas confirmadas, os Warren sentiram-se como objetos de um ódio vicioso. Então, em cada curva perigosa o carro patinava e morria causando falha na direção hidráulica e nos freios. Repetidamente o carro beirava a colisão. 

Ed então parou o carro, foi até o banco de trás e pegou, em sua bolsa preta, um frasco de água benta e encharcou a boneca fazendo o sinal da cruz sobre ela. Os distúrbios pararam imediatamente e os Warren chegaram em casa em segurança.Após os Warren chegarem em casa, Ed sentou a boneca em uma cadeira ao lado de sua mesa. A boneca levitou várias vezes no início, em seguida, ela parecia cair inerte. Durante as semanas que se seguiram, no entanto, a boneca começou a aparecer em várias salas da casa. Quando os Warren saiam e deixavam a boneca trancada no edifício exterior, eles muitas vezes voltavam e quando abriam a porta da frente encontravam a boneca sentada confortavelmente em cima de cadeira de Ed. A boneca também mostrou um ódio por clérigos que vieram até a casa.
Em uma ocasião o Padre Jason Bradford, um exorcista católico, chegou à casa. Ao ver a boneca sentada na cadeira, ele pegou e disse: "Você é apenas uma boneca de pano, Annabelle, você não pode machucar ninguém", e jogou a boneca de volta na cadeira, nesse ponto Ed exclamou: "Isso é uma coisa que é melhor você não dizer." Ao sair, uma hora mais tarde, Lorraine pediu encarecidamente ao padre para que tomasse muito cuidado ao dirigir e que ligasse para ela quando chegasse em casa. Lorraine previu tragédia para este jovem sacerdote, mas ele teve de seguir o seu caminho. Poucas horas depois Padre Jason ligou para Lorraine e explicou que seus freios falharam quando ele entrou em um cruzamento movimentado. Ele foi envolvido em um acidente quase fatal que destruiu seu veículo. Este foi apenas um dos muitos eventos que ocorreram durante os próximos anos.Os Warren tem uma caixa construída especialmente para Annabelle dentro do Museu Ocultista, onde ela reside até hoje. Desde que a caixa foi construída, Annabelle parece não mais se mover, mas ela é tida como responsável pela morte de um jovem que veio para o museu em uma moto com sua namorada. O jovem, após ouvir o relato de Ed sobre a boneca, desafiadoramente foi para cima e começou a bater sobre a caixa insistindo que, se a boneca podia deixar marcas nas pessoas, então ele queria ser marcado também. Ed disse para o jovem: “Filho, você precisa sair " e o colocou para fora do prédio.
No caminho para casa, o jovem e sua namorada estavam rindo e zombando da boneca quando perderam o controle da motocicleta e bateram com a cabeça em uma árvore. O jovem foi morto instantaneamente, mas sua namorada sobreviveu e ficou hospitalizada por mais de um ano. Quando perguntado o que aconteceu, a jovem explicou que eles estavam rindo da boneca, quando perderam o controle da motocicleta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:23

A HISTORIA DE ANDREW GARFIELD

Quinta-feira, 26.12.13

Andrew Garfield
Andrew Russell Garfield (Los Angeles, 20 de agosto de 1983
) é um ator estadunidense/britânico,  mais conhecido por seus papéis nos filmes de 2007 Leões e Cordeiros e Boy A, em 2009 no filme O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus e em 2010 no filme A Rede Social. Ganhou fama e sucesso mundialmente ao interpretar Peter Parker, no filme O Espetacular Homem-Aranha.

Biografia

Andrew Garfield nasceu em Los Angeles, Califórnia, de uma mãe britânica, de Essex, e um pai norte-americano, da Califórnia. Sua família se mudou para a Inglaterra quando ele tinha três anos de idade. Garfield é judeu e foi criado em um lar de classe média. Seus pais tinham uma pequena empresa de design interior.

Seu pai, Richard, mais tarde se tornou o primeiro treinador do Clube de Natação da cidade de Guildford e sua mãe é professora assistente em uma creche. Garfield foi criado em Surrey, na Inglaterra e foi um ginasta e nadador durante seus primeiros anos. Tinha a intenção de estudar negócios, mas tornou-se interessado em atuar aos 16 anos. Ele estudou na City of London Freemen's School, em Ashtead, antes do treinamento na Central School of Speech and Drama, onde se graduou em 2004.

