Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



BIOGRAFIA Madame Satã(BANDIDO MALANDRO)

Quinta-feira, 13.09.12

        Madame Satã
 
 
João Francisco dos Santos Sant´Anna (Glória do Goitá, 25 de fevereiro de 1900 — Rio de Janeiro, 11 de abril de 1976), mais conhecido como Madame Satã, foi um transformista brasileiro, visto como personagem emblemático da vida noturna e marginal carioca na primeira metade do século XX.
Criado numa família de dezessete irmãos, diz-se que João Francisco chegou a ser trocado, quando criança, por uma égua. Jovem, foi para Recife, onde viveu de pequenos serviços prestados. Posteriormente, mudou-se para o Rio, indo morar no bairro da Lapa. Analfabeto, o melhor emprego que conseguiu foi o de carregador de marmitas, embora houvesse o boato de que foi cozinheiro de mão-cheia. Considerado marginalizado, acredita-se que o fato de ter sido negro, pobre e homossexual tenha contribuído.
Dito dotado de uma índole irônica e extrovertida, Santos encantou-se pelo carnaval carioca. Foi assim que, em 1942, ao desfilar no bloco-de-rua Caçador de Veados, surgiu seu apelido. O transformista se apresentou com a fantasia Madame Satã, inspirada em filme homônimo de Cecil B. DeMille.
Era freqüentador assíduo do bairro onde morava (conhecido como reduto carioca da malandragem e boemia na década de 1930), onde muitas vezes trabalhou como segurança de casas noturnas. Cuidava que as meretrizes não fossem vítimas de estupro ou agressão.
Foi preso várias vezes, chegando a ficar confinado ao presídio da Ilha Grande, agora em ruínas. Freqüentemente, Madame Satã enfrentava a polícia, sendo detido por desacato à autoridade. Considerado exímio capoeirista, lutou por diversas vezes contra mais de um policial, geralmente em resposta a insultos que tivessem como alvo mendigos, prostitutas, travestis e negros.
É considerado uma referência na cultura marginal urbana do século XX.
Faleceu logo após a sua última saída da prisão, em abril de 1976  em sua casa, hoje um camping .
No ano de 2002, foi rodado no Brasil um filme sobre sua vida, que leva também o nome de Madame Satã, premiados nacional e internacionalmente. Nesse filme, João Francisco dos Santos foi interpretado pelo ator Lázaro Ramos.

 madame satã
Madame satã (Joao Francisco dos Santos, 1900-1976) foi o mais tamoso, longevo - malandros e
valentes geralmente morriam bein antes dos quarenta -, e maldito dos malandros cariocas.
lile imperou na Lapa, espeeialmente entre 1920 e 1950. E, paradoxalmente, apesar de ter vividn
camo pivete de rua e mais tarde como valente e lean-de-chacara, a partir de 1913, na Lapa (sede de
uma das mais famosas maltas e vizinha do bairro da Gloria da famigerada Flor da Genre); apesar de
citar malandros e bandidos famosos em suas memérias, ditadas a Sylvan Paezzo; apesar de ter feito um
longo depoimento ao jornal "O Pasquim" e de ter uma breve biografia editada nove anus apés sua
morte, Sata nunca mencionou - uma sd vez que fusse - as maltas que tinham sido extintas menus de
vinte anos antes dele cair nas mas onde morava e dormia, pivete e ladraozinho de pequenos furtos. Era
como se aquelas maltas nunca tivessem existido.
A0 ditar suas memérias, aos setenta anos de idade, Sata S6 meneiona duas vezes a prépria
Capoeira: an descrever sua estratégia de briga (muitos saltus e esquivas, a dernolidora tapona de
esquerda "e, claro, a Capoeira, que a gente aprendia na rua"); e quando um jovem malandro insiste em
aprender Capoeira com ele, Sata da-lhe uma banda e um tombo e 0 envia "para uns eapoeiras no cais do
purto".
A Lapa boémia comeeou a crescer por volta de 191() e atingiu seu periods de ouro mais ou
menos entre 0 final dos anus quarenta (1940)... Os hares: 0 Siri, 0 Café Colosso, 0 Capela, 0 Café
Bahia, o Imperial. Os cabares: U Apolo, o Royal Pigalle, 0 Vienna Budapeste, 0 Novo México, o
Casanova, e 0 incrivel  . O Cassino High Life...

