Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



o que é o ano novo?

Sábado, 29.12.12

                                             Ano-Novo
O Ano-Novo ou Réveillon é um evento que acontece quando uma cultura celebra o fim de um ano e o começo do próximo. Todas as culturas que têm calendários anuais celebram o "Ano-Novo". A celebração do evento é também chamada Réveillon, termo oriundo do verbo francês réveiller, que significa "despertar"

História

A comemoração ocidental tem origem num decreto do governador romano Júlio César, que fixou o 1 de janeiro como o Dia do Ano-Novo em 46 a.C. Os romanos dedicavam esse dia a Jano, o deus dos portões. O mês de Janeiro, deriva do nome de Jano, que tinha duas faces (bifronte) - uma voltada para frente (visualizando o futuro) e a outra para trás (visualizando o passado).

Celebração moderna

A passagem do ano-novo é, hoje, celebrada por todo o mundo e, normalmente, envolve queima de fogos de artifício em festas públicas, reuniões familiares ou com amigos, jantares ou ceias festivas e diferentes tipos de promessas e simpatias.

Brasil
No Rio de Janeiro, há queima de fogos e shows musicais ao longo de toda a orla marítima da cidade. A principal congregação, entretanto, ocorre na Praia de Copacabana. Na virada de 2011 para 2012, a queima de fogos em Copacabana durou 16 minutos e contou com cerca de dois milhões de espectadores . Ainda na mesma festa, a cidade do Rio recebeu, do World Travel Guide, o prêmio de maior festa de reveillon do mundo.
Em São Paulo, a Avenida Paulista concentra a queima de fogos e as apresentações musicais.

Em 31 de dezembro de 2008, a festa reuniu 2 400 000 pessoas, incluindo mais de 100 000 eram turistas. . Mais cedo, durante a tarde do dia 31, a cidade sedia anualmente a Corrida de São Silvestre, com um percurso de 15 km, contornando o centro da cidade.
Em Fortaleza, a principal queima de fogos acontece no aterro da Praia de Iracema. De 2009 para 2010, foram registrados 1,1 milhão de espectadores na festa

Portugal
No Porto, a celebração mais famosa é a da Avenida dos Aliados, em que toda a gente espera o novo ano, atentos no relógio da Câmara Municipal do Porto, memorável pelo seu fogo de artifício cruzando os edifícios, e pelos concertos populares
Na região autónoma da Madeira, onde o fim de ano é provavelmente o dia mais festivo durante o ano, o réveillon se concentra na principal cidade, Funchal, estando o espectáculo de fogo de artifício citado no livro Guinness World Records como o "maior espectáculo pirotécnico do mundo".

Esse espectáculo ganha especial interesse pois o Funchal é uma cidade em anfiteatro, onde as pessoas espalham-se numa área com mais de dezessete km e com mais de seiscentos metros de altitude. A cidade recebe, ainda, na orla marítima, dezenas de navios de cruzeiro, o que aumenta o ambiente de festa. Durante cinco dias, a ilha recebe mais de 50 000 turistas, que aproveitam para, mesmo em Dezembro, banharem-se nas águas temperadas do arquipélago e apanharem algum sol. À noite, ainda há tempo para vislumbrar as inúmeras decorações de cambiantes luzinhas que se espalham por quase todas as ruas da cidade.


Outros Países
Em Nova Iorque, nos Estados Unidos, a celebração mais famosa de Ano-Novo é a de Times Square - onde uma bola gigante começa a descer às 23 horas e 59 minutos até atingir o prédio em que está instalada, marcando exatamente zero hora (00:00:00).
Na Escócia, há muitos costumes especiais associados ao Ano-Novo - como a tradição de ser a primeira pessoa a pisar a propriedade do vizinho, conhecida como first-footing ("primeira pisada"). São, também, dados presentes simbólicos para desejar boa sorte, incluindo biscoitos. Lá, o ano-novo é chamado de hogmanay.
Na Espanha, exatamente à meia-noite, as pessoas comem doze uvas e fazem um pedido a cada badalada do relógio da Puerta del Sol, localizada em Madrid. Existe uma canção que fala deste acontecimento, se chama "Un Año Mas" do grupo espanhol Mecano

 Ano-novo chinês
Ano-novo chinês é uma referência à data de comemoração do ano novo adotadas por diversas nações do Oriente que seguem um calendário tradicional distinto do Ocidental, o Calendário chinês.
As diferenças entre os dois calendários fazem que a data de início de cada ano-novo chinês caia a cada ano em uma data diferente do calendário ocidental.