Garfield estreou na televisão britânica em 2005, aparecendo no drama adolescente Sugar Rush, do Channel 4. Em 2007, ele chamou a atenção do público quando apareceu na terceira temporada da série Doctor Who, da BBC.Teve participações em várias séries de TV e estreou no cinema em 2007, atuando no drama Leões e Cordeiros, ao lado de Meryl Streep e Tom Cruise.

Também em 2007 estrelou o filme do Channel 4 Boy A, retratando um assassino de crianças tentando começar uma nova vida após a prisão, que lhe rendeu o BAFTA de Melhor Ator. Em 2008 teve um pequeno papel em A Outra, filme protagonizado por Natalie Portman e Scarlett Johansson, e foi nomeado Estrela em Ascensão no Festival de Cinema Internacional de Berlim.

Em 2009, Garfield teve um papel coadjuvante no filme de Terry Gilliam O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus e na trilogia para televisão The Red Riding, composta por Em Busca de um Assassino, Investigação de Risco e Crimes e Pecados. Co-estrelou em 2010 o filme britânico Não Me Abandone Jamais, baseado no romance de Kazuo Ishiguro, junto de Carey Mulligan e Keira Knightley, e também no filme de David Fincher indicado ao Óscar A Rede Social, interpretando Eduardo Saverin, amigo de Mark Zuckerberg, criador do Facebook, que lhe rendeu indicações ao BAFTA e ao Globo de Ouro.

Em março de 2012 estreou na Broadway na peça teatral A Morte do Caixeiro Viajante e ganhou um Tony Award pelo papel. Em junho do mesmo ano, ganhou fama e sucesso mundialmente ao estrelar o filme O Espetacular Homem-Aranha, recomeço da série do herói nos cinemas, como Peter Parker, atuando ao lado de sua atual namorada Emma Stone, como seu par romântico Gwen Stacy.

Filmografia


AnoTituloPapelNotas
2005Mumbo JumboSimmoCurta-metragem
2007Boy AJack BurridgeFilme para TV
Leões e CordeirosTodd Hayes
2008A OutraFrancis WestonSomente creditado
2009AirTomCurta-metragem
Red Riding: Em Busca de um AssassinoEddie DunfordFilme para TV
Red Riding: Investigação de RiscoEddie DunfordFilme para TV
Red Riding: Crimes e PecadosEddie DunfordFilme para TV
O Mundo Imaginário do Dr. ParnassusAnton
2010I'm HereSheldonCurta-metragem
Não Me Abandone JamaisTommy
A Rede SocialEduardo Saverin
2012O Espetacular Homem-AranhaPeter Parker/Homem-Aranha
2014O Espetacular Homem-Aranha 2Peter Parker/Homem-Aranha

 
Televisão
AnoTituloPapelNotas
2005Sugar RushTom5 episódios (primeira temporada, episódios 1, 3, 6, 8 e 9)
SwingingVários papéis1 episódio (primeira temporada, episódio 1)
2006Simon Schama's Power of ArtGaroto1 episódio (primeira temporada, episódio 1)
2007Trial & RetributionMartin Douglas1 episódio (décima temporada, episódio 3)
FreezingKit1 episódio (primeira temporada, episódio 1)
Doctor WhoFrank2 episódios (terceira temporada, episódios 4 e 5)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:20

A HISTORIA DE ANDREW GARFIELD

Quinta-feira, 26.12.13

Andrew Garfield
Andrew Russell Garfield (Los Angeles, 20 de agosto de 1983
) é um ator estadunidense/britânico,  mais conhecido por seus papéis nos filmes de 2007 Leões e Cordeiros e Boy A, em 2009 no filme O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus e em 2010 no filme A Rede Social. Ganhou fama e sucesso mundialmente ao interpretar Peter Parker, no filme O Espetacular Homem-Aranha.

Biografia

Andrew Garfield nasceu em Los Angeles, Califórnia, de uma mãe britânica, de Essex, e um pai norte-americano, da Califórnia. Sua família se mudou para a Inglaterra quando ele tinha três anos de idade. Garfield é judeu e foi criado em um lar de classe média. Seus pais tinham uma pequena empresa de design interior.

Seu pai, Richard, mais tarde se tornou o primeiro treinador do Clube de Natação da cidade de Guildford e sua mãe é professora assistente em uma creche. Garfield foi criado em Surrey, na Inglaterra e foi um ginasta e nadador durante seus primeiros anos. Tinha a intenção de estudar negócios, mas tornou-se interessado em atuar aos 16 anos. Ele estudou na City of London Freemen's School, em Ashtead, antes do treinamento na Central School of Speech and Drama, onde se graduou em 2004.