CENA DO FILME

Parisienses, polacas e brasileiras. Leonor Cammarao, que morreu enquanto tomava um banho de
ehampanhe. Boneca, por quem mais de um humem se matou...
Mas outrus lugares como 0 Mangue, a Saude, a Praea Onze e 0 Cais do Porto também abrigaram
muitos malandros... Meia-Noite, Belo Batuqueiro, Edgar, Sete-Coroas, Miguelzinho e muitos outros...
A partir de 1937, a vida do malandro vai ticando mais dificil. O Estado Novo de Getulio Vargas,
com sua ideologia de eultu ao trabalhu e a produeao, inicia uma severa repressao aos "oeiosos".
Meia-Noite morreu assassinado por um desafetu em 1938. Miguelzinho morreu aus dezuitu anus
de morte natural. Joaozinho da Lapa foi assassinado por um companheiro de malandragem por Volta
de 1939. Edgar morreu aos 26 anos de idade - sé um sobrou para contar a hist6ria.,,
Joao Francisco dos Santos - 0 Madame Sata -, 1,75 m., 108 kg. sem uma grama de gordura, forte
e parrudo, cabelos negros longos e lisos, foi conhecido inicialmente como "Carangueio da Praia das
\/irtudes", onde nadava diariamente, e mais tarde como "Mulata do Balacoché"  
  Em 1928, aOs 28 anos de idade, apos ser pivete de rua e gareon, matou com um tiro
o vigilante noturno Alberto "28" que o provocara - "veado  -; dois anos e trés meses no presidio da Ilha
Grande e, mais tarde, absolvido por legitima defesa.
  foi o comego de uma carreira dividia entre a vida noturna, a boemia da Lapa e no carcere - em
especial a Ilha Grande -, onde passou mais de 27 amos. Em 1945, coma na lenda, Sara matou o sambista
Geraldo Pereira, o Geraldo das Mulheres, um valente com mais de l,90m., com uma ilmica tapona de
esquerda.

Nas palavras do prdprio Madame Sata:
Fui me tormando na malandragem. Malandro, naquele tempo, nao queria dizer exatamente 0 que
quer dizer hoje. Malandro era quem aeompanhava as serenatas e frequentava os botequins e cabarés e
nao corria de briga mesmo quando era contra a polieia. E nao entregava o outro. E respeitava o Outro.
E cada um usava a sua navalha, cuja melhor era a sueca.._ Apelido de navalha era "pastorinha”... Mas

quando eu falo em respeito, nao estou dizendo, amizade, que isso nao existia. E o respeito Vinha do
medo.
A malandragem tbi surgindo nos morros e no eentro durante a década de 1920... ao mesmo tempo
ia surgindo também a primeira geracçao de sambistas do morro, também malandross. durante a década
de 30, 0 malandro foi rei... nos anos 40, 0 malandro se disfartgou, num disereto e respeitavel terno de
linho, imagem que permanece ate hoje.
Semelhante   maltas - apesar de Sata jamais meneionar os Guaiamus ou os Nagoas -, cada
malandro tinha sua area de influéneia, locais onde eram os "protetores" - ns uruais le5es-de-chacara - de
estabelecimentos diversos. Sala cita Saturnino, da Praea Onze: GaViao Branco e Gaviao Preto, da
Saude; Henrique Fin-fin, da Praqa Maud; Brancura, que protegia os lares e casas de prostituibulo do
baixo meretricio; lndiu da Carmange, que protegia varios bares; Tingua; etc. Cita, com respeito,
Edgar; Sete Camas e Meia Nolte, pela valentia e maldade; e Camisa Preta, 0 "rei da malandragem".
Sete Coruas foi 0 mestre de Sara na tina arte da malandragem: 0 jogo, a navalha, o papo, a
rasteira, a Valentin. Por Volta de 1928 (aos 28 auos) ele ja era um valente muito conheeido e respeitado
por seu murro de esquerda.

Madame Sata, simbolo de marginalidade, esta   no anos setenta (1970, com setenta anos
de idade mas inteiro). Satai usava cabelo pelos ombros quarenta anos antes dos hippies. E destruiu a
fama
 de janota o esterétipo do homossexual fragil e delicado.
Por Volta cle 1971, Sata e o cartunista Jaguar comiam num bar da estacilo dos bondinhos que V50
para Santa Tereza, préximo a Lapa (Centro du Rio). Dois guardas provocaram uma bichinha. Sata
perguntuu aus guardas: "Purque Vocés nao vem falar comigo`Y". Um dos guardas respondeu: "Que é
isso, vovo'?", e deu um peteleco no chapéu de Sata. O "vvo" deu-lhe uma bofetada de esquerda no
ouVido que 0 jogou longe, esparramado no chao.
Curiosamente, Sinhozinho - mestre de Capoeira carioea de 1930 a 1960 -, era instrutor da
"temida Pulicia Especial", a mesma que seu contemporaneo, 0 "maldito" Madame Sata, enfrentou
Varias Vezes nas ruas da Lapa - brigas que Viraram lenda_ A Policia Especial fazia ronda numa
"patrulhinlia" com trés policiais. Sata, mais de uma Vez, enfrentou sozinho, "na mao", uma destas
equipes; varias vezes, reforços foram pedidos para derrubar 0 temlvel malandro,
Por outru lado, existe, assim como na Capoeira, um "Ho-terra invisivel" que une a etiea da
malaudragem ao candomblé, ate macumba, as praticas "espirit'uais" mais diversas. Joao Antonio, num de
seus contos, poé  na boca de Laercio Arrudao - malandro-mor do Mangue (antiga area do baixo
meretricio) por Volta de 1950 60 - as seguintes palavras:
Pousando as duas maos nos meus ombros, falando baixo e sério um purtugués bem clarinhno,
Laércin comegava a me escolar que quem gosta da gente e a gente.  . E apenas o dinheiro interessa.
 