Os chineses relacionam cada novo ano a um dos doze animais que teriam atendido ao chamado de Buda para uma reunião. Apenas doze se apresentaram, Buda em agradecimento os transformou nos signos da Astrologia chinesa.
Os doze animais do Horóscopo chinês a que correspondem os anos chineses são, de acordo com a ordem que teriam se apresentado a Buda na lenda acima citada: rato, búfalo/boi, tigre, coelho, dragão, cobra, cavalo, cabra, macaco, galo, cão e o porco.
Desta forma, se 2008 é o ano do rato, 2009 é atribuído ao Boi (búfalo), 2010 ao Tigre, 2011 coelho e assim por diante.

Comemorações no Brasil

                                              São Paulo
Em São Paulo, o maior centro sino-nipônico do Brasil, a festa é realizada na Praça da Liberdade, onde se concentram restaurantes, lojas e mercearias de imigrantes e descendentes chineses direcionados a este publico alvo. A comemoração acontece no final de janeiro ou inicio de fevereiro. Uma festa muito alegre e bonita que atrai mais de 100 mil pessoas do Brasil e de várias partes do mundo que visitam a capital paulista. O evento explora vários aspectos da cultura chinesa e suas belas expressões artísticas e culturais. Durante os dias de festa são apresentadas várias atrações no palco como mostras de Kung Fu, de pintura e música chinesas, a tradicional Dança dos Leões, desfile de roupas típicas, entre muitas outras. Próximo ao palco permanecem várias barracas oferecendo um pouco da diferenciada gastronomia chinesa, como tempura de repolho, couve-flor e camarão, Harumaki, o famoso bolinho primavera com recheio de carne e vegetais, e Dorayaki ou Imagawayaki, doce com recheio de feijão Azuki ou creme de baunilha que veio origem de Japão
510243 réveillon SP Comemorar Réveillon 2013 em SP: dicas
 Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, a comemoração é feita na colônia oriental que existe no bairro de Santa Cruz. Também é comemorado por uma cooperação de chineses do bairro da Tijuca e na colônia oriental da Rua da Alfândega, localizada na região da Saara. Porém, nos últimos anos, o lugar mais visado nessa data tem sido a Vista Chinesa, onde ocorre um grande encontro entre chineses e turistas. Também é comemorado entre 15 de janeiro e 15 de fevereiro.

Ano Novo Japonês

 Até 1873, a data do Ano Novo Japonês (em japonês: 正月, transl. shōgatsu, lit. "o mês correto" ) tinha como base o calendário lunar chinês, assim como os ano novos chinês, coreano e vietnamita são até hoje. Neste ano, no entanto, cinco anos depois da Restauração Meiji, o Japão adotou o calendário gregoriano, de modo que o dia 1 de janeiro é o ano novo oficial no país.  A data é considerada pela maior parte dos japoneses como um dos festival anuais mais importantes, e vem sendo comemorada há séculos de maneira característica.

Ano Novo Japonês

Rosh Hashaná

 Rosh Hashaná (em hebraico ראש השנה , literalmente "cabeça do ano") é o nome dado ao ano-novo judaico. Rosh Hashaná ocorre no primeiro dia do mês de Tishrei, primeiro mês do ano no calendário judaico rabínico e sétimo mês no calendário bíblico.
A Torá refere-se a este dia como o Dia da Aclamação (Yom Teruá Levítico 23:24).
Já a literatura rabínica diz que foi neste dia que Adão e Eva foram criados e neste mesmo dia incorreram em erro ao tomar da árvore da ciência do bem e do mal. Também teria sido neste dia que Caim teria matado seu irmão Abel. Por isto considera-se este dia como Dia de Julgamento (Yom ha-Din) e Dia de Lembrança (Yom ha-Zikkaron), o início de um período de instrospecção e meditação de dez dias (Yamim Noraim) que culminará no Yom Kipur, um período no qual se crê que o Criador julga os homens.                                    


Rosh Hashaná
Este nome é atribuído pela tradição rabínica ao dia da concepção do mundo. Portanto neste dia começa o novo ano judaico. 
A primeira citação escrita deste nome está na Mishná no tratado de Rosh Hashaná  . Lá cita-se que existem quatro começos de ano diferentes. O primeiro dia do mês de nissan marca o começo da contagem dos anos de reinado dos reis de Israel na Bíblia e o começo do ciclo das festividades judaicas de acordo com a Torá. O primeiro dia do mês de elul corresponde ao início do ano para assuntos ligados ao dízimo animal (quando era necessário dar aos sacerdotes 1/10 dos animais nascidos neste ano até aquela data). O primeiro dia do mês de Tishrei é o começo do ano para a contagem dos anos a partir da criação do mundo (de acordo com a tradição judaica), do ciclo de sete anos e do ciclo de 50 anos - segundo leis específicas da Torá. E o último dos começos de ano é o dia 15 do mês de shevat - o ano novo das árvores, quando se conta a idade das árvores e que se refere a leis da Torá sobre a proibição do consumo dos frutos de uma árvore até completados quantro anos desde a sua plantação na terra de Israel.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por duronaqueda às 22:55


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.