Garfield estreou na televisão britânica em 2005, aparecendo no drama adolescente Sugar Rush, do Channel 4. Em 2007, ele chamou a atenção do público quando apareceu na terceira temporada da série Doctor Who, da BBC.Teve participações em várias séries de TV e estreou no cinema em 2007, atuando no drama Leões e Cordeiros, ao lado de Meryl Streep e Tom Cruise.

Também em 2007 estrelou o filme do Channel 4 Boy A, retratando um assassino de crianças tentando começar uma nova vida após a prisão, que lhe rendeu o BAFTA de Melhor Ator. Em 2008 teve um pequeno papel em A Outra, filme protagonizado por Natalie Portman e Scarlett Johansson, e foi nomeado Estrela em Ascensão no Festival de Cinema Internacional de Berlim.

Em 2009, Garfield teve um papel coadjuvante no filme de Terry Gilliam O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus e na trilogia para televisão The Red Riding, composta por Em Busca de um Assassino, Investigação de Risco e Crimes e Pecados. Co-estrelou em 2010 o filme britânico Não Me Abandone Jamais, baseado no romance de Kazuo Ishiguro, junto de Carey Mulligan e Keira Knightley, e também no filme de David Fincher indicado ao Óscar A Rede Social, interpretando Eduardo Saverin, amigo de Mark Zuckerberg, criador do Facebook, que lhe rendeu indicações ao BAFTA e ao Globo de Ouro.

Em março de 2012 estreou na Broadway na peça teatral A Morte do Caixeiro Viajante e ganhou um Tony Award pelo papel. Em junho do mesmo ano, ganhou fama e sucesso mundialmente ao estrelar o filme O Espetacular Homem-Aranha, recomeço da série do herói nos cinemas, como Peter Parker, atuando ao lado de sua atual namorada Emma Stone, como seu par romântico Gwen Stacy.

Filmografia


AnoTituloPapelNotas
2005Mumbo JumboSimmoCurta-metragem
2007Boy AJack BurridgeFilme para TV
Leões e CordeirosTodd Hayes
2008A OutraFrancis WestonSomente creditado
2009AirTomCurta-metragem
Red Riding: Em Busca de um AssassinoEddie DunfordFilme para TV
Red Riding: Investigação de RiscoEddie DunfordFilme para TV
Red Riding: Crimes e PecadosEddie DunfordFilme para TV
O Mundo Imaginário do Dr. ParnassusAnton
2010I'm HereSheldonCurta-metragem
Não Me Abandone JamaisTommy
A Rede SocialEduardo Saverin
2012O Espetacular Homem-AranhaPeter Parker/Homem-Aranha
2014O Espetacular Homem-Aranha 2Peter Parker/Homem-Aranha

 
Televisão
AnoTituloPapelNotas
2005Sugar RushTom5 episódios (primeira temporada, episódios 1, 3, 6, 8 e 9)
SwingingVários papéis1 episódio (primeira temporada, episódio 1)
2006Simon Schama's Power of ArtGaroto1 episódio (primeira temporada, episódio 1)
2007Trial & RetributionMartin Douglas1 episódio (décima temporada, episódio 3)
FreezingKit1 episódio (primeira temporada, episódio 1)
Doctor WhoFrank2 episódios (terceira temporada, episódios 4 e 5)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:20

BIOGRAFIA ,ANA ARIEL

Quinta-feira, 26.12.13

Ana Ariel

Ana Ariel (São Paulo, 18 de maio de 1930 — Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 2004) foi atriz brasileira, filha do palhaço Piolin.

Foi presença em inúmeras novelas importantes da Rede Globo nas décadas de 1970 e 1980 como Selva de Pedra, O Bem Amado, Gabriela, Saramandaia, Cabocla, Elas por Elas, Amor com Amor se Paga e Sassaricando.

***************************************
                                      ++++++++++++++++++++++++++
Ana Ariel era filha do famoso palhaço brasileiro Piolim. De família de circo, Ana também é prima do comediante Ankito.

Ana foi criada em um circo e estreou no picadeiro aos sete anos de idade. Foi equilibrista, ginasta, acrobata e atriz de dramas e comédias circenses. Tornou-se uma grande atriz, tendo atuado muito, quer em teatro, como em televisão.

Criada num circo, Ana Ariel estreou não apenas com picadeiro sete anos ao lado de seu pai, o famoso palhaço Piolim. Foi equilibrista, ginasta, acrobata e atriz de dramas e comédias circenses.Em 1960, a atriz mudou-se para o Rio de Janeiro, onde começou uma nova carreira."Fui trabalhar nas peças teatrais da TV e apesar de saberem que eu tinha uma tradição de humor, sempre fui aproveitada em papéis dramáticos. Logo depois, fui fazer, com meu primo Ankito um quadro, no programa "Noites Cariocas", lembrou a atriz em uma entrevista. 