Madame Satã : foto

Apesar do obscurecimemo dos atores e eenérios da eapoeiragem das maltas do séeulo XIX,
houve uma heranea que se transmitiu de maneira nie-causal e nzio-linear. O saber da eapoeiragem dos
18005 "enxarneou" o universo do samba: da malandragem do inicio dos 19005; e da capoeiragem
carioca das décadas de 1930, 50 e 60.

  F      FILME
O ator baiano, de 24 anos, transfigura-se no papel de João Francisco dos Santos, mostrando-o no processo de transformação em Madame Satã, envelhecendo sem o artifício da maquiagem, tornando-se sombrio, perigoso e sedutor.
Ramos, aliás, é o grande trunfo do filme, uma vez que o restante do elenco não consegue acompanhar sua sagacidade, deixando visível um desequilíbrio que poderia ter sido atenuado por um diretor mais experiente que o estreante Karim Ainouz, em proveito de uma maior consistência dramática e narrativa.
Um dos aspectos mais fluentes do enérgico e visceral Madame Satã é a linguagem, que sai da boca dos personagens com uma verossimilhança impressionante.
Ainouz, um cearense de 36 anos, filho de um argelino e uma brasileira, explica que pesquisou o linguajar da malandragem carioca em livros - o que serviu de base, mas não de camisa-de-força, já que houve um intenso processo de depuração nos ensaios, antes da filmagem.
Diante disso, não é nenhuma surpresa quando ele revela: "Poucos diálogos foram escritos. A maioria deles foram encontrados e moldados de acordo com a necessidade dramática", contou ele à Reuters, em entrevista no último festival de Cannes.
Quanto ao escândalo criado durante o festival francês deste ano por causa das cenas de sexo - várias pessoas deixaram as salas de exibição onde o filme foi mostrado na seção Un Certain Regard -, cabe o espanto.
É difícil imaginar o que terá chocado tanto essa platéia experimentada e que já deve ter assistido a filmes muito mais diretos sobre a homossexualidade, como Querelle, de Rainer Werner Fassbinder, ou O Ûltimo Tango em Paris, de Bernardo Bertolucci.
As cenas de sexo entre Satã e Renatinho (Felipe Marques) são completamente necessárias à história que se conta, apaixonadas, envolventes e muito bem filmadas.
O diretor contou que o convite recebido para a sessão de seu próprio filme, em Cannes, continha uma tarja, significando que o trabalho "pode conter cenas que ofendam o espectador". "Não estava acreditando, fiquei muito impressionado com tudo isto", disse o diretor.
O escândalo, em todo caso, parece ter sido benéfico à comercialização internacional de Madame Satã. Ainda durante o festival de Cannes, o filme tinha firmado contratos de distribuição na França, Espanha, Suíça, Portugal, Alemanha e Israel.

Madame Satã Night Club

Madame Satã é um clube de música instalado no tradicional distrito ítalo-brasileiro Bela Vista, região central do município de São Paulo.
A casa fechou suas portas em 2009, quando era administrada por José Maurício Penteado, mas, em outubro de 2011, foi anunciada a sua volta que ocorreu em 29 de fevereiro de 2012.
História

Viveu seu momento áureo na década de 1980, quando a new wave estourou no Brasil, embalando as pistas de dança das principais casas noturnas da época.
Ficou conhecido principalmente pela salada cultural. Ao mesmo tempo em que funcionava majoritariamente como discoteca, também acolhia manifestações artísticas/culturais de todos os tipos.
A convivência pacífica entre pessoas de postura, classe social, etnia e ideologias diferentes presentes em um mesmo lugar era comum, o que fugia à regra dos demais points da época; artistas, carecas, escritores, estudantes, góticos (mais conhecidos no Brasil desta época como darks), homossexuais assumidos, intelectuais, jornalistas, poetas, punks, socialites, transformistas, entre outros, faziam a clientela da casa.
Foi o pontapé inicial para o sucesso de bandas paulistanas como o RPM, Titãs, Ira!, entre outras, que ganharam notoriedade pelas apresentações frequentes na casa.
Tornou-se referência no Brasil, e principalmente na cidade, assim como os clubes CBGB (New York, EUA) e Batcave (Londres, Inglaterra), no exterior.

A volta
Em outubro de 2011, os novos proprietários do Madame Satã, o DJ Gé Rodrigues e o empresário Igor Calmona, anunciaram oficialmente a volta da casa noturna em fevereiro de 2012.[ A casa reabriu oficialmente em 29 de fevereiro de 2012, agora chamada apenas Madame. 
 Principais artistas a se apresentarem no Madame Satã

RPM
Titãs
Ira!
Fellini
Akira S e As Garotas Que Erraram

o verdadeiro      Madame Satã                                                                  lazaro ramos o ator

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 16:55


2 comentários

De wf a 15.11.2012 às 20:25

fui na lapa e a´te hoje se escuta história do madame satã muito manero bom demais isso q é fama.

De senhor desmanipulador a 25.11.2012 às 14:39

gracias obrigado pelo seu comentario

Comentar post