Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Moto Perpétuo(banda de rock progressivo nacional anos 70)

Segunda-feira, 11.03.13
foto_01.jpg

Moto Perpétuo

Moto Perpétuo foi uma banda brasileira de rock progressivo dos anos 1970. Participaram da banda o cantor e compositor Guilherme Arantes (piano e vocais), Egydio Conde (guitarra solo e vocais), Diogenes Burani (percussão e vocais), Gerson Tatini (contra-baixo e vocais) e Cláudio Lucci (violões, violoncelo, guitarra e vocais).
foto_02.jpg
A banda foi formada em 1973, quando Guilherme Arantes e Cláudio Lucci se conheceram na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP. Logo convidaram Diógenes Burani, velho amigo de Arantes, e em seguida Gerson Tatini e Egydio Conde. A banda contou com o apoio do empresário Moracy do Val, que havia acabado de lançar o grupo Secos e Molhados, sucesso absoluto na época.
O Moto Perpétuo lançou, em 1974, um álbum homônimo pela gravadora Continental, notadamente influenciado pelo Clube da Esquina e por famosas bandas de rock progressivo como o Genesis e Yes - influências estas que, entre outras, se fariam sentir na primeira fase da carreira solo de Guilherme Arantes. Este álbum foi remasterizado e já pode ser encontrado em CD, graças ao trabalho de Charles Gavin, dos Titãs.
Em 1975, Guilherme Arantes segue para sua bem sucedida carreira solo, estourando nacionalmente em 1976 com o sucesso de "Meu Mundo e Nada Mais", trilha sonora da novela Anjo Mau da Rede Globo. O guitarrista Egydio Conde, por sua vez, foi integrar a banda "Som Nosso de Cada Dia".
No entanto, as atividades do grupo não se encerrariam em 1975, já que, em 1981, três dos membros do Moto Perpétuo - Cláudio Lucci, Gerson Tatini e Diógenes Burani - voltariam a se reunir, desta vez para gravar o álbum São Quixote. A banda foi completada pela vocalista e violonista Monica Marsola. Houve ainda a participação especial de Guilherme Arantes tocando moog e piano em cinco faixas do LP, gravado pelo selo independente Lira Paulistana.
Discografia

1974 - Moto Perpétuo
1981 - São Quixote
VERDE VERTENTE
Moto Perpétuo.
Composição: Guilherme Arantes

Granulou-se verde vertente
onde o brilho solar atinge
muitos anos já se passaram e quase não vi
que espalhou-se o verde em vertente
onde o brilho solar refringe
muitos anos já se passaram que desconhecia
o seguinte passo
nada que não faço mal e mal me faça passar
qual a nova sêde
que é de tanta sêde que não sente
não é nova, novamente
nesse assônico escuto o simples
pois há meios de boa fala
muitos anos já me bastaram sem voltar aqui
nesse assônico escuto o simples
pois semeio-me sem forçá-lo
muitos anos já me bastaram até este dia...

Moto Perpétuo (1972)
01 – Mal o Sol
02 – Conto Contigo
03 – Verde Vertente
04 – Matinal
05 – Três e Eu
06 – Não Reclamo da Chuva
07 – Duas
08 – Sobe
09 – Seguir Viagem
10 – Os Jardins
11 – Turba
 
-
01 – São Quixote
02 – Buon giorno, boy
03 – Só para raros velhos
04 – Fumaça
05 – Livre demais
06 – Mea culpa
07 – Mais um longo dia
08 – Confraria
09 – Cem anos de solidão
10 – Soy Criatura
11 – Buenos Dias
12 – América

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 00:55


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.