Em 1967, fez sua estréia na TV Globo em "A Rainha Louca", no papel de uma índia, e a partir daí não parou mais.Personagens marcantes não faltaram em sua longa carreira: em "Irmãos Coragem" foi Domingas, personagem que guardava vários mistérios da trama, além de ser uma mãe de Juca Cipó (Emiliano Queiroz). Em "Gabriela" uma atriz Viveu D. Idalina, uma severa mãe de Malvina (Elisabeth Savalla). Viveu também Ariel Ana Raquel, mãe de Mário Fofoca (Luiz Gustavo), em "Elas por Elas", a Rita de "Véu de Noiva", um Bina de "Cabocla"; uma Esmeralda de "Sangue e Areia"; um Berenice Vilhena , mãe de Cristiano Vilhena, em "Selva de Pedra", entre outros personagens. 


"Estou aposentada e não quero mais voltar à TV. Eu cansei. Tive uma crise de Labirintite que quase acabou comigo. Aí resolvi me afastar. Achava que era só por um tempo, mas depois eu vi que não dava certo mesmo. É muita responsabilidade tonta entrar em cena, com Labirintite. Corro o risco de ter que sair por uma porta e de repente atropelar uma câmera ", disse a atriz quando se afastou da carreira. Sua última novela foi "Hipertensão", em 1986. 

Telenovelas e seriados

2004 Cabocla - Rute
2003 Chocolate com Pimenta - Dinorá
2002 Sabor da Paixão - Dina Coelho
2001 A Padroeira - Rosário
2001 Os Normais (Episódio: Mentir é Normal)
2000 Laços de Família - Doriana Mendes
1999 Terra Nostra - Antônia
1998 Pecado Capital - Creusa
1997 Anjo Mau - Elizinha Ferraz
1995 Explode Coração - Hebinha
1993 Mulheres de Areia - Lourdes
1990 Lua Cheia de Amor - Altina
1989 Cortina de Vidro - Mirtez
1987 Sassaricando - Dona Josefa
1987 Hipertensão - Conceição
1985 De Quina pra Lua - Odila
1984 Amor com Amor se Paga - Leonor
1983 Voltei pra Você - Nena
1982 Mário Fofoca - Raquel
1982 Elas por Elas - Raquel
1980 As Três Marias - Luiza
1980 Chega Mais - Zoraide
1979 Cabocla - Bina
1979 Memórias de Amor - Bernarda
1978 Sinal de Alerta - Constança
1978 Maria, Maria - Rosalina
1976 Duas Vidas - Madame Xavier
1976 Saramandaia - Santinha
1975 A Moreninha - Lalá
1975 Gabriela - Idalina Tavares
1974 O Crime do Zé Bigorna - Eulália
1973 O Semideus - Clara
1973 O Bem-Amado - Zora Paraguaçu
1972 Selva de Pedra - Berenice
1971 O Homem que Deve Morrer - Rita
1970 Irmãos Coragem - Domingas
1970 Verão Vermelho - Rosa
1969 Véu de Noiva - Rita
1968 Sangue e Areia - Esmeralda
1967 A Rainha Louca - Joaquina
Filmes
Pedro Diabo Ama Rosa Meia Noite (1969)

As Aventuras de Mário Fofoca (1982)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:18

BIOGRAFIA ,ANA ARIEL

Quinta-feira, 26.12.13

Ana Ariel

Ana Ariel (São Paulo, 18 de maio de 1930 — Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 2004) foi atriz brasileira, filha do palhaço Piolin.

Foi presença em inúmeras novelas importantes da Rede Globo nas décadas de 1970 e 1980 como Selva de Pedra, O Bem Amado, Gabriela, Saramandaia, Cabocla, Elas por Elas, Amor com Amor se Paga e Sassaricando.

***************************************
                                      ++++++++++++++++++++++++++
Ana Ariel era filha do famoso palhaço brasileiro Piolim. De família de circo, Ana também é prima do comediante Ankito.

Ana foi criada em um circo e estreou no picadeiro aos sete anos de idade. Foi equilibrista, ginasta, acrobata e atriz de dramas e comédias circenses. Tornou-se uma grande atriz, tendo atuado muito, quer em teatro, como em televisão.

Criada num circo, Ana Ariel estreou não apenas com picadeiro sete anos ao lado de seu pai, o famoso palhaço Piolim. Foi equilibrista, ginasta, acrobata e atriz de dramas e comédias circenses.Em 1960, a atriz mudou-se para o Rio de Janeiro, onde começou uma nova carreira."Fui trabalhar nas peças teatrais da TV e apesar de saberem que eu tinha uma tradição de humor, sempre fui aproveitada em papéis dramáticos. Logo depois, fui fazer, com meu primo Ankito um quadro, no programa "Noites Cariocas", lembrou a atriz em uma entrevista. 

Em 1967, fez sua estréia na TV Globo em "A Rainha Louca", no papel de uma índia, e a partir daí não parou mais.Personagens marcantes não faltaram em sua longa carreira: em "Irmãos Coragem" foi Domingas, personagem que guardava vários mistérios da trama, além de ser uma mãe de Juca Cipó (Emiliano Queiroz). Em "Gabriela" uma atriz Viveu D. Idalina, uma severa mãe de Malvina (Elisabeth Savalla). Viveu também Ariel Ana Raquel, mãe de Mário Fofoca (Luiz Gustavo), em "Elas por Elas", a Rita de "Véu de Noiva", um Bina de "Cabocla"; uma Esmeralda de "Sangue e Areia"; um Berenice Vilhena , mãe de Cristiano Vilhena, em "Selva de Pedra", entre outros personagens. 


"Estou aposentada e não quero mais voltar à TV. Eu cansei. Tive uma crise de Labirintite que quase acabou comigo. Aí resolvi me afastar. Achava que era só por um tempo, mas depois eu vi que não dava certo mesmo. É muita responsabilidade tonta entrar em cena, com Labirintite. Corro o risco de ter que sair por uma porta e de repente atropelar uma câmera ", disse a atriz quando se afastou da carreira. Sua última novela foi "Hipertensão", em 1986. 

Telenovelas e seriados

2004 Cabocla - Rute
2003 Chocolate com Pimenta - Dinorá
2002 Sabor da Paixão - Dina Coelho
2001 A Padroeira - Rosário
2001 Os Normais (Episódio: Mentir é Normal)
2000 Laços de Família - Doriana Mendes
1999 Terra Nostra - Antônia
1998 Pecado Capital - Creusa
1997 Anjo Mau - Elizinha Ferraz
1995 Explode Coração - Hebinha
1993 Mulheres de Areia - Lourdes
1990 Lua Cheia de Amor - Altina
1989 Cortina de Vidro - Mirtez
1987 Sassaricando - Dona Josefa
1987 Hipertensão - Conceição
1985 De Quina pra Lua - Odila
1984 Amor com Amor se Paga - Leonor
1983 Voltei pra Você - Nena
1982 Mário Fofoca - Raquel
1982 Elas por Elas - Raquel
1980 As Três Marias - Luiza
1980 Chega Mais - Zoraide
1979 Cabocla - Bina
1979 Memórias de Amor - Bernarda
1978 Sinal de Alerta - Constança
1978 Maria, Maria - Rosalina
1976 Duas Vidas - Madame Xavier
1976 Saramandaia - Santinha
1975 A Moreninha - Lalá
1975 Gabriela - Idalina Tavares
1974 O Crime do Zé Bigorna - Eulália
1973 O Semideus - Clara
1973 O Bem-Amado - Zora Paraguaçu
1972 Selva de Pedra - Berenice
1971 O Homem que Deve Morrer - Rita
1970 Irmãos Coragem - Domingas
1970 Verão Vermelho - Rosa
1969 Véu de Noiva - Rita
1968 Sangue e Areia - Esmeralda
1967 A Rainha Louca - Joaquina
Filmes
Pedro Diabo Ama Rosa Meia Noite (1969)

As Aventuras de Mário Fofoca (1982)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 13:18

SERIE NOSSO LAR---028 VIDA SOCIAL

Quinta-feira, 26.12.13

Cap 28 – Vida social – O Posto recebe visita de amigos vindos do “Campo da Paz”, em belo carro tirado por dois soberbos cavalos brancos. São expostos ensinamentos referentes aos doentes do Espírito, rebeldes ao tratamento. Os atendentes sentem-se obrigados a semear pensamentos novos e aguardar que a obra do tempo os faça germinar nesses doentes. É citado o “desculpismo” (pretextos de encarnados — médiuns — compromissados com a tarefa de auxílio ao próximo para fugirem à tarefa e ao dever sagrado).




Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 09